lookfordiagnosis.com
English
Spanish
Italian
Portuguese
French
Swedish

FAQ - atelectasia
(Powered by Yahoo! Answers)

o que significa fisiopatologia de uma doença?


ou melhor a fisiopatologia da atelectasia pulmonar
----------

RESUMO

O presente trabalho apresenta uma revisão bibliográfica acerca da eficácia da utilização da sustentação máxima inspiratória (S.M.I.) na prevenção da mais comum complicação no período pós-operatório, seja de cirurgia torácica ou abdominal, que é a atelectasia. Tem como finalidade mostrar como se dá esse processo, bem como esclarecer os verdadeiros benefícios da S.M.I. para os pacientes considerados de risco para o desenvolvimento de complicações no período pós-operatório.

PALAVRAS CHAVES: Sustentação Máxima Inspiratória, Terapia de incentivo, Inspirômetro, Atelectasia, Prevenção, Pós-operatório, Hiperinsuflação alveolar.


INTRODUÇÃO:

Os recursos cinésicos aplicados na década de 1970 eram principalmente exercícios que motivavam a fase expiatória, como, por exemplo, soprar luvas ou contra um frasco contendo água ou transparência de água de um frasco para outro (espirometria de transferência). Porém, na atualidade, estes métodos foram superados pelo uso da inspirometria de incentivo, com sua aplicação bem definida como recurso terapêutico que possibilita a insuflação pulmonar, restaurando volumes e capacidades pulmonares. Sua maior aplicação é no pós-operatório de cirurgias cardíacas, pulmonares e abdominais (AZEREDO, 2002).


É muito comum que após cirurgias cardíacas, pulmonares ou abdominais o paciente seja submetido a ventilação mecânica. Diversos problemas respiratórios no pós-operatório são resultados desta intervenção, levando a um aumento do trabalho respiratório (WR), com decréscimo dos volumes pulmonares, tais como volume corrente (VC), volume de reserva inspiratória (VRI) e volume de reserva expiratória (VRE), cuja magnitude varia de acordo com a evolução clínica.


Além disso, uma série de complicações clínicas podem ocorrer com freqüência, culminando em alterações gerais ou locais que contribuem significativamente para a morbidade e a mortalidade, principalmente naqueles pacientes ditos de risco no pré-operatório, como: pacientes com idade avançada, história de tabagismo, obesidade, debilitação generalizada ou má nutrição, infecções corriqueiras e distúrbios cardiovasculares e pulmonares.


Com tantas alterações, a atuação da fisioterapia tanto no pré-operatório, quanto no pós-operatório é de fundamental importância. Portanto, se faz necessário amplo conhecimento dos parâmetros básicos de pré e pós-operatório para que possam ser avaliadas as perdas sofridas pelo paciente. Diante do pós-operatório, encontram-se bem estabelecidos os princípios básicos da intervenção fisioterapêutica, dentre eles: expandir o tecido pulmonar, evitar o colapso e a consolidação pulmonar, promover a eliminação das secreções brônquicas, evitar complicações circulatórias, eliminar ou diminuir a dor, evitar a imobilização diafragmática e prevenir a diminuição da capacidade residual funcional (CRF) (AZEREDO, 2002).



SUSTENTAÇÃO MÁXIMA INSPIRATÓRIA:

A sustentação máxima inspiratória é uma técnica de espirometria de incentivo, pesquisada e lançada nos Estados Unidos, no ano de 1976, idealizada por Bartlett e Edwards.


A S.M.I. caracteriza-se por ser uma das técnicas de terapia de incentivo a grande volumes, cujo objetivo principal é a hiperinsuflação alveolar ou a reinsuflação de alvéolos colapsados, pelo aumento da pressão transpulmonar (Pl) e da capacidade residual funcional (CRF) (BARNES, 1994).


A técnica de aplicação consiste em instruir o paciente a realizar um trabalho ventilatório, o qual caracteriza-se por uma inspiração ativa e forçada, que precisa ser sustentada por um determinado intervalo de tempo, mensurado em segundos, que pode ou não ser preestabelecido pelo fisioterapeuta, em qualquer etapa da atividade terapêutica. Isto ocorre através de aparelhos conhecidos como inspirometros de incentivo, os quais podem ser: a fluxo, onde o fluxo inicial é turbulento (variável em função do tempo), gerando alterações no trabalho ventilatório, que alteram o padrão de ventilação durante o exercício. Porém, pode causar tosse e dor; ou a volume, que é mais fisiológico, devido ao volume de treinamento ser constante até que atinja a capacidade inspiratória máxima, sem que haja aumento do trabalho respiratório (AZEREDO, 2002).


