FAQ - Prolapso Da Valva Tricúspide
(Powered by Yahoo! Answers)

Tenho uma, discreta insuficiencia aortica; e um prolapso da valva mitral. Alguem pode falar um pouco sobre ?


tenho um problema de coracao e gostaria que alguem q entendi me desse conselhos. obrigado!
----------

Secção 3: Doenças cardiovasculares
Capítulo 19: Valvulopatias
Temas: Insuficiência da válvula mitral - Prolapso da válvula mitral - Estenose da válvula mitral - Insuficiência da válvula aórtica - Estenose da válvula aórtica - Insuficiência da válvula tricúspide - Estenose da válvula tricúspide - Estenose da válvula pulmonar




Insuficiência da válvula aórtica

--------------------------------------------------------------------------------

A regurgitação da válvula aórtica (insuficiência aórtica, incompetência aórtica) é o refluxo de sangue através da mesma de cada vez que o ventrículo esquerdo se relaxa.

As causas mais frequentes, em geral, costumam ser a febre reumática e a sífilis, mas actualmente, nos países desenvolvidos que contam com uma estrutura sanitária adequada, estas causas são muito raras graças ao uso frequente dos antibióticos. Nos locais com uma estrutura sanitária insuficiente, as lesões provocadas pela febre reumática são ainda habituais. Para além destas infecções, a causa mais frequente de insuficiência da válvula aórtica é o enfraquecimento do tecido, habitualmente fibroso e resistente da válvula (degenerescência mixóide), um defeito congénito ou outros factores desconhecidos. A degenerescência mixóide é uma perturbação hereditária do tecido conjuntivo que debilita o tecido valvular do coração, o que faz com que amoleça e, embora raramente, pode inclusive chegar a produzir-se uma ruptura. Outras causas são uma infecção bacteriana ou uma lesão. Cerca de 2 % dos rapazes e 1 % das raparigas nascidos com duas valvas em vez de três podem desenvolver uma insuficiência aórtica ligeira.

Sintomas e diagnóstico

A insuficiência aórtica ligeira tem como sintoma somente um sopro característico no coração, que se ausculta com um fonendoscópio de cada vez que o ventrículo esquerdo se relaxa. Quando a regurgitação de sangue é grave, o ventrículo esquerdo recebe um refluxo de sangue cada vez maior, o que conduz a um aumento do seu tamanho e, finalmente, provoca uma insuficiência cardíaca. Esta causa dispneia ao fazer esforços ou quando a pessoa está deitada, sobretudo durante a noite.

Pelo contrário, na posição sentada favorece-se que o líquido drene da parte superior dos pulmões e a respiração volta a normalizar-se. A pessoa pode também aperceber-se de palpitações (uma sensação de batimentos fortes) devido a que as contracções do ventrículo dilatado têm de ser mais fortes. Em alguns casos aparece angina de peito, especialmente durante a noite.

O diagnóstico efectua-se pela auscultação do sopro característico do coração, para além de outros sinais de regurgitação da válvula aórtica durante o exame físico (como certas anomalias no pulso) e da presença de uma dilatação do coração na radiografia do tórax. Um electrocardiograma pode mostrar as mudanças no ritmo do coração e sinais de aumento do tamanho do ventrículo esquerdo. O ecocardiograma pode permitir ver a válvula lesionada e evidenciar a gravidade do problema. (Ver secção 3, capítulo 15).

Tratamento

Para prevenir qualquer infecção da válvula lesionada administram-se antibióticos antes de qualquer procedimento dentário ou cirúrgico. Este tipo de precaução deve tomar-se também com a insuficiência aórtica ligeira.

Um doente que desenvolva sintomas de insuficiência cardíaca terá de ser operado antes de o ventrículo esquerdo se deteriorar de forma irreversível. Nas semanas prévias à cirurgia, a insuficiência cardíaca trata-se com digoxina e com os inibidores do enzima conversor da angiotensina ou de outro fármaco que dilate as veias e reduza o trabalho do coração. Geralmente, a válvula é substituída por uma válvula mecânica ou por uma válvula de origem porcina.



  (+ info)

PROLAPSO DE VALVA MITRAL OU RUGURGITAÇÃO?


