http://lookfordiagnosis.com
English
Spanish
Italian
Portuguese
French
Swedish

Glicosídeos Digitálicos
(Glicosídeos de Digitalis)


Glicosídeos oriundos de plantas do gênero digitalis. Alguns deles são úteis como agentes cardiotônicos e anti-arrítmicos. Incluem também os derivados semi-sintéticos dos glicosídeos. Esse termo tem sido utilizado, algumas vezes de forma mais ampla, incluindo-se todos os glicosídeos cardíacos, mas neste caso, estão restritos apenas àqueles relacionados a digitalis.

Imagens

Powered by

Os <b>glicosídeos digitálicos</b>
Os glicosídeos digitálicos
dradaisyrodrigues.wordpress.com

<b>Glicosídeos Digitálicos</b>
Glicosídeos Digitálicos
lookfordiagnosis.com

<b>glicosídeos digitálicos</b>,
glicosídeos digitálicos,
interacmedicamentosa.blogspot.com

<b>Glicosídeos Digitálicos</b>
Glicosídeos Digitálicos
lookfordiagnosis.com

Digitalis purpurea (dedaleira
Digitalis purpurea (dedaleira
www.medicinacomplementar.com.br

Image286.gif (6420 bytes)
Image286.gif (6420 bytes)
www.scielo.br

Uso terapêutico


Sintomas:

    

