FAQ - neoplasias do íleo
(Powered by Yahoo! Answers)

O que são "linfonodos no retroperitôneo" e "espessamento nodular da adrenal"?


Acabei de receber o resultado da tomografia computadorizada do abdomem e da pelve de minha mãe e fiquei um pouco assustada com esses resultados.Além dos que estão na pergunta,tem também"espessamento parietal concêntrico do ceco,parte do cólon ascendente e íleo terminal".Será que ela está com algo muito grave?
----------

Você deve mostrar ao médico que solicitou. Qualquer resposta aqui é perigosa pois pode te confundir mais ainda!!!

@  (+ info)

vou fazer uma cirurgia de intestino para retirada de fibrose anelarde sigmoideno colo descendente?


houve também passagem de parte do contraste para o ileo terminal devido a incontinencia da valvula ileo cecal,sinais de colon catartico com doença diverticular.Estou super preocupada e gostaria de saber mais a respeito dessa cirurgia.obrigada e ficarei no aguardo de uma resposta se possívl
----------

acho que se talvez você pesquisar na google vc acha..
mas queria te desejar
Boa sorte ai viu ♥  (+ info)

O uso de Clomid caracterizará certamente uma gravidez???


Descartando a hipótese de neoplasias, cistos, obstrução de trompas, etc... Quero saber se a administração de Clomid é um tratamento certo para quem quer engravidar?
----------

Olha, varia muito de mulher pra mulher, minha
irma tomou e engravidou logo no primero ciclo,
ja comigo foi diferente, tomei por 2 ciclos e ainda nao
consegui engravidar, entao consulte se medico para
saber se vc realmente precisa tomar!
Boa Sorte querida!!!  (+ info)

Sobre o clomid, eh bom sempre ler a bula...?


Eu nao vou tomar isso nao...

olhem o q li na bula:
Pode ocorrer gestação multipla
Abortos chances de acontecer 19%
Gravidez ectópica 1,18%
Parto prematuro 1%
8 crianças de 7 partos nasceram com malformações congenitas
Elevação do risco de Sindrome de Down e Trissomia, fetos abortados espontaneamente
Neoplasias: miomas, tumores, hipofisários e de mamas


Alguem ainda tem coragem de tomar isso??
----------

Oi Dani!
muito boa a sua questão... mas o problema é que as mulheres q querem engravidar na maioria das vezes ficam "cegas" e tomam esses remédios até sem indicação, o que pode trazer grandes prejuizos a saúde...  (+ info)

O que é trombocitemia essencial?


A trombocitemia essencial pode estar entre as neoplasias malignas especificadas dos tecidos linfático, hematopoético e tecidos correlatos?
----------

A Trombocitemia Essencial, também denominada trombocitemia idiopática, trombofilia essencial ou trombocitose essencial, é uma desordem mieloproliferativa crônica, caracterizada por proliferação de megacariócitos na medula óssea (MO), levando ao aumento persistente de plaquetas circulantes. Além do número elevado de plaquetas (>600 x 109/L), essa doença é caracterizada por acentuada hiperplasia de megacariócitos na MO, esplenomegalia e um curso clínico caracterizado por episódios trombóticos e/ou hemorrágicos.

A incidência da doença é desconhecida apesar dos vários estudos epidemiológicos. A idade média no diagnóstico está entre 50 e 60 anos. É relatada trombocitemia essencial em crianças, mas é um achado extremamente raro (1).

Os mecanismos que levam à trombocitose ainda não são conhecidos, mas existem relatos de produção anormal quantitativa e qualitativamente de plaquetas oriundas de um clone de megacariócitos anormais.

Com relação às manifestações clínicas, aproximadamente 85% dos casos são assintomáticos, sendo o diagnóstico feito acidentalmente. O quadro clínico é muito variável, podendo ocorrer perda de peso, cefaléia, febre, sudorese, prurido, ataques isquêmicos transitórios, amaurose fugaz, angina, priapismo, abortamento no primeiro trimestre da gravidez e eritromelalgia (2, 3, 4).