NO MEU ECO DEU UA PEQUENA REGURGITAÇÃO,MAS A ARDIOLOGISTA DISSE QUE É UM PROLAPSO E QUE O RAPAZ QUE FEZ O EXAME EM MIM FOI QUEM NÃO DEU TAMTA IMPORTÃNCIA AQUELA PEQUENA ALTERAÇÃO,MAS ENFIM EU PERGUNTO,ESSE PROLAPSO E GRAVE, SINTO DORES NO PEITO, UMAS FISGADAS,PONTADAS,NÃOSÓ NO PEITO,MAS NAS COSTAS ,BARRIGA E LADO DIREITO DO PEITO,AS VEZES UMAS DORES DE CABEÇA, NA VERDADE UMAS PONTADAS QUE DEPOIS SOMEM, ESTOU COM MEDO,ALGUÉM AI PODE ME AJUDAR , AS VEZES SINTO COMO SE UMA BOLHA DE GAS ESTIVESSE ANDANDO EM MEU PEITO AI VEM UM APERTO E DEPOIS PASSA, FICO BEM E DEPOIS DO NADA VOLTA TUDO ,ME AJUDEM DESDE JÁ AGRADEÇO!!!
----------

Eu tenho prolapso na válvula mitral e isso é muito sério. Os riscos são diferentes de pessoa para pessoa. Por isso, procure outro médico para que investigue o seu problema e a gravidade dele. Não confie em apenas um.Esses médicos são malucos, não estão nem aí para nossa vida. A tia do meu esposo está com um câncer de mama enorme só porque a médica dela ficou 1 ano dizendo para ela que era só gordura. Então, vá em outros médicos, não dê mole.  (+ info)

eu tenho prolapso na valva mitral do coraçao , posso tomar Pramil?


nunca tomei nem um tipo de viagra! sera que o pramil sera bom? ou tem uma mais fraco ?
Obrigado pelas respostas
----------

Pramil ou Viagra é contra indicado para pessoas com problemas cardiacos.  (+ info)

Prolapso da Valva Mitral, dúvida! ?


Gente eu to querendo por um piercing na sobrancelha, e vi num site que quem tem prolapso da valva mitral não pode por, só disse isso nao explicou o porque
alguem de vcs tem e tem piercing?
é uma coisa q 10% da população mundial tem, e ninguem morre devido a isso, entao pq nao poderia por o piercing?
me ajudemm
----------

Eu descobri que tenho prolapso há pouco mais de 2 anos, sentia muitas dores antes de tomar um medicamento chamado cloridrato de propanolol, o problema é que o remédio afetou o estômago e causou gastrite, estou preocupada pq não posso ficar sem o medicamento.

Eu não tenho piercing e nem sabia que não pode usar, em qual site vc viu?  (+ info)

sinto dor no peito,porque nao me preocupa?"ja que tenho prolapso na valva mitral "?


80% das mulheres TEMOS prolapso, não é nada demais... nada como uma visita regular ao cardiologista para tirar suas dúvidas. Eu tenho o mesmo problema, sem falar q tb tenho na tricúspide e vivo normalmente, pratico exercícios, etc... a unica coisa q faço é ir uma vez ao ano no cardiolgista e pronto! Como diz meu cardiologista, "vc não vai morrer disso, vai morrer com isso!!!" Boa sorte!  (+ info)

prolapso da valva mitral pode progredir?