Rápido   Hierárquico

Wikipedia


  • Glicosídeos Digitálicos: Glicosídeos oriundos de plantas do gênero DIGITALIS. Alguns deles são úteis como agentes cardiotônicos e antiarrítmicos. Incluem também os derivados semi-sintéticos dos glicosídeos. Algumas vezes, este termo tem sido utilizado de forma mais ampla, incluindo-se todos os GLICOSÍDEOS CARDÍACOS, mas neste caso, estão restritos apenas àqueles relacionados a Digitalis.
  • Digitalis: Gênero de plantas herbáceas tóxicas (família Scrophulaceae; nativas da Eurásia), que produzem glicosídeos cardiotônicos. As espécies mais úteis são D. lanata e D. purpurea.
  • Glicosídeos: Qualquer composto que contém uma molécula carboidrato (açúcar), no qual o grupo hidroxila ligado ao primeiro carbono é substituído por um grupo alcoólico, fenólico ou outro. Recebem seu nome especificamente em relação ao açúcar contido, como glucosídeo (glucose), pentosídeo (pentose), frutosídeo (frutose) etc. A hidrólise [de glicosídeos] forma um componente açúcar e um componente não açúcar (aglicona).
  • Humanos: Membros da espécie Homo sapiens.
  • Glicosídeos Cardíacos: Ciclopentanofenantrenos com um anel de lactona de 5 ou 6 braços ligado na posição 17 e AÇÚCARES ligados na posição 3. As plantas das quais se originam têm sido usadas na deficiência cardíaca congestiva. Aumentam a força da contração cardíaca sem afetar significantemente outros parâmetros, mas são muito tóxicos em altas doses. Seu mecanismo de ação geralmente envolve a inibição da ATPASE CONVERSORA DE NA(+)-K(+) e frequentemente são usados em estudos de biologia celular com esse propósito.
  • Digoxina: Glicosídeo cardiotônico obtido principalmente da Digitalis lamata. Consiste em três açúcares e da DIGOXIGENINA aglicona. A digoxina tem atividade inotrópica positiva e cronotrópica negativa. É utilizada para controlar a velocidade ventricular na FIBRILAÇÃO ATRIAL e no tratamento da insuficiência cardíaca congestiva com fibrilação atrial. Seu uso na insuficiência cardíaca congestiva e no ritmo do seio é menos certo. A margem entre as doses tóxica e terapêutica é pequena. (Tradução livre do original: Martindale, The Extra Pharmacopoeia, 30th ed, p666).
  • Cardenolídeos: Esteroides C(23) com grupos metil em C-10 e C-13 e uma lactona de cinco membros em C-17. São os constituintes da aglicona dos GLICOSÍDEOS CARDÍACOS e devem ter no mínimo uma dupla ligação na molécula. A classe inclui cardadienolídios e cardatrienolídios. Os membros incluem a DIGITOXINA e DIGOXINA e seus derivados, e as ESTROFANTINAS.
  • Digitoxina: Glicosídeo cardíaco algumas vezes usado no lugar da DIGOXINA. Tem uma meia-vida mais longa do que a digoxina. Os efeitos tóxicos, que são similares aos da digoxina, duram mais tempo.
  • Cardiotônicos: Agentes que têm efeito tônico sobre o coração, ou que podem aumentar o débito cardíaco. Podem ser GLICOSÍDEOS CARDÍACOS, SIMPATOMIMÉTICOS, ou ainda outras drogas. São usados após INFARTO DO MIOCÁRDIO, PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS CARDÍACOS, CHOQUE, ou na insuficiência cardíaca congestiva (INSUFICIÊNCIA CARDÍACA).
  • Glicosídeo Hidrolases: Glicosídeo hidrolases (também chamadas glicosidases) catalisam a hidrólise da ligação glicosídica para gerar dois açúcares menores. Elas são enzimas extremamente comuns com funções na natureza incluindo degradação da biomassa, como celulose e hemicelulose, em estratégias de defesa antibacteriana (por exemplo, lisozima), em mecanismos de patogênese (por exemplo, neuraminidases virais), e no funcionamento celular normal (por exemplo, aparando as manosidases envolvidas na biossíntese de glicoproteínas ligadas a N). Juntamente com as glicosiltransferases, as glicosidases constituem a principal maquinaria catalisadora para a síntese e a quebra de ligações glicosídicas.
  • Folhas de Planta: Estruturas expandidas, geralmente verdes, de plantas vasculares, consistindo caracteristicamente de uma expansão em lâmina ligada a um caule, funcionando como o principal órgão de fotossíntese e transpiração.
  • Plantas Tóxicas: Plantas ou partes de plantas que são prejudiciais ao homem e outros animais.
  • Pregnanos: Derivados saturados do esteroide pregnano. A série 5-beta inclui a PROGESTERONA e hormônios relacionados. A série 5-alfa inclui formas geralmente excretadas na urina.
  • Plantas Medicinais: Plantas cujas raizes, folhas, sementes, cascas ou outros constituintes possuem atividades terapêuticas, tônicas, purgativas, curativas ou outros atributos farmacológicos quando administradas a humanos ou outros animais.
  • Triterpenos
  • Asclepiadaceae: Família das plantas algodoeiras (ordem Gentiales, subclasse Asteridae e classe Magnoliopsida) compostas por várias ervas e trepadeiras arbustivas tropicais, a maioria com seiva leitosa. As flores possuem cinco pétalas unidas e os frutos têm a forma de vagem, geralmente recheado de sementes.
  • Saponinas: Tipo de glicosídeo amplamente distribuído em plantas. Cada um consiste de uma sapogenina como fração aglicona e um açúcar. A sapogenina podem ser um esteroide ou um triterpeno e o açúcar pode ser glicose, galactose, uma pentose ou uma metilpentose.
