FAQ - Mielite Transversa
(Powered by Yahoo! Answers)

preciso saber o tratamento completo sobre mielite transversa, se os pacientes tem que ter acompanhamento psico?


preciso saber o tratamento completo sobre mielite transversa, se precisa de traramento psicológico, ou terapia de grupo com outras pessoas que tem ou já tiveram esta doença
----------

Que tratamentos estão disponíveis?

Corticosteróides são drogas usadas tipicamente como tratamento para a inflamação da medula espinhal em pacientes com MT. A plasmaférese também é usada como um tratamento para suprimir o sistema imunológico. A reabilitação, especialmente a fisioterapia, é uma parte essencial do tratamento. Os pacientes seguem um regime de reabilitação típico para lesões da medula espinhal. O tratamento de longo prazo para a MT se concentra no manejo de sintomas.

Protocolo de Tratamento Fisioterapêutico
• Exercícios de movimentação passiva ou ativo-assistida para as articulações de MMSS
e MMII, evoluindo para movimentação ativa;
• Alongamentos passivos e mantidos, com 3 séries de 40 segundos para músculos
encurtados;
• Dissociação de cintura pélvica;
• Fortalecimento de toda a musculatura de MMII;
• Fortalecimento dos músculos abdominais;
• Exercícios de ponte simples e sensibilizada;
• Exercícios de dissociação de cintura pélvica com resistência do terapeuta, 2 séries de
20 repetições;
• Exercícios de rolar bilateralmente, com auxilio de dissociação de cintura pélvica,
numa freqüência de 6 vezes;
• Exercícios de ponte simples, 2 séries de 8 repetições;
• Exercícios do Método Bobath: rolar bilateralmente, sentar no tablado;
• Exercícios de equilíbrio na bola terapêutica;
• Exercícios para coordenação motora de MMSS, refletindo atividades diárias;
• Treino de sentar e levantar do tablado;
• Treino de coordenação motora de MMSS e MMII;
• Exercícios de equilíbrio estático na posição sentada e bípede;
• Treino de marcha nas barras paralelas;
• Treino de marcha em área livre e plana sem auxílio;
• Terapia na mesa ortostática: com descarga de peso corporal sobre os MMII,
readaptação à posição vertical, controle de tronco, equilíbrio estático, propriocepção.

o paciente poderá manifestar-se através de diversos estados emocionais, tais como tristeza, temor, ansiedade, desesperança ou isolamento. Por conta disso, deve-se fornecer um especial apoio psicológico a este tipo de paciente.

espero ter ajudado ^^

Beijoss  (+ info)

Sou portador de Mielite Transversa, não frequento mais nehum tipo de fisioterapia pois perdi a esperança .?


Ando com muletas, e sinto dores musculares pois meus musculos das pernas são em parte atrofiados, alguem conhece algum "medicamento" que melhore pelo menos minha qualidade de vida?
----------

Sei que vc disse que vc já perdeu a esperança com a fisioterapia. Mas nem todas são iguais. Vc deve procurar um fisioterapeuta especializado em patologias neurológicas, e que trabalhe muito manualmente e não com aparelhos.
A fisioterapia, pode não lhe trazer melhoras (não sei a qto tempo vc tem a doença), mas pode impedir que a doença avance ou pelo menos, evolua mt lentamente. Mas como disse, não é qualquer tipo de fisioterapia que ajuda, existem milhares de técnicas e realmente lhe podem ajudar a ter um grande melhoria de vida. É a única ajuda e conselho que lhe posso dar.
Infelizmente vc não irá encontrar este tipo de serviço no sistema de saúde público, não sei de onde vc é, mas poderá encontrar um fisioterapeuta que lhe faça alongamentos, relaxamanto muscular, exercícios de propriocepção, reforço muscular, etc, que te ajudaram.

Espero ter ajudado.