sintomas
----------

O prolapso da valvula mitral nunca ira progredir completamente.
O prolapso da válvula mitral (o termo técnico é valva mitral), também conhecido como Síndrome de Barlow, é um mau funcionamento da válvula mitral do coração, a entrada física entre o átrio esquerdo e o ventrículo esquerdo. Normalmente, a válvula mitral fecha quando os músculos do ventrículo se contraem, prevenindo que uma corrente de sangue retorne ao átrio esquerdo quando o coração bombeia o sangue para o resto do corpo. No prolapso da válvula mitral, porém, uma deformidade leve da válvula impede que ela se feche normalmente. Isto se mostra como uma inversão anormal ou "prolapso" da válvula. O resultado disso é que pequenas quantidades de sangue refluem (vazam) para o átrio esquerdo, com um efeito muito pequeno na capacidade global do coração para bombear o sangue.
Em algumas pessoas, o vazamento progride para a insuficiência mitral (onde há importante regurgitação do sangue), com um retorno significativo de sangue para o átrio esquerdo. Pessoas com insuficiência mitral severa podem desenvolver sintomas como falta de ar, cansaço e inchaço nas pernas. Raramente, a cirurgia do coração é necessária para corrigir estas válvulas danificadas.
Na maioria das pessoas com prolapso da válvula mitral, a causa é desconhecida. Porém, em um número pequeno de pacientes, o prolapso da válvula mitral pode estar relacionado à outra condição médica, como uma anormalidade genética associada a maneira como o corpo produz o colágeno (tecido conjuntivo, que dá sustentação ao corpo), ou à doença reumática do coração (uma complicação rara da infecção de garganta pela bactéria Streptococos).
Especialistas em saúde calculam que atualmente o prolapso da válvula mitral afete até 5 por cento das pessoas. Por razões desconhecidas, esta doença é muito comum nas mulheres entre 14 e 30 anos de idade. Embora ela às vezes afete vários membros da mesma família, nenhuma base genética específica (herdada) foi identificada para o problema.
A maioria das pessoas com prolapso da válvula mitral não tem nenhum sintoma, e só é descoberto quando um médico ouve um tipo específico de ruído (sopro) no coração durante um exame de rotina. Algumas pessoas podem desenvolver palpitações, um pulso acelerado (taquicardia), desmaio ou uma sensação de tontura. Se prolongada, pode haver também dor no peito, normalmente localizada debaixo do esterno (osso no meio do peito), como uma angina (a dor no peito da doença das artérias coronárias), necessariamente não está relacionada ao stress ou aos exercícios físicos. Nas pessoas com insuficiência mitral (aproximadamente 15 por cento dos pacientes com prolapso da válvula mitral, geralmente com doença por mais de 15 anos), podem haver sintomas de insuficiência cardíaca congestiva (com cansaço, falta de ar e inchaço nas pernas).
O médico irá revisar sua história clínica, incluindo qualquer problema de coração, e fará perguntas sobre ansiedade, palpitações, tonturas, desmaios e dor no peito. Ele também perguntará se há história de doença do coração em sua família.
Você e seu médico podem não suspeitar que você tenha prolapso de válvula mitral até que ele ouça seu coração com o estetoscópio e descubra um barulho chamado “sopro sistólico” durante o exame físico de rotina. O sopro sistólico é um som anormal do coração relacionado ao mau funcionamento da válvula, presente no prolapso da válvula mitral.
Uma vez o médico suspeite que você tem prolapso da válvula mitral, o diagnóstico pode ser confirmado por um exame de ecocardiograma bidimensional. Este é um exame indolor que usa ondas sonoras para traçar a estrutura do coração. Mais adiante podem ser necessários outros testes, principalmente se você tiver vertigens, palpitações, uma história de desmaios ou de dor no peito, sintomas que sugerem que você pode ter um batimento irregular do coração (arritmia cardíaca).
A maioria dos pacientes com prolapso da válvula mitral nunca tem sintomas, e a doença nunca irá progredir a um ponto que afete seu estilo de vida ou sua expectativa de vida significativamente. A cirurgia para reconstruir ou substituir a válvula mitral tem êxito em mais que 90 por cento de pacientes. Embora seja possível para um paciente com prolapso de válvula mitral morrer subitamente de uma arritmia cardíaca fatal, isto é muito raro.

Boa sorte.!!!
Beijo.  (+ info)

Prolapso da valva mitral?


bom gente.... eu tenho esse prolapso ja fui no médico e ele disse ki é comose fosse normal naum precisa tomar remedios ...
mais ..
será que posso tomar bebidas alcoolicas?
----------

Não Danieli vai te fazer mal, siga so o que o medico te recomendou
¸.•*´εïз¨`*•.¸εïз¸.•*´...
♥´¨)
¸.-´¸.-♥´¨) ¸.-♥¨)¸.•*´εïз¨`*•.¸εï...
(¸.-´ (¸.-` ♥♥Beijos...!!!♥♥♥
ஐ¸.•*´¨`*•.¸ ¸.•*´¨`*•.¸¸ ஐ♥.-´¯`-.♥¸.•*´εïз¨`*•...  (+ info)

O que significa regurgitação discreta da válvula tricúspide?