  • Extratos Vegetais: Preparações farmacêuticas concentradas de plantas obtidas pela remoção dos constituintes ativos com um solvente adequado (que é eliminado por evaporação) e ajuste do resíduo [seco] a um padrão prescrito.
  • Flavonóis: Grupo de 3-hidróxi-4-ceto-FLAVONOIDES.
  • Glicosídeos Iridoides: Subclasse de compostos iridoides que incluem uma porção glicosídica geralmente posicionada no carbono C-1.
  • Pepinos-do-Mar: Classe de Equinodermos caracterizada por corpos longos e delgados.
  • Feminino: Em zoologia, relativo ao gênero que concebe os seres ou carreia os ovos. (Dicionário Médico Stedman 27a. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003, p.1642)
  • Fitoterapia: Uso de plantas e ervas para tratar doenças ou aliviar dores.
  • Masculino: Em zoologia, designa o sexo ao qual pertencem aqueles que produzem espermatozoides; um indivíduo deste sexo. (Dicionário Médico Stedman 27a. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003, p.940)
  • Estrutura Molecular: Localização dos átomos, grupos ou íons, em relação um ao outro, em uma molécula, bem como o numero, tipo e localização das ligações covalentes.
  • Raízes de Planta: Porções geralmente subterrâneas de uma planta, que servem como suporte e estocagem de alimento, e pelas quais a água e nutrientes minerais penetram na planta.
  • Glucosídeos
  • Iridoides: Tipo de MONOTERPENOS derivado do geraniol. Têm a forma geral de ciclopentanopirano, mas em alguns casos, um dos anéis é rompido como no caso do secoiridoide. São diferentes dos iridais (TRITERPENOS) apesar da similaridade em seus nomes.
  • Colestanos: Derivados do esteroide colestano saturado, com grupos metil em C-18 e C-19, e uma cadeia lateral de iso-octil em C-17.
  • Ipomoea: Gênero de plantas (família CONVOLVULACEAE) mais conhecidas como 'corriola' (morning glories) (nome vulgar também usado com CONVOLVULUS) e batata doce.
  • Antineoplásicos Fitogênicos: Substâncias obtidas de plantas superiores, e que apresentam atividades citostática ou antineoplásica demonstráveis.
  • Idoso: Pessoa de 65 a 79 anos de idade. Para uma pessoa com mais de 79 anos, IDOSO DE 80 ANOS OU MAIS está disponível.
  • Gleiquênias: Plantas sem flores e sem sementes da classe Filicinae. Reproduzem-se por esporos que aparecem como pontos do lado de baixo das folhagens. Nas classificações antigas, as Pteridófitas incluíam os licopódios, equisetos, gleiquênias e vários grupos fósseis. Em classificações mais recentes, as pteridófitas e as espermatófitas (plantas com sementes) estão na divisão, ou filo, Tracheophyta.
  • Antiarrítmicos: Agentes usados para tratamento ou prevenção das arritmias cardíacas. Estes agentes podem afetar a fase de polarização-repolarização do potencial de ação, sua excitabilidade ou refratariedade, ou condução do impulso, ou ainda a responsividade da membrana dentro das fibras cardíacas. Os agentes antiarrítmicos são frequentemente classificados em quatro grupos principais de acordo com seu mecanismo de ação: bloqueio do canal de sódio, bloqueio beta-adrenérgico, prolongamento da repolarização, ou bloqueio do canal de cálcio.
  • Liliaceae: Família monocotiledônea (ordem Liliales) dividida por alguns botânicos em outras famílias, como Convallariaceae, Hyacinthaceae e Amaryllidaceae. Entre as Amaryllidaceae, que possuem ovários inferiores estão CRINUM, GALANTHUS, LYCORIS e NARCISSUS e são conhecidos pelos ALCALOIDES DE AMARYLLIDACEAE.
  • Componentes Aéreos da Planta: Parte da planta acima da terra (sem as raizes).
  • Animais: Organismos heterotróficos unicelulares ou multicelulares que possuem capacidade sensorial e de realizar movimentos voluntários. Animalia era um dos reinos sob o antigo paradigma dos cinco reinos. Sob o modelo moderno de três domínios, Animalia representa um dos muitos grupos do domínio dos EUCARIOTOS.
  • Rosales: Ordem de ANGIOSPERMAS (subclasse Rosidae) cujos membros incluem algumas plantas ornamentais e comestíveis, mais conhecidas das zonas temperadas, incluindo rosas, maçãs, cerejas e pêssegos.
  • Espirostanos: Derivados do colestano contendo um anel de lactona nas posições 16 e 17, e uma ligação espiroglicosídica em C-22. Entre os representantes estão as sarsaponinas, DIOSGENINA e yamogenina.
  • Apocynaceae: Família de plantas (ordem Gentianales, subclasse Asteridae, classe Magnoliopsida) de apócino, cujos membros possuem folhas de bordas lisas, com suco leitoso (geralmente venenoso) e flores em cachos.
  • Rizoma: Caule horizontal subterrâneo semelhante a raiz, produzindo brotos aéreos e raizes subterrâneas. Distinguem-se das raizes verdadeiras, que não possuem botões e nós. Semelhantes a raizes verdadeiras por serem subterrâneos e mais espessos por armazenar depósitos de reserva.
  • Meia-Idade
  • Quempferóis: Grupo de FLAVONÓIS baseados em quempferol. São derivados da naringenina e podem hidroxilar-se para dar QUERCETINA, ou reduzir-se a leucopelargonidina.