Para que seja possível e bem realizada a técnica, o paciente deve estar lúcido, orientado no tempo e no espaço, cooperativo, motivado, de preferência sentado ou em posição confortável e apresentar como parâmetros mínimos: volume corrente (VC) > 5ml/Kg, capacidade funcional vital (CFV) > 15ml/Kg, capacidade inspiratória (CI) > 12ml/Kg e freqüência respiratória (FR) > 25crpm. A inspiração, preferencialmente, deve ter início a partir do volume residual (VR), já que é nesse momento que as fibras dos músculos respiratórios tendem a estar mais distendidas e, portanto, exige uma atividade significativa da musculatura respiratória global. Deste modo, a inspiração é feita no incentivador por via oral, ativa e profundamente, sendo rápida no seu início e mantida ao fi  (+ info)

suzi - meu filho tem 03 anos, deficiência de IGA, baixa imunidade e adenóide o que fazer? ?


há 04 meses usando antibioticos, para amigdalite, otite, sinusite, pneumonia, esteve inclusive internado tenho medo de opera-lo pois a secreção nunca melhora, já esta diagnosticado inclusive atelectasia, não sei o que fazer e tenho urgencia em resolver, sem contar que existe uma deficiencia de imunidade baixa IGA.
----------

achei resposta para alguns problemas. com medicos especialista no saite do doutor drauzio varela.  (+ info)

duvida raio x, sera que algum medico poderia me ajudar?


Fiz um raio x e teve como laudo

RX TORAX PA/PE

Faixa de atelectasia laminar na base do pulmão esquerdo
Elevãção da hemi-cupula diafragmatica desse lado esquerdo
Pulmões restantes de transparencia normal
Hilos sem alterações
Seios Costo frenicos livres
Aumento dos dimetros cardiacos
Esternorrafia

a resposta correta ganhara os 10 pontos. obrigado
----------

Oi.
Bom, pulmões restantes de transparência normal, hilos sem alterações, seios Costo frenicos livres são normais.
Acredito você tenha feita uma cirurgia cardíaca ou pulmonar, e isso explica o aumento do diametro cardiaco e também a atelectasia laminar na base do pulmão esquerdo e a consequente elevação do diafragma do lado esquerdo.
Na atelectasia laminar de base, que é o tipo mais comum de atelectasia pós-operatória, a radiografia de tórax vai mostrar estrias horizontais na base pulmonar.
Mesmo assim, sem conhecer seu quadro diagnóstico, fica difícil apenas interpretar o Raio x, entende?
O que posso te explicar é que atelectasia é um colpaso, ou seja, a parte da base do pulmão está "murcha"...
Espero ter ajudado você
Boa sorte.  (+ info)

Ajuda na interpretação de exames?


TC Tórax de paciente so sexo feminino, que era grande tabagista há 5 anos, portadora de obesidade mórbida, hipertensa, apresenta: Baqueteamento digital em MMSS e MMII, cianose periférica, febre constante <38-39ºC>, dispinéia de esforço, tosse produtiva e hemoptise.


Formação expansiva com atenuação de partes moles, apresentando contornos lobulados e espiculados, exibindo impregnação após administração endovenosa do meio de contraste. A referida lesão está localizada no segmento posterior do lobo superior do pulmão direito, estendendo-se até a região do lobo superior ipsilateral. Mantém ainda íntima relação com a porção distal da veia cava inferior. Medidas estimadas 6,0 x 6,0cm.
Observa-se ainda, outra imagem com as características semelhantes no segmento basal anterior do lobo inferior do pulmão direito, associado a pinçamento pleural, medindo cerca de 4,5cm.
Atelectasia parcial do lobo superior do pulmão direito.
Restante do parênquima pulmonar com atenuação normal.
Aorta ateromatosa e com calibre normal.
Não observados sinais de linfonodomegalias mediastinais.
Discreto espessamento pleural na base do hemitórax direito.
Não evidenciamos coleções líquidas no espaço pleural.
As alterações acima descritas podem estar relacionadas a lesão de natureza broncogênica.
A possibilidade de implante secundário pulmonar ou lesão satélite deve ser considerada em primeira linha diagnóstica.

ECO (alterações)

Dilatação discreta do AE e VE.
Hipertrofia discreta das paredes do VE.
A dilatação de câmaras cardíacas esquerdas pode corresponder ao aumento do volume plasmático encontrado em obesos.