O diagnóstico de TE, além de anamnese, exame físico, hemograma com plaquetometria, é confirmado por mielograma e biópsia de medula óssea.

A TE tem melhor prognóstico que as outras doenças mieloproliferativas, devido à baixa transformação leucêmica (<2,0%) em pacientes com TE não tratados.

Pacientes acima de 60 anos com TE associada a fatores de risco cardiovasculares e com história prévia de trombose devem receber terapêutica com a finalidade de diminuir o número de plaquetas, como hidroxiuréia, a-interferon, anagrelide e plaquetaférese. A aspirina é também droga de escolha para as complicações cerebrovasculares e isquêmicas da TE.

Descrevemos neste relato um paciente do sexo masculino com 71 anos, procedente de Fortaleza–CE, admitido em 03/04/2000, no Serviço de Cirurgia Vascular do HGCC, para submeter-se à revascularização do membro inferior esquerdo (MIE) devido à oclusão da artéria femural. Foi solicitado o parecer da Clínica Médica devido à plaquetose (1 630 x 109/L).

Antecedentes de amaurose bilateral por glaucoma há 14 anos e de internação no mesmo Serviço em 23/12/1996, por doença isquêmica periférica, tendo sido diagnosticado oclusão arterial aguda no MIE através de arteriografia. Foi submetido à embolectomia da artéria femural esquerda e fasciotomia, evoluindo com sangramento profuso no pós-operatório pela incisão cirúrgica.

Ao exame físico apresentava-se normotenso, afebril, anictérico, corado e com hiperemia de conjuntivas. Pulmões com roncos difusos e sibilos disseminados, bilateralmente. Abdome sem visceromegalias. Discreta atrofia e ausência de pulsos pediosos e poplíteo. Demais pulsos periféricos palpáveis e cheios.

Os resultados laboratoriais do paciente encontram-se nas tabelas 1 e 2. Os tempos de protrombina e tromboplastina parcial ativada foram normais. A investigação radiológica confirmou ausência de hepatoesplenomegalia constatada ao exame físico. A punção aspirativa de MO mostrou hiperplasia da série megacariocítica.Para confirmação diagnóstica, o paciente foi submetido à biópsia de MO que revelou medula discretamente hipocelular e aumento da série megacariocítica.

Atualmente está em tratamento quimioterápico com hidroxiuréia (Hydreaâ) e com contagem de plaquetas normal (225 x 109/L).

A TE é doença mieloproliferativa clonal originária da stem cell. Com o advento dos contadores automáticos, pacientes assintomáticos com trombocitose vêm se tornando um desafio freqüente. A trombocitose (> 450 x 109/L) ocorre em duas situações: a trombocitose reacional (TR) e a trombocitemia. A TR está relacionada ao aumento de interleucina-6, como resultado de doenças infecciosas e inflamatórias crônicas e neoplasias (5). Outras etiologias da TR são: anemia ferropriva, estados hemolíticos, síndromes mielodisplásicas (anemia refratária com excesso de blastos, síndrome do 5q- e esplenectomizados6). A TE pode estar associada com outras doenças mieloproliferativas crônicas, como a leucemia mielóide crônica (LMC), a policitemia vera (PV) e a mielofibrose primária (MP) (3).

A distinção entre TE e TR é clinicamente relevante por causa das complicações trombóticas, hemorrágicas ou ambas (7) e também das consideráveis variações no prognóstico.

Na TE, os eventos trombóticos podem ocorrer em quase todo o sistema vascular, dando surgimento a uma grande variedade de alterações isquêmicas oculares, cardíacas, neurológicas e periféricas. As complicações mais freqüentes incluem isquemia digital, eritromelalgia, isquemia cérebro-vascular e coronariana, síndrome de Budd-Chiari e abortos espontâneos de repetição (2, 3, 4). Envolvimento das mãos e/ou pés, simulando neuropatia diabética é comum. A hepatomegalia é encontrada em apenas 16% e a esplenomegalia, em 38% dos pacientes (6). Além disso, o consumo de plaquetas e a trombose plaquetária é descrita como causa de pré-eclâmpsia e retardo do crescimento fetal.