Boa sorte, e não perca a esperança. Sei que a sua condição não deve ser confortável, mas a fisioterapia certa, realmente poderá ajudar.  (+ info)

MEGAPÓFISE TRANSVERSA BILATERALMELMENTE NEOARTICULADA AO SACRO, DISCOARTROSE, PROTUSÃO DISCAL DIFUSA,É BRONCA?


1- VÉRTEBRA DE TRANSIÇÃO LOMBO-SACRA POSSUI MEGAPÓFISE TRANSVERSA BILATERALMENTE NEOARTICULADA AO SACRO.
2- SINAIS DE DISCOARTROSE COM PINÇAMENTO DO ESPAÇO DISCAL E HIPOSSINAL DO RESPECTIVO DISCO L5-VT, INFERINDO DEGENERAÇÃO DISCAL SECUNDÁRIO E DESIDRATAÇÃO DO MESMO.
3- PROTUSÃO DISCAL DIFUSA NO INTERESPAÇO L5-VT COM PEQUENO COMPONENTE DE HERNIAÇÃO PÓSTERO-MEDIANA, QUE EXERCE SUAVES EFEITOS COMPRESSIVOS SOBRE A FACE VENTRAL DO SACO DURAL.
ISSO ME DEIXA PARALISADO AS VEZES, É CASO DE AFASTAMENTO MÉDICO PELO INSS PARA TRATAMENTO?
----------

È caso previsto nas normas e regulamentação para concessão de auxílio-doença.

Deve agendar uma perícia no inss, levar todos os exames, laudos, atestados que tiver e passar por uma perícia. boa sorte.  (+ info)

Fiz um exame no qual apareceu "megaapofise transversa sacralizada a E" oque e isso?


é um acidente ósseo da vértebra, ou seja, uma tuberosidade na lateral da vértebra onde se inserem músculos. O termo "mega-apófises..." deve ser pelo tamanho q deve ser um pouco maior que o normal.

toda questão relacionada a saúde, seus procedimentos, medicamentos e equipamentos, devem ser encaminhadas a um profissional competente e comprovado. Consulte um ortopedista e/ou neurologista.  (+ info)

eu fiz um exame admissional super critico, porem no meu raio x de coluna deu "Mega apofise transversa direita


Denise, Não compreendi bem sua duvida, mas meu pai sofre deste problema.
Esta é uma doença degenerativa das vertebras da coluna e se manifesta só com o passar do tempo, piorando com a idade avançada. Causa crises que trazem dores incomodas que são tratadas com antiinflamatorios e curada em no maximo duas semanas.
Não creio que seja motivo para inaptidão para o trabalho.

Caso tenha sido este o prognostico medico, você pode questionar na justiça, exceto se sua profissão exigir esforço intenso da coluna cervical.

Procure um médico de sua confiança para te orientar melhor e para que você não desencadeie as crises por descuido, evitando sofrimento.

;)  (+ info)

oi! gostaria de saber o que é megapofise transversa em c7?


A Fisioterapia em si, previne, trata e reabilita com o intuito de promover o bem-estar individual e coletivo, sendo então essa a chave principal para lhe dar com o paciente ortopédico. E a Fisioterapia em Ortopedia e Traumatologia atua na investigação, prevenção e tratamento das doenças dos ossos, músculos, articulações e ligamentos. Trabalha-se na reabilitação de pós-fraturas, entorses, luxações, traumas ou contusões musculares, amputações, distúrbios mecânicos da coluna vertebral, pós-cirurgias, dentre outras, utilizando recursos elétricos, mecânicos, térmicos e hidroterápicos, além de técnicas da cinesioterapia, objetivando alívio de quadro álgico, eliminação de processo inflamatório, melhora na circulação sangüínea, fortalecimento muscular, recuperação de movimentos, equilíbrio, propriocepção e reeducação postural.


Mas então o que significa cada um dos recursos fisioterápicos utilizados dentro da ortopedia? Então lá vai alguns:
