FAQ - eritema
(Powered by Yahoo! Answers)

Quem conhece a doença de pele chamada eritema multiforme?


Gostaria de saber se é uma alergia ou doença de pele e se tem cura?
----------

Nomes alternativos:
síndrome de Lyell, síndrome de Stevens-Johnson, necrólise epidérmica tóxica

Definição:
Distúrbio da pele resultante de uma reação alérgica.

Causas, incidência e fatores de risco:
O eritema multiforme é um tipo de reação de hipersensibilidade (alérgica) que ocorre em resposta a medicamentos, infecções ou doenças. Os medicamentos associados ao eritema multiforme incluem as sulfonamidas, as penicilinas, os barbitúricos e a fenitoína. Infecções associadas incluem o herpes simples e as infecções por micoplasma.

A causa exata é desconhecida. Acredita-se que o distúrbio envolva danos aos vasos sangüíneos da pele, com danos subseqüentes aos tecidos cutâneos. Aproximadamente 90% dos casos de eritema multiforme estão associados ao herpes simples ou a infecções por micoplasma. O distúrbio ocorre, principalmente, em crianças e adultos jovens.

O eritema multiforme pode apresentar-se como uma lesão da pele clássica com ou sem sintomas sistêmicos (em todo o corpo). Na síndrome de Stevens-Johnson, os sintomas sistêmicos são graves e as lesões extensas, envolvendo várias áreas do corpo (especialmente as membranas mucosas). A necrólise epidérmica tóxica (síndrome de TEN ou síndrome de Lyell) envolve várias vesículas grandes (bolhas) que aglutinam-se, seguidas pelo esfacelamento de toda ou da maior parte da pele e das membranas mucosas.
e por tratar-se de uma doença auto-imune há paliativos  (+ info)

Quem conhece a doença eritema multiforme,gostaria de saber de um dermatologista ou alergista se tem cura?


Pois sofro com este problema há 8 anos ,e estou desesperada porque quando penso que to curada o problema volta,agradeço desde já
----------

Ola,
O eritema multiforme é um distúrbio caracterizado por áreas hiperemiadas e elevadas da pele que freqüentemente são semelhantes a alvos e, geralmente, são distribuídas simetricamente por todo o corpo. É provável que mais de 50% dos casos sejam causados pelo herpes simples. No restante dos casos, as causas possíveis incluem praticamente qualquer medicamento (mais freqüentemente as penicilinas, os antibióticos contendo sulfa e os barbitúricos) . Raramente, certas vacinas causam o eritema multiforme.
O eritema multiforme produz marcas vermelhas, redondas e planas, distribuídas igualmente nos dois lados do corpo. Essas áreas vermelhas podem formar anéis concêntricos escuros com centros de cor púrpura-acinzentado (lesões em alvo ou em íris). Às vezes, as áreas hiperemiadas são pruriginosas. O indivíduo com eritema multiforme pode apresentar herpes febril (ou pode ter apresentado previamente), cansaço, dores articulares e febre. Os episódios de eritema multiforme podem durar 2 a 4 semanas, podendo recorrer no outono e primavera durante vários anos.
O tratamento geralmente, o eritema multiforme cura espontaneamente, mas a síndrome de Stevens- Johnson pode ser fatal. Procure um médico o qual deve tentar tratar qualquer causa infecciosa ou deve eliminar qualquer medicamento suspeito de ser o responsável. Quando a causa suspeita do eritema multiforme é o herpes simples, o aciclovir oral é geralmente prescrito. As bolhas ou úlceras cutâneas comumente são recobertas com compressas embebidas com água corrente.
Nos casos recorrentes, ( como é o seu caso) os corticosteróides orais podem ser utilizados, E oo menor sinal de infecção, antibióticos são prescritos.
Procure um dermatologista pra que isso se resolva...quando prolonga-se por muito tempo pode tornar-se na síndrome de Stevens- Johnson a qual pode ser fatal.
Boa Sorte! Melhoras!  (+ info)

Tenho Eritema Nodoso e gostaria de saber quais são os tratamentos alternativos prara essa doença?


Sofro de dores e inchaço nas pernas mal consigo andar...socorro me ajudem?
----------

Recomenda-se descanso para aliviar a dor nodular e, em alguns casos, a Aspirina demonstra grande eficácia no tratamento da doença. Os nódulos podem ser tratados de forma individual com aplicações de corticosteróide ou de forma geral através de comprimidos de corticosteróide.

Se quer algo alternativo consulte um médico homeopata.  (+ info)

ola tenho eritema nodoso qual o tratamento?a alimentação tb causa o eritema nodoso ?


Amiga, o Eritema nodoso é considerado como sendo uma resposta imunológica e uma variedade de antígenos tem sido implicada. Pode servir como marcador de doenças sistêmicas, como Tuberculose, Sarcoidose, Doença Inflamatória Intestinal e Linfoma. A conduta terapêutica requer a investigação das causas mais freqüentes e o seu tratamento específico, além da adoção de medidas paliativas que atenuem os sintomas decorrentes do processo inflamatório. A alimentação só poderá causar eritema nodoso se se tratar de um processo alérgico. É bom evitar os alimentos conhecidamente remosos, como frutos do mar, carne de porco, etc. Boa sorte.  (+ info)

quero sabe se Eritema anular centrífugo é trasmissivel e se tem cura como de ser o tratamento?!?


minha mãe apareceu com essa doença de pele e estrar muito preocupada! ñ soh ela, mas todos nós da familia qria saber se alguém sabe sobre essa doença e se poderia nos ajudar com informações?!
----------

O eritem anular centrífugo é de etiologia desconhecida. Alguns casos não apresentam causa aparente e outros podem estar associados a hipersensibilidade a medicamentos, infeções fúngicas, virais, alguns alimentos, doenças autoimunes, hepatite ou doenças neoplásicas como o linfoma. O tratamento depende da identificação e remoção da causa. Corticóides tópicos podem ser ineficazes. O curso da doença é variável e pode durar semanas,meses ou anos.FUNDAMENTO - Eriitema anular centrífugo (EAC) é dermatose pouco comum, com etiologias variadas e necessidades de investigação.
OBJETIVO - Estabelecer a correlação clínica, epidemiológica e comparar os achados com a literatura.
PACIENTES – Estudo retrospectivo de dez pacientes, realizado no ambulatório de Dermatologia da Universidade Federal do Paraná e consultório privado, no período de agosto de 1986 a outubro de 1993.
RESULTADOS - Apesar de o diagnóstioco clínico ser fácil, há dificuldade de se estabelecer a etiologia, sendo necessária investigação clínica e laboratorial básica.

Palavras-chave: ERITEMA ,


INTRODUÇÃO
EAC denota um grupo de erupções caracterizadas por lesões eritematosas, anulares, descamativas, com centro claro e de crescimento lento.1

Darier, em 1916, foi quem primeiro usou esse termo, embora erupções similares tenham sido descritas, sob uma variedade de outros nomes, como eritema exsudativo perstans, eritema marginatum perstans, eritema figuratum perstans, eritema microgiratum perstans, e eritema simples giratum.1

Podem associar-se a: 1. infecções: fungos (pitirosporo), leveduras (Candida sp.),1 vírus (Epstein-Barr,2 molusco contagioso),3 bactérias (estreptococos, turbeculose, infecções dentárias),4 parasitas intestinais; 2. alimentos: queijos contaminados por Penicilium,2 tomates;4 3. drogas: cloroquina, hidroxicloroquina, compostos estrogênicos, cimetidine, penicilina, salicilatos, piroxican, hidroclortiazida, clortiazida, triantereno, furosemide, ácido etacrínico, aldactone, ampicilina, meticilina, auranofin, aurotioglucose, ouro e penicilina;4 4. doenças inflamatórias / auto-imunes: IgA linear,5 lúpus eritematoso,6 anemia hemolítica, poliarterite crônica, artrite reumatóide,6 doenças da tireóide;7 5. neoplasias / doenças hematológicas: discrasias sangüíneas,8 doença de Hodgkin,2 doença não Hodgkin, leucemia mielóide aguda, leucemia linfocítica crônica, mieloma múltiplo,9 carcinoma de próstata, carcinoma pulmonar,3,10 carcinoma espinocelular, carcinoma de nasofaringe, síndrome hipereosinofílica; e 6. outras: doença hepática (cálculo biliar).1 Dorit Shpiro et al.2 relatam que a doença de Hodgkin está associada com vírus de Epstein-Barr, assim como EAC, sendo esse vírus agente comum para ambas as doenças. M. Zultac et al.9 discutem a natureza imunológica do EAC e indagam a antigenicidade cruzada entre pele e tumor, e a fixação de, haptenos tumorais em pele.

O provável mecanismo é de hipersensibilidade cutânea a diversos agentes. Haveria interações de células inflamatórias e seus mediadores a substâncias como antígenos estranhos (virais, bacterianos, tumorais etc.).9

Clinicamente, inicia-se com pápulas urticariformes, que aumentam, formando figuras anulares, policíclicas, que avançam na periferia e clareiam no centro. Às vezes desapa­recem e dão lugar a outra lesão. Podem ser pruriginosas e descamativas.11,12

A evolução da doença é variável, na maioria das vezes recidivante e de desaparecimento espontâneo ou após o tratamento da doença de base, ou retirada da droga.

O diagnóstico diferencial pode incluir eritema crônico migratório (doença de Lyme); critema gyratum repens; eritema necrolítico migratório; eritema marginatum; eritema anular familiar; lúpus neonatal; urticária; tinea corporis; eritema multiforme; psoríase, forma anular; penfigóide bolhoso fase urticariforme; granulotna anular;10,11 erupções pré-micose fungóide; sarcoidose anular; hanseníase; tripanossomíase; pitiríase rósea atípica; eczemátide e dermatite seborréica.12

Na histologia13,14 há dois tipos, o clássico profundo, e o superficial. O clássico profundo ou endurecido, descrito por Darier, mostra infiltrado celular com disposição perivascular em manguito, nas porções intermediária e inferior da derme, composto de células monomorfonucleares, predominantemente linfocitário. Na forma superficial, a histologia é inespecífica, com ligeiro infiltrado inflamatório linfo-histiocitário perivascular superficial, leve espongiose com microvesiculação e paraceratose focal.

Foi realizada revisão de dez casos de EAC diagnos­ticados no Serviço de Dermatologia da UFPR e consultório privado, e feita correlação clínica, epidemiológica e etiológica.

PACIENTES E MÉTODOS
O estudo retrospectivo de pacientes portadores de EAC inscritos no Ambulatório de Dermatologia do Hospital de Clínicas e em consultório privado no período de 1986 a 1995 (Tabela 1) foi realizado pela análise epidemiológica, de manifestações clínicas, etiologia, histopatologia e doenças associadas.

RESULTADOS
Dos dez pacientes analisados, a idade variou de 14 a 62 anos, com média de 36,5 anos. Todos eram brancos e houve predomínio do sexo feminino (80%).

O tempo de evolução da doença variou de duas semanas a vinte anos, a maioria dos casos (90%) era recidivante.

A localização das lesões ocorreu em cinco pacientes de forma disseminada (50%); em dois pacientes, em membros inferiores (20%); em um paciente, em flanco e nádega (10%); em um paciente, em coxa e punho (10%); e em um paciente, em face (10%).

A sintomatologia foi de prurido ou ardência em cinco deles (50%), e os demais, assintomáticos.

A anamnese dos pacientes evidenciou uso de drogas (hidroclorotiazida, ácido acetil salicílico, anticoncepcional hormonal oral), outras dermatopatias (dermatite de contato, urticária, atopia), e doenças não cutâneas (otite de repetição, hiperfreoidismo, infecção dentária e leucemia).

A investigação laboratorial foi feita em quatro pacientes com hemograma, VHS, VDRL, glicemia, TGO, TGP, T3, T4, TSH, e exame parasitológico de fezes. No portador de otite de repetição - paciente número quatro - os exames foram normais. No paciente número cinco, havia aumento de 73, T4, sendo decidido apenas acompanhamento clínico, já que TSH era normal. No paciente número nove, portador de leucemia mielóide aguda, os exames realizados foram: hemograma (compatível com a doença de base); anti-HBC positivo; eletrólitos, proteínas totais e frações, e função hepática, normais; e LDH aumentado. Foi realizada biópsia com confirmação histológica de EAC em oito pacientes (Figura 1).

No portador de leucemia (Paciente n° 9), o desaparecimento foi após o início da quimioterapia, mas o mesmo evoluiu para óbito após cinco meses (Figura 2). No paciente número 10 (Figura 3), foi suspensa a medicação (hidroclorotiazida), mas não houve desaparecimento das lesões mesmo com a retirada da droga.

DISCUSSÃO
A idade média dos pacientes foi 36,5 anos, concordando com a literatura.12

Houve predomínio do sexo feminino e da raça branca. Não há, na literatura consultada, preferência por sexo, cor ou faixa etária.10,11

O tempo médio do início da doença foi de aproxi­madamente quatro anos (de duas semanas a vinte anos), em nove pacientes, provavelmente por procura tardia. Quanto à localização houve predomínio do tronco, assim como na literatura consultada.15

A sintomatologia foi de prurido em metade dos casos, bem como nos relatos da literatura.1,3,5,8,10

Quanto às associações, encontrou-se em todos doença ou droga, mas não se conseguiu, na maioria deles, fazer sua correlação como causa do EAC. A que ficou mais evidente foi a paciente com leucemia mielóide aguda que, após o tratamento, apresentou desaparecimento das lesões, embora referisse ter tido a mesma lesão cutânea com desaparecimento espontâneo há um mês.

Os dados não são concordantes com a literatura no que diz respeito às causas prováveis, pois os casos publicados são relatos de encontro de causa, enquanto este trabalho foi de revisão de prontuários.

John M. Mahood, em revisão de 24 casos, observou que a incidência na população estudada não é rara. Conclui que a associação com malignidade existe, mas é pouco comum, sendo publicados apenas os casos raros. Assim, a investigação diante de EAC deve ser básica, mas não exaustiva13 como no eritema gyratum repens (mais fortemente associado à neoplasia).

Histologicamente, como já comentado, há o tipo superficial e o profundo (clássico); entretanto, essa subdivisão não auxilia a identificação de possível agente etiológico.

Embora o diagnóstico etiológico do EAC seja difícil, a associação com algumas patologias é evidente. Nas neoplasias associadas, é importante descartar a infiltração cutânea pela doença. Nos casos que precedem a doença, é importante investigar a patologia associada.

Concluiu-se também que, pela importância de doenças associadas, diante de EAC deve-se sempre fazer investigação clínica e laboratorial básica, com hemograma, função hepátia, análise tireoidiana e raio-X de tórax.c!  (+ info)

Alguém já teve doença de pele eritema endurado de bazin ???


Eritema Endurado ou Indurado de Bazin, é um processo no qual ocorrem nódulos de caráter inflamatório localizados preferencialmente na parte posterior das pernas, com tendência a ulceração.
Algumas vezes, relaciona-se com tuberculose.
Deve ser confirmado com exame histopatológico (biópsia), positividade no PPD e encontro do bacilo ou seu cultivo.  (+ info)

Gostaria de saber se eritema multiforme tem cura?


Pois já fazem 6 anos que estou com esse problema,o médico diz que é reação alérgica de algum medicamento, apesar de que desde q fiquei sabendo disso,nunca mais tomei remédio nenhum, e mesmo assim continuo com essa reação , então eu tomo prednisona direto e agora estou tomando aciclovir também, pois já tive herpes há muito tempo atrás e a médica disse q pode ser virus de herpes, o q vcs acham q estou num bom caminhoou devo procurar outro médico?
----------

Eritema multiforme é uma reação de hipersensibilidade que pode ter várias causas : alérgica , geralmente por medicamentos , pricipalmente analgésicos e antinflamatórios
infecciosa : por bactérias ou vírus , mas a mais frequente é a Hanseníase
reumática : associada a doenças reumáticas , como Lupus
Procurar outro médico é sempre uma opção válida quando vc não se sente muito seguro com o profissional que vem lhe acompanhando.  (+ info)

o que pode ser eritema nodoso somente nas pernas tipo furúnculo mas que somem e deixam mancha roxa e esquenta


Eritema nodoso é uma doença auto imune, quer dizer que o seu organismo produz um excesso de anticorpos que causam inflamaçoes na pele e subcutaneo. Os sintomas podem ser esses que voce refere e normalmente é mais comum nas pernas.  (+ info)

o que e eritema nodoso gostaria de resposta?


SÃO NODULOS OU SEJA CAROÇOS Q DOEM UM TIPO DE LESÃO  (+ info)

como fazer para eliminar a dor de eritema nodoso?


O tratamento é feito com alguns Antiinflamatórios, a fim de diminuir as dores e também a febre. Mas, é importante tratar a doença de base, que leva ao tal eritema. Do contrário, ele pode voltar. Assim o tempo de tratamento depende da causa.
(*Dependendo da causa, pode ser considerado ou contra-indicado o uso de Corticóides).

É uma inflamação subcutânea. Além de Dolorosa, a região fica avermelhada (Eritema) e inchada (Nodosa).

Ocorre principalmente na perna (na face tibial). O mais comum é resolver entre 2 ou 3 meses, sem deixar cicatrizes.

Tem como causas principais: Tuberculose (nos países em Desenvolvimento). Infecções pós Streptococcus ssp, Hanseníase e Outras infecções (Bactérias, Vírus e Fungos). Doenças Intestinais, Sarcoidose, Linfoma e Alergias à medicamentos.

Assim, dependendo da Doença de base, o tratamento pode ser mais demorado ou mais breve.  (+ info)

1  2  3  4  5  

Deixa uma mensagem sobre 'eritema'



Não avalia ou garante a precisão de qualquer conteúdo deste site. Clique aqui para ler o termo de responsabilidade.

Última atualização: Setembro 2014