Fiz um ecocardiograma recentemente e o resultado indicou "regurgitação discreta da valva tricúspide (fisiológica)". Devo me preocupar ou isso é normal?
----------

Isto é tri normal, é quando o sangue é vomitadinho pela tricuspide!!! Não esquenta!!!  (+ info)

olá, eu gostaria de saber se prolapso da valva mitral,tem cura?


eu descobri que tenho prolapso da valva mitral , e to sentindo muita falta de ar, gostaria de saber , se tem tratamento , se ele pode voltar ao normal
----------

se nao me engano o caso seria a operaçao, a minha mae tem essse mesmo problema mas ela leva a vida normalmente  (+ info)

Prolapso da Valva Mitral?


Fiz um ecocardiograma e o resiltado foi de PVM
(Valva mitral com folhetos finos, boa abertura com movimentaçõa sistolicaposteriror do folheto anterior, ao doppler sem sinal de refluxo.

queria saber se o meu PVM é grave alguem pode me ajudar?
obrigada!
----------

Prolapso da Válvula Mitral ou Síndrome de Barlow é a alteração mais freqüente que acontece com o coração e estima-se que ela afete de 5 a 10% da população mundial, segundo informação do cardiologista José Ângelo Bezerra da Silva. A palavra prolapso significa um deslizamento ou deslocamento de parte de um corpo em relação à sua posição usual.

No caso da válvula mitral normal há dois finos folhetos localizados entre o átrio esquerdo e o ventrículo esquerdo. Estes folhetos estão ligados à parede interna do ventrículo esquerdo por uma série de feixes chamados de cordoalhas. Quando o ventrículo se contrai, os folhetos da válvula mitral se ajustam perfeitamente, prevenindo o refluxo de sangue do ventrículo esquerdo para o átrio esquerdo. É em relação a esta linha que se dá a ocorrência de prolapso mitral, sempre que os folhetos da válvula funcionam acima dela pelo seu lado atrial, pois o movimento normal de fechamento dos folhetos ocorre abaixo deste limite, pelo seu lado ventricular. Ou seja, os folhetos ou os músculos papilares e suas cordoalhas são demasiadamente longos, ocorrendo também um aumento do anel valvular.

Causas do prolapso da válvula mitral

O prolapso da válvula mitral – PVM - tem, na maioria das pessoas, causa desconhecida; mas em outros parece ser geneticamente determinada por uma alteração do tecido conjuntivo. Uma redução na produção do colágeno tipo III é outro fator identificado; pois através da microscopia eletrônica tem sido demonstrada fragmentação das fibras colágenos. O PVM pode estar associado a deformidades esqueléticas (tórax e coluna vertebral) e já foi descrita a acentuação do arco palatino neste tipo de pacientes; bem como pode ocorrer como seqüela de febre reumática.

Os membros da família afetados freqüentemente são altos, magros, com grandes dedos e coluna reta. São freqüentemente acometidas mulheres entre vinte e quarenta anos, mas também os homens apresentam PVM.

Sintomas mais comuns do PVM

Muitos pacientes são totalmente assintomáticos do prolapso da válvula mitral enquanto outros podem apresentar inúmeros sintomas. As queixas mais comuns são as palpitações e a síncope (devidas a distúrbios do ritmo cardíaco), dor de cabeça (cefaléia), dor torácica, falta de ar e fadiga, sendo esta última a mais comum. Os portadores de PVM podem concomitantemente apresentar disfunção do sistema nervoso autônomo e o quadro pode se associar ao Transtorno do Pânico, à Ansiedade e à Depressão. A dor torácica é diferente da apresentada em outra doença coronariana, pois raramente ocorre durante ou após o exercício e não responde ao uso de nitratos.

Diagnóstico

O exame do paciente realiza-se através da ausculta cardíaca, um som estalado (click) logo após o início da contração ventricular. Segundo o artigo publicado pelo Dr. Jorge W. Magalhães de Souza, que possui uma Clínica Médica no Rio de Janeiro, este fenômeno é explicado pela pressão exercida sobre os folhetos anormais da válvula durante a sístole (contração do ventrículo). Se houver regurgitação mitral associada (refluxo de sangue para o átrio esquerdo pelo fechamento inadequado da válvula) um sopro pode ser auscultado logo após o click. A pressão arterial não é alterada habitualmente pelo PVM.

O ecocardiograma bidimensional com Doppler é o exame complementar mais útil no diagnóstico do PVM. Ele pode medir a severidade do prolapso e o grau de regurgitação mitral. Além disso, poderá detectar áreas de infecção na válvula, espessamento anormal e avaliar a função sisto-diastólica dos ventrículos (funcionamento do coração como bomba impulsionadora de sangue). A infecção valvular é chamada de endocardite e é uma séria complicação do PVM.

Outro teste que pode ser usado é o estudo dos batimentos cardíacos durante o exercício físico crescente. Ele é eficaz na detecção das anormalidades acima descritas, assim como na isquemia miocárdica, outra doença coronariana. Auxilia também a decidirmos que níveis de exercício são seguros para o paciente.

Aproximadamente 18% dos pacientes com prolapso possuem morfologicamente válvula mitral com redundância tecidual dos folhetos e espessamento dos mesmos, correspondendo ao aspecto anátomo-patológico de degeneração mixomatosa. Nesses pacientes com problema, o aparelho mitral (valvas e cordoalhas) é acometido pela degeneração mixomatosa, na qual a estrutura protéica do colágeno, o tecido que constitui as valvas leva ao espessamento, alargamento e redundância dos folhetos e cordoalhas. Portanto, no momento em que o ventrículo se contrai, os folhetos redundantes projetam-se (prolapsam) para o átrio esquerdo, chegando às vezes a permitir a regurgitação do sangue para dentro do átrio esquerdo.

Sabidamente este sub-grupo de pacientes, que são referidos como portadores de prolapso mitral clássico, estão em maior risco de desenvolver complicações, como endocardite infecciosa e regurgitação mitral severa; porém apresentam-se com o mesmo risco para fenômenos embólicos como os pacientes com prolapso sem degeneração mixomatosa.

Tratamento da PVM

Para o cardiologista José Ângelo Bezerra da Silva "em muitos casos os sintomas são poucos ou inexistentes, não exigem tratamento e não há também restrições à atividade física". No entanto, a hospitalização pode ser necessária para o diagnóstico e tratamento dos sintomas mais evidentes e fortes. A presença de regurgitação mitral (RM) pode levar a hipertrofia ou dilatação do coração (o músculo cardíaco necessita desenvolver maior força contrátil com a piora progressiva da RM, já que parte do sangue reflui para o átrio esquerdo) e a ritmos anormais. Como conseqüência, os pacientes portadores de PVM com RM devem ser avaliados semestralmente ou anualmente.

Como a infecção da válvula ou endocardite é cerca de 3 a 8 vezes mais freqüente nos portadores de PVM com RM do que na população em geral, podendo tornar-se uma séria complicação, e por este motivo deve ser feita profilaxia com antibióticos, sempre orientada pelo médico. Entre eles, inclui-se o tratamento odontológico rotineiro como limpeza dos dentes, as pequenas cirurgias e os procedimentos que podem traumatizar tecidos do corpo como exames de colonoscopia, ginecológicos e urológicos. Os antibióticos mais utilizados na profilaxia são a amoxicilina e eritromicina por via oral, bem como a ampicilina, a gentamicina por via parenteral.

O reparo cirúrgico da válvula ou sua troca melhoram os sintomas. A cirurgia pode ser necessária quando há disfunção ventricular, sintomas fortes ou se as condições do paciente evoluem para deterioração. No tratamento de pacientes com insuficiência mitral (IMi) grave continua sendo importante a escolha do momento mais adequado para a intervenção operatória. Isto é particularmente verdade em pacientes com IMi grave não isquêmica, condição que hoje nos EUA deve-se mais freqüentemente ao prolapso da válvula mitral, quase sempre acompanhado de "desabamento" dos folhetos da valva mitral.

Recomendações

Varia na dependência das condições concomitantes ao prolapso da válvula mitral. Possui curso geralmente benigno e sem sintomas. Quando sintomático é controlado pelo uso de medicamentos e, nos casos mais graves, por cirurgia valvular; cada vez mais precoce hoje em dia, é indicada evitando-se assim as complicações. Os pacientes identificados como portadores de PVM devem ser monitorados regularmente por um médico.  (+ info)

1  2  3  4  5  

Deixa uma mensagem sobre 'Prolapso Da Valva Tricúspide'



Não avalia ou garante a precisão de qualquer conteúdo deste site. Clique aqui para ler o termo de responsabilidade.

Última atualização: Setembro 2014