Com o estudo da ferrocinética, massa eritrocitária, mielograma, biópsia óssea e citogenética, a TE pode ser diferenciada da LMC, PV, MP e TR.

A hidroxiuréia é a droga de primeira linha em pacientes com TE e história de trombose, isquemia cérebro-vascular ou digital. É também indicada em pacientes assintomáticos com risco de complicações hemorrágicas, incluindo aqueles com idade avançada (60 anos), associados a riscos cárdio-vasculares ou extrema trombocitose. Os principais efeitos colaterais incluem leucopenia, macrocitose, alterações cutâneas (hiperpigmentação, rash maculopapular, atrofia de pele, úlceras e pápulas violáceas), náuseas e vômitos (5). O anagrelide e o a-interferon são drogas de segunda linha no tratamento da TE.

Concluímos enfatizando que a trombocitemia essencial é doença grave e potencialmente fatal. Pode ser a etiologia de episódios de dor intensa localizada, secundária a episódios trombóticos. Na grande maioria dos casos o diagnóstico é feito acidentalmente pelo achado laboratorial de plaquetose. O diagnóstico e tratamento precoces são primordiais para que se obtenha bom prognóstico.  (+ info)

Realizei um exame CA 15-3 o resultado foi 12,5 U/ml?


Tive um câncer de mana, faz uns 15 anos estou realizando algum exames de rotina pois já faz muito tempo que não faço.Fiquei preocupada, pois CA 15-3 tem uma obs Atenção para a alteração de valores de referencia 11,2 em 21/02/2009 efetuei agora no mês 05/2010 exame recente resultado 12,5 U/ml.Outra Nota: marcador tumoral utilizado no acompanhamento de neoplasias mamarias.Foi feito também uma citologia oncotica conclusão Classe II, Adequação da amostra satisfatória p/avaliação:ausência de componentes endocervicais zona transf.diagnostico alterações reativas benignas em células escamosas.
----------

seu resultado foi normal para a marcação tumoral. o valor normal é até 30. parabens por ter superado um cancer e estar bem agora. fico feliz em saber, tenho na familia varias pessoas que tiveram e só uma se tb conseguiu sobreviver. pode ficar tranquila quanto este resultado  (+ info)

por favor!!!me ajudem, quem entende do resultrado do preventivo,?


quero saber se é muito grave o resultado do meu preventivo:
deu no resultado do preventivo isso aqui:
Epitélios representados na amostra:Escamoso,glandular,metaplásico.
microbologia:lactobacilos sp.
conclusão: lesão intra epitelial de alto grau ( compreendendo neoplasias intra epteliais cervicais graus II E III.
O que significa isso?
----------

Amiga, significa que você deve levar logo esse resultado ao médico. Provavelmente ele pedirá a biopsia. Boa sorte.  (+ info)

Sobre resultado de Exame?


Biópsia de íleo terminal (Inflamação crônica com áreas de hiperplasia linfóide no córion.
Biópsia de intestino grosso (Polipo adenomatoso de padrão tubular, com áreas de hemorragia superficial.
Colonoscopia - Ileíte terminal (Biópsia)
Pólipo de reto (polipectomia)
Demais segmentos dentro da normalidade.
Trânsito intestinal
Flebólitos em pequena bacia.
Ultra-sonografia abdomen total (Calcificação em parênquima hepático, Vesicula biliar murcha).
----------

O que você quer ?  (+ info)

Dores Na Região da Bunda?


Bom pessoal estou gravida de 3 meses e a pouco mais de um mês eu estou sentindo umas dores na região da bunda, quando eu ando doi muito sinto como se tive-se algum osso fazendo atrito com outro mais fiz uma perquisa e na região onde sinto as dores o osso é inteiro (íleo),quando eu piso no chão doi muito, quando eu me agaicho doi muito, quando deito e me levando doi também muito, alguel já sentiu essa dor ou pode me esclarecer?
----------

Na gravidez, o corpo sofre modificações que podem causar dores nas costas e na área dos quadris, dificultando até movimentos simples como se sentar, se agachar e andar. A osteopatia elimina a origem do problema a partir do reequilíbrio de ossos, músculos de sustentação e ligamentos

dores na gravidez podem ter origem num problema comum nesta fase: a síndrome de Lacomma. Ela tem várias causas, como deficiência de vitaminas D, B, B6 e excesso de secreção de relaxina, substância que atua nos músculos e ligamentos. Nesses casos, a gestante se queixa de dores articulares pélvicas (inclusive glúteos) e na região lombar e sacro, apresentando dificuldades para sentar-se ou se levantar.

- Esta síndrome se manifesta com mais freqüência a partir do sexto ou sétimo mês de gravidez. Por isso, aconselhamos as grávidas a consulta a um osteopata no início da gravidez, no sexto mês e antes do parto. O parto será mais fácil se o quadril estiver equilibrado -  (+ info)

Sobre tumor neuroendócrino de reto distal...dúvidas?


Em 11/4, fiz uma colonoscopia que teve retirada de um pólipo de 0,5 cm. Para minha infelicidade, esse pólipo era um tumor neuroendócrino bem diferenciado (tumor carcinóide). Foi feita a análise imunohistoquímica desse tumor, que deu Ki-67 inferior a 2%, cromogranina negativo e sinaptofisina positivo. Até hoje, não estou esclarecida a respeito disso. Fiz apenas a retirada desse tumor na colono, nenhum tratamento complementar porque meu médico disse não ser necessário (após nova colono em 23/5, negativa para pólipos, tomografia e exames de sangue de CA sem anormalidades). Estou com medo do problema se agravar, pois tenho sentido dores no reto (não sei se é por causa da inflamação no íleo e no reto que possuo, que, aliás, meu médico tb disse não precisar de tratamento por ser uma doença leve, o que acho absurdo! Vou em outro médico amanhã). Outra dúvida é: esse tumor tem características malignas ou benignas (nem com a imuno ficou esclarecido). Além do que eu citei acima, as células eram semelhantes à mucosa intestinal, sem atipias e sem figuras de mitose. Será que algum especialista poderia me ajudar?

Obrigada!
----------

Em caso de tumores neuroendócrinos (tumor carcinóide) não existem marcadores seguros para se afirmar se o tumor é ou não maligno em muitos casos. Não é insegurança do seu médico nem de quem fez o exama anatomopatológico, que por sinal foi bem investigado com o que há de melhor em qualquer parte do mundo. Esses tumores são imprevisíveis. No entanto, os dados parecem indicar a possível direção do tumor que é a benignidade. Acho que você deve ficar com este mesmo médico, pois ele tem mais conhecimento sobre o que vc tem. Não foi ele que removeu o pólipo? Os dados sobre a localização precisa do tumor, o seu tamanho são dados tão importantes para a definição da malignidade quanto a imuno-histoquímica.
Sobre as dores provavelmente têm a ver com a cirurgia e não com recidiva. Esse tumor, como vc disse, era polipóide. Só a mucosa é lesada no ponto de remoção sem maiores danos. A recidiva dele daria outras alterações. Não sei se vc teve síndrome carcinóide. Se teve, uma das alterações que poderiam ocorrer, no caso de recidiva, seria o retorno da síndrome.
Em suma, nenhum patologista aqui no YR (eu sou Patologista e acho que não há nenhum outro respondendo) lhe dará mais detalhes sobre ser Benigno ou Maligno do que já foi definido no caso.
Sinto talvez decepcioná-la, mas eu não posso ser leviano e dizer além do que conheço sobre o caso.
Boa sorte, mas fique tranquila quanto a recidiva, impressão baseada apenas na presença de dor.
Abraços.  (+ info)

1  2  3  4  

Deixa uma mensagem sobre 'neoplasias do íleo'



Não avalia ou garante a precisão de qualquer conteúdo deste site. Clique aqui para ler o termo de responsabilidade.

Última atualização: Setembro 2014