  • Antídotos: Antídoto: Agente que age contra ou neutralizam a ação de um VENENO. Homeódoto: Remédio homeopático utilizado para compensar as consequências sintomáticas do (ou a reação excessiva causada pelo) primeiro remédio.
  • Flavonoides: Grupo de fenilbenzopiranos assim denominados por conterem estruturas semelhantes às FLAVONAS.
  • Carvão Vegetal: Forma amorfa de carbono preparada a partir da combustão incompleta de material combustível de origem animal ou vegetal, por exemplo, madeira. O carvão vegetal ativado é utilizado no tratamento de intoxicações. (Tradução livre do original: Grant & Hackh's Chemical Dictionary, 5th ed)
  • Espectrometria de Massas de Bombardeamento Rápido de Átomos: Técnica espectrométrica de massa que é utilizada para análise de uma ampla faixa de biomoléculas, tais como glicoalcaloides, glicoproteínas, polissacarídeos e peptídeos. O espectro do átomo de bombardeamento rápido positivo e negativo é registrado em um espectrômetro ajustado a uma pistola atômica com xenônio como feixe usual. O espectro de massa obtido contém o reconhecimento do peso molecular bem como a sequência de informação.
  • Ensaios de Seleção de Medicamentos Antitumorais: Métodos de investigação da eficácia de drogas citotóxicas anticâncer e inibidores biológicos. Incluem modelos de morte celular in vitro e testes de exclusão de corantes citostáticos assim como medidas in vivo dos parâmetros de crescimento tumoral em animais de laboratório.
  • Asclepias: Gênero de plantas da família ASCLEPIADACEAE. São as verdadeiras ervas-leiteiras. A APOCYNUM e EUPHORBIA hirta raramente são chamadas de ervas-leiteiras. Asclepias asthmatica foi alterada por TYLOPHORA.
  • Espectroscopia de Ressonância Magnética: Método espectroscópico de medição do momento magnético de partículas elementares, como nucleos atômicos, prótons ou elétrons. É empregada em aplicações clínicas, como Tomografia por RMN (IMAGEM POR RESSONÂNCIA MAGNÉTICA).
  • Ressonância Magnetica Nuclear Biomolecular: Espectroscopia de RNM (NMR) em macromoléculas biológicas de tamanho pequeno a médio. É geralmente utilizada para investigação estrutural de proteínas e ácidos nucleicos, e em geral envolve mais de um isótopo.
  • Antagonistas Adrenérgicos beta: Fármacos que se ligam aos receptores beta adrenérgicos sem ativá-los, bloqueando assim as ações de agonistas adrenérgicos beta. Os antagonistas adrenérgicos beta são usados no tratamento da hipertensão, arritmias cardíacas, angina pectoris, glaucoma, enxaquecas e ansiedade.
  • Fragmentos Fab das Imunoglobulinas: Fragmentos univalentes ligantes de antígenos compostos por uma CADEIA LEVE DE IMMUNOGLOBULINAS inteira e da extremidade amino terminal de uma das CADEIAS PESADAS DE IMUNOGLOBULINAS da região articulada, ligadas por pontes dissulfeto. Os fragmentos Fab contêm as REGIÕES VARIÁVEIS DE IMUNOGLOBULINA que fazem parte do sítio de ligação a antígenos e as primeiras porções das REGIÕES CONSTANTES DE IMUNOGLOBULINA. Este fragmento pode ser obtido pela digestão das moléculas de imunoglobulinas com a enzima proteolítica PAPAÍNA.
  • Sequência de Carboidratos: Sequência de carboidratos dentro de POLISSACARÍDEOS, GLICOPROTEÍNAS, e GLICOLIPÍDEOS.
  • Casca de Planta: Camada externa das partes lenhosas das plantas.
  • Zygophyllaceae: Pequena família de plantas da ordem Sapindales, subclasse Rosidae, classe Magnoliopsida com árvores pequenas e arbustos que crescem em regiões áridas e quentes.
  • Caules de Planta: Partes de plantas que geralmente crescem verticalmente para cima, em direção à luz, e que dão suporte às folhas, às células germinativas e às estruturas reprodutivas.
  • Scrophulariaceae: Família das plantas escrofulárias (ordem Scrophulariales, subclasse Asteridae, classe Magnoliopsida) caracterizadas pelas flores bissexuais com corolas tubulares (pétalas fundidas) que são bilateralmente simétricas (dois lábios) e com no máximo 4 estames, dois quais dois, em geral, são mais curtos.
  • Rubiaceae: Família de plantas conhecidas como garança ou ruiva, da ordem Rubiales, subclasse Asteridae, classe Magnoliopsida, que inclui importantes plantas medicinais que fornecem QUININO, IPECA e CAFÉ. Possuem filotaxia oposta (folhas arranjadas em oposição uma à outra) e estípulas interpeciolares.
  • Solanum: Gênero de plantas (família SOLANACEAE) cujos membros contêm ALCALOIDES DE SOLANÁCEOS. Algumas espécies deste gênero são chamadas 'Beladona' que também é o nome vulgar para ATROPA BELLADONNA.
  • Quercetina: Flavonol amplamente distribuído em plantas. É um antioxidante como muitos outros compostos heterocíclicos fenólicos. Entre as formas glicosiladas estão RUTINA e quercetrina.


Mais informação


  • DeCS - Descritores em Ciências da Saúde.
  • MEDLINE - Publicaçãos da Biblioteca Nacional da Medicina (multilingüe).
  • MedlinePlus - Informação da saúde da Biblioteca Nacional da Medicina (espanhol).

Não avalia ou garante a precisão de qualquer conteúdo deste site. Clique aqui para ler o termo de responsabilidade.
Última atualização: Abril 2009
Estatísticas