FAQ - Trombose Venosa
(Powered by Yahoo! Answers)

Depois de tratada a trombose, podemos fazer cirurgia bariátrica?


Gostaria muito de fazer a cirurgia, mas estou tratando de uma trombose, já fazem 15 dias. Ficarei tendo esse problema paa sempe ou depois de tratar levarei vida normal?
----------

Sim , mas todos cuidados pré e pós-operatórios devem ser tomados ,pois o paciente obeso já tem um risco bem mais elevado de ter trombose. Por enquanto é muito recente para vc operar. Tem que esperar o fim do tratamento da trombose, o que implica usar anticoagulante durante um bom tempo.
Outros fatores de risco para trombose, além da obesidade,devem ser investigados para que vc previna novos episídios no futuro  (+ info)

Trombose Venosa Profunda!!!?


Tenho um amigo que foi diagnostico com TVP através do exame duplex scan e está sendo tratado por um clinico geral. Sem querer desmerecer o conhecimento desse profissional, mas será que ele tem a capacidade de tratar de um coisa que não é da sua área e sim de um angiologista. Detalhe: a pessoa teve que voltar ao hospital depois de uma semana pois os remédios não estão combinando entre si e os sintomas continuavam os mesmos. Gostaria da opinião de quem conhece sobre o assunto!!! Obrigada!!
----------

Como profissional da área da saúde, entendo a sua preocupação. Os sintomas de uma doença sempre variam de pessoa para pessoa, assim como os efeitos das medicações. No tratamento da TVP visa-se prevenir a ocorrência de embolia pulmonar fatal, evitar a recorrência, minimizar o risco de complicações e seqüelas crônicas. Utilizam-se medicações anticoagulantes (que diminuem a chance do sangue coagular) em doses altas e injetáveis.
Na dúvida, procure uma segunda opinião. Para este caso, que seja uma angiologista ou cirurgião vascular.
Boa sorte!  (+ info)

Quantos dias após uma viagem longa de avião podem aparecer os sintomas da trombose?


Fiz uma viagem de quase 10h de avião há 5 dias. Sou muito hipocondríaca e queria saber quando posso ficar tranquila com relação à trombose, porque todo dia fico com medo de aparecer alguma dor na minha perna. Hoje por exemplo estou com uma dorzinha bem fraca na panturrilha quando dobro a perna e já fiquei super preocupada. Já vi na internet falando que são 3 dias mas em outros sites vi até 8 semanas...
----------

isso é um mito, se fosse assim, seria uma enfermaria o local que viajou.

È obvio, que se movimentar, levantar é normal e nescessário. mas essa preocupação exacerbada é mito. boa sorte.  (+ info)

tive trombose venosa posso tomar cloreto de magnesio?


pois tomo anticoagulante e os medicos me disseram que qualquer coisa que eu tomar ate mesmo um cha de ervas pode alterar no RNI.
----------

Então, minha cara Raimunda, Vc não deve tomar nada, absolutamente nada, sem o conhecimento de seu médico. Saúde é coisa séria e é o maior bem que Vc possui, certo ?  (+ info)

Meu marido sente muitas dores na panturrilha será isso início de trombose?


Porém as dores persistem o que devo fazer? qual medicamento adequado para estas dores? será mesmo um principio de trombose?
----------

pode ser dano osseo ou muscular tbm.O correto é ir no ortopedista.  (+ info)

Qual anticoncepcional indicado para quem ja teve trombose?


Minha namorada teve trombose ,e gostaria de saber se existe alguma pilula anticoncepcional mais indicada?

Seí que o vilão é o ESTROGÊNIO , existe alguma pilula sem ESTROGÊNIO?

Mesmo sem o estrogênio ele é recomendado , ou a melhor coisa é buscar outros meios contraceptivos?
----------

Existem pílulas sem estrogênio sim....

Mas pra isso tu DEVE pedir orientação ao teu ginecologista, ok?

Trombose não é brincadeira.  (+ info)

Preciso saber sobre Trombose venosa profunda?


A trombose venosa profunda (TVP) afeta principalmente as veias na parte inferior da perna e na coxa. Envolve a formação de um coágulo (trombo) nas maiores veias da área. Esse trombo pode interferir na circulação do local, podendo quebrar-se e viajar pela corrente sangüínea (embolização). O êmbolo assim criado pode alojar-se no cérebro, pulmões, coração ou outra área, provocando danos graves àquele órgão.

Os fatores de risco incluem sentar-se por períodos prolongados, repouso absoluto ou imobilização, além de cirurgia recente ou trauma (especialmente cirurgia coxo-femoral, ginecológica e cardíaca) ou fraturas. Outros fatores de risco são: parto nos últimos 6 meses, obesidade e uso de medicamentos como estrógeno e pílulas anticoncepcionais. Além disso, uma história de policitemia vera, tumor maligno, hipercoagulabilidade (alterações nos níveis dos fatores coagulantes do sangue, tornando o sangue mais suscetível à coagulação), coagulação intravascular disseminada (CID) e disfibrinogenemia. A TVP pode estar associada ao problema ou pode provocar êmbolo pulmonar.

Sintomas:

dor na perna (em apenas uma perna)
sensibilidade em apenas uma perna
inchaço (edema) de apenas uma perna
temperatura aumentada de apenas uma perna
alterações na cor da pele de uma perna, vermelhidão
descoloração azulada da pele
dor articular

Sinais e exames:
Um exame pode revelar uma área da perna sensível, inchada e vermelha. O sinal de Homans é positivo - ocorre uma dor aguda ao flexionar o pé para cima (dorsiflexão).

A presença de trombose venosa profunda pode ser vista em:

venografia das pernas
arteriografia da extremidade
estudos do fluxo sangüíneo
exame de uma extremidade por meio de ultra-som Doppler
pletismografia das pernas
A coagulabilidade aumentada (tendência à coagulação) pode ser indicada por:

antitrombina III, proteína C, proteína S
triagem de CID
lúpus anticoagulante
Tratamento:
O coágulo em si geralmente desaparece por meio dos processos naturais de cicatrização. O tratamento também tem como objetivo aliviar os sintomas e prevenir que o coágulo se mova para os pulmões, coração, cérebro ou outras áreas. O tratamento geralmente requer hospitalização, pelo menos no início.

São prescritos anticoagulantes (como a heparina ou o warfarin) ou medicamentos antiplaquetários (como a aspirina) para prevenir contra mais coagulação. Podem ser necessários analgésicos para controlar a dor. Os trombolíticos (medicamentos que dissolvem o coágulo) raramente são necessários.

O repouso absoluto pode ser indicado até que os sintomas sejam aliviados. A perna pode ser elevada, para reduzir o inchaço. Evite sentar-se por períodos prolongados. Compressas quentes e úmidas na área podem ajudar a aliviar a dor.

Após voltar para casa, o paciente pode continuar a tomar os anticoagulantes orais ou os medicamentos antiplaquetários por um período prolongado; as compressas quentes também podem ser continuadas. Procure ainda evitar se sentar por períodos prolongados ou ficar em pé em uma única posição.

Expectativas (prognóstico):
A maioria das TVPs desaparecem sem dificuldade. As complicações podem oferecer risco à vida.

Complicações:

êmbolo pulmonar
derrame cerebral (raro)
êmbolo em outros órgãos (raro)

ok  (+ info)

Quais as causas mais comuns de uma trombose venosa profunda da perna esquerda?


Poderia ser fluxo sangüíneo inadequado, óxido nítrico, ingestão de aspirina hipercalcemia ou imobilização? E há presença de edema na perna esquerda sem dor à palpação.
----------

Quando a trombose venosa profunda causa inflamação importante e obstrução do fluxo sangüíneo, a panturrilha edemacia (incha) e pode tornar-se dolorida, sensível ao toque e quente. Dependendo das veias envolvidas, também pode ocorrer aumento de volume do tornozelo, do pé ou da coxa.
Os sintomas mais comuns de uma trombose venosa profunda é a dor, inchaço, rubor (vermelhidão), endurecimento, aumentos da temperatura, e em alguns casos uma coloração azul nas pernas. Outro sinal é o empastamento no membro acometido (rigidez da musculatura da panturrilha).
A prevenção e tratamento da trombose venosa profunda (TVP) geralmente são feitos com o uso de medicamentos que impedem a coagulação do sangue.
Mas consulte um médico para ter um diagnóstico mais detalhado e para saber se realmente esses sintomas que você tem é uma trombose venosa profunda.
Boa sorte... espero ter ajudado. =)  (+ info)

Qual a diferença entre a hemorróida externa e a trombose hemorroidaria ?


A hemorróida é uma dilatação de um dos vasos anais. Simplificando é uma varize no ânus. Ela pode ser interna ou aparecer mais, o botão da hemorróida, a externa.
A trombose hemorroidiana é um fenômeno que dá neste vaso dilatado. O vaso dilatado causa estase, que é deixar o sangue mais preso, mais lento nesta área, que pode levar a produção de trombo (corpos sólidos de aglutinados e coágulos_. Acontece em qualquer varize ou vaso em estase, leva este nome pq foi no vaso da hemorróida.  (+ info)

oi, alguém aí sabe se a doênça (tvp) tém cura? trombose venosa profunda. obrigada.?


teno essa doênça á mais de 30 anos e até hoje não conceguí me curar,ajudem-me por favor.
----------

Trombo (gr. Thrómbos) significa coágulo sangüíneo. Trombose é a formação ou desenvolvimento de um trombo.
A trombose pode ocorrer em uma veia situada na superfície corporal, logo abaixo da pele. Nessa localização é chamada de tromboflebite superficial ou simplesmente tromboflebite ou flebite.
Quando o trombo se forma em veias profundas, no interior dos músculos, caracteriza a trombose venosa profunda ou TVP.
Em qualquer localização, o trombo irá provocar uma inflamação na veia, podendo permanecer restrito ao local inicial de formação ou se estender ao longo da mesma, provocando sua obstrução parcial ou total.

COMO SE APRESENTA?
Voltar ao topo

Nas veias superficiais, ocorre aumento de temperatura e dor na área afetada, além de vermelhidão e edema (inchaço).
Pode-se palpar um endurecimento no trajeto da veia sob a pele.
Nas veias profundas, o que mais chama a atenção é o edema e a dor, normalmente restritos a uma só perna. O edema pode se localizar apenas na panturrilha e pé ou estar mais exuberante na coxa, indicando que o trombo se localiza nas veias profundas dessa região ou mais acima da virilha.

POR QUE O SANGUE COAGULA DENTRO DA VEIA?
Voltar ao topo


Nosso corpo é dotado de mecanismos que mantém constante o seu equilíbrio. No sangue há fatores que favorecem a coagulação do sangue, chamados procoagulantes, e fatores que inibem a formação de coágulos, chamados anticoagulantes, responsáveis pela manutenção do sangue em estado líquido. Quando ocorre um desequilíbrio em favor dos procoagulantes, desencadeia a formação do trombo.
Os fatores que favorecem a coagulação são classificados em três grupos:
1 – Estase – é a estagnação do sangue dentro da veia. Isto ocorre durante a inatividade prolongada, tal como permanecer sentado por longo período de tempo (viagens de avião ou automóvel), pessoas acamadas, cirurgias prolongadas, dificuldade de deambulação, obesidade, etc.
2 – Traumatismo na veia – qualquer fator que provoque lesão na fina e lisa camada interna da veia, tais como trauma, introdução de medicação venosa, cateterismo, trombose anterior, infecções, etc., pode desencadear a trombose.
3 – Coagulação fácil ou Estado de hipercoagulabilidade – situação em que há um desequilíbrio em favor dos fatores procagulantes. Isto pode ocorrer durante a gravidez, nas cinco primeiras semanas do pós-parto, uso de anticoncepcionais orais, hormonioterapia, portadores de trombofilia (deficiência congênita dos fatores da coagulação), etc.

COMO O MÉDICO DIAGNOSTICA?
Voltar ao topo


O médico pode diagnosticar uma tromboflebite superficial apenas baseado nos seus sintomas e examinando a veia afetada (sob a pele). No entanto, a TVP pode se apresentar com sintomas não tão exuberantes, dificultando seu diagnóstico. Para ter segurança, o médico pode solicitar exames especiais como o Eco Color Dopper ou a flebografia. Há quem solicite um exame de sangue para dosagem de uma substância, chamada Dímero D, que se apresenta em níveis elevados quando ocorre uma trombose aguda. Embora o teste do Dímero D seja muito sensível, não é muito conclusivo, visto que ele pode estar elevado em outras situações.

COMPLICAÇÕES
Voltar ao topo


A tromboflebite superficial raramente provoca sérias complicações; as veias atingidas podem, na maioria das vezes, ser retiradas com procedimento cirúrgico, eliminando as chances de complicar. No entanto, se a trombose é numa veia profunda, o risco de complicações é grande.

Complicações imediatas ou agudas – a mais temida é a embolia pulmonar. O coágulo da veia profunda se desloca, podendo migrar e ir até o pulmão, onde pode ocluir uma artéria e colocá-lo em risco de vida.
Complicações tardias – tudo se resume numa síndrome chamada Insuficiência Venosa Crônica (IVC), que se inicia com a destruição das válvulas existentes nas veias e que seriam responsáveis por direcionar o sangue para o coração. O sinal mais precoce da IVC é o edema, seguido do aumento de veias varicosas e alterações da cor da pele. Se o paciente não é submetido a um tratamento adequado, segue-se o endurecimento do tecido subcutâneo, presença de eczema e, por fim, a tão temida úlcera de estase ou úlcera varicosa.

TRATAMENTO
Voltar ao topo


O tratamento só deve ser instituído por um especialista. As informações aqui expostas têm como objetivo único lhe orientar para que procure um médico logo que notar qualquer dos sintomas acima relatados. Nunca se automedique.

Se a trombose é superficial, recomenda-se cuidados especiais, tais como aplicação de calor na área afetada, elevação das pernas e uso de antiinflamatórios não esteróides por um período de uma a duas semanas. Deve-se retornar ao especialista, a fim de avaliar a necessidade de tratamento cirúrgico.

Na TVP pode ser necessário manter-se internado durante os primeiros dias, a fim de fazer uso de anticoagulantes injetáveis (Heparinas). Estes previnem o crescimento do trombo e diminuem o risco de embolia pulmonar. Atualmente, pode-se evitar a hospitalização com o uso de heparinas de baixo peso molecular, injetados pelo próprio paciente no espaço subcutâneo da barriga. Depois do tratamento com Heparina, deve-se continuar com o uso de anticoagulantes orais (Warfarin) por um período de três a seis meses. Concomitante com esta medicação, o paciente deve fazer repouso com as pernas elevadas e fazer uso de meia elástica adequada à sua perna. Alguns medicamentos que interferem na ação dos anticoagulantes são proibidos neste período. O médico deve ser consultado sempre que julgar necessário fazer uso de outro tipo de medicação.
Existe procedimentos de exceção para coibir complicações, tais como: colocação de filtro de veia cava, remoção do coágulo (trombectomia) e angioplastia com stent (dispositivo aramado e recoberto com um tecido, o qual evita que a veia se feche novamente).

PREVENÇÃO
Voltar ao topo


A principal providência é combater a estase venosa, isto é, fazer o sangue venoso circular, facilitando seu retorno ao coração.

Dentro do possível, atente para estas recomendações:
• Faça caminhadas regularmente.
• Nas situações em que necessite permanecer sentado por muito tempo, procure movimentar os pés como se estivesse pedalando uma máquina de costura.
• Quando estiver em pé parado, mova-se discretamente como se estivesse andando sem sair do lugar.
• Antes das viagens de longa distância, fale com seu médico sobre a possibilidade de usar alguma medicação preventiva.
• Quando permanecer acamado, faça movimentos com os pés e as pernas. Se necessário, solicite ajuda de alguém.
• Evite qualquer uma daquelas condições que favorecem a formação do coágulo dentro da veia, descritas anteriormente.
• Evite fumar e o sedentarismo.
• Controle seu peso.
• Se você necessita fazer uso de hormônios ou já foi acometido de trombose ou tem história familiar de tendência à trombose (trombofilia), consulte regularmente seu médico.
• Use meia elástica se seu tornozelo incha com freqüência.
• Nunca se automedique
ok.  (+ info)

1  2  3  4  5  

Deixa uma mensagem sobre 'Trombose Venosa'



Não avalia ou garante a precisão de qualquer conteúdo deste site. Clique aqui para ler o termo de responsabilidade.

Última atualização: Setembro 2014