Sou acadêmica de enfermagem estou no 1º Período, esses exames são de minha mãe.
A explicação pode ser simples ou complexa, preciso convencer minha mãe que o tratamento é importante para a manutenção da qualidade de vida
Minha mãe é evangélica, assiste ao Show da Fé e esse é um dos motivo pelo qual ela não aceita o tratamento.
Creio em Deus acima de todas as coisas e em Cristo Jesus como meu Senhor e Salvador (espiritual).
Deus nos deu o advento da medicina para que ela fosse utilizada e não para que fosse menosprezada e o próprio Missionário R.R. Soares incentiva os seus seguidores a fazerem uso da medicina.
Fábio, procure discernimento na palavra... Não é denominação A, B. ou C que salva, é DEUS.
----------

ECO (alterações)

Dilatação discreta do AE e VE.
Hipertrofia discreta das paredes do VE.
A dilatação de câmaras cardíacas esquerdas pode corresponder ao aumento do volume plasmático encontrado em obesos.
isso ja era pra ser motivo.dano cardiaco iniciando sem falar que ela já é candidata a DPOC(pelo peso).  (+ info)

Conhecem um site chamado naw.born em inglês? Como posso aceessá-lo?


como posso acessar este site chamado naw.born?
preciso pesquisar sobre a reversão da atelectasia em recém nascidos. Alguém poderia me ajudar, indicando-me algum artigo sobre o assunto?
----------

digite no navegador o nome do site que levará você até ele  (+ info)

' Resultado de Raio X ?


Gente peguei hoje o resultado de um raio x, e está da seguinte maneira.
-Discretas Atelectasias lobo inferior do Pulmão Esquerdo
- Área Cardíaca Normal
- Seios Costo Frênicos Livres.
Alguém que entenda do assunto,Quer dizer que meu exame ta normal ? é pq fiquei encucada com a Primeira opção lá da Atelectasia
Não me mandem mostrar ao medico,pois Só tenho consulta medica,semana que vem,tô ansiosa com esse resultado.
DETALHE,NO DIA DO EXAME EU ESTAVA COMPLETAMENTE GRIPADA, COM O NARIZ ENTUPIDO, SERÁ Q PODE TER SIDO ISSO ?
----------

"Atelectasia" ou "colapso pulmonar" é uma complicação respiratória, que acontece pela obstrução de um brônquio, ou até do pulmão inteiro, e pode ser causada por secreção, por um objeto ou qualquer corpo sólido que atinja o pulmão e impeça a circulação do ar naquele órgão.

A atelectasia diminui ou impede a passagem do ar e leva à diminuição do número de alvéolos funcionantes.

O tratamento é feito por fisioterapia, através de técnicas desobstrutivas, que permitem a reversão do quadro, melhorando a insuficiência respiratória e normalizando a ventilação pulmonar.

Como você relata que no dia do RX estava fortemente gripada, certamente a discreta (pequena) atelectasia que apareceu no resultado do seu exame foi causada por secreção. Acredito que depois que a gripe passou, tudo deve ter voltado ao normal.

Não há motivo para preocupação, relaxe, alimente-se corretamente (não esquecendo de frutas, verduras, legumes), beba dois litros de água por dia e durma o suficiente, que tudo vai ficar bem!

Vai na consulta, numa boa, ok?  (+ info)

Que cuidados devo ter c um filho menor sofrendo de Bronquietasias, Cor pulmonal crónico e derrame pericárdico?


O menor tem 10 anos de idade, é negro, está sendo seguido em consulta de Pneumologia, em regime ambulatório, esteve internado durante 23 dias, pela última vez (mês passado), após sucessivos internamentos há mais de seis anos. Seu quadro clínico começou com Tuberculose Pulmonar aguda, com dois anos, seguido de atelectasia, detectada passados alguns anos. Tosse permanentemente há mais de três anos.
Foi detectado em exame de broncoscopia um nódulo arredondado, liso, mais ou menos 1.5 cm de diâmetro localizado a entrada do brônquio lobar superior a esquerda. Ecografia cardiaca mostrou pequeno derrame pericárdico e hipertensão pulmonar primária. Estes pormenores foram extraídos de uma Informação Médica solicitada por mim.
Qual a dieta aconselhável? Qual o clima aconselhável? Que cuidados devo ter com ele? Partindo do princípio que ele vive num País com escassos recursos em termos de assistência médica e medicamentosa, o que seria aconselhável para o seu tratamento? Onde? Por quanto tempo?
----------

A sua principal preocupação com essa criança é promover um ambiente que evite contato infeccioso. Cuidar dos alimentos, da água e da visita de estranhos. Até uma gripe pode prejudicar demais essa criança.
Lavar sempre as mãos todas as pessoas que entrarem em contato direto com ela, como se faz em UTI.

Outro cuidado é mantê-la mais tempo sentada, menos tempo deitada, para prevenir infecções pulmonares. Manter o ambiente limpo, sem cortinas e tapetes com poeira que podem provocar alergias, lembrando que o sistema imunológico da mesma é deficiente devido a enfermidade.
Tratar da medicação seriamente e não descontinuar tratamentos.
Conversar com um fisioterapeuta sobre exercícios respiratórios que podem ser feitos para melhorar a ventilação.
O clima não pode ser seco nem frio demais.

Um abraço e bom trabalho com a criança.  (+ info)

1  2  

Deixa uma mensagem ou imagem sobre "atelectasia" (ou acessa o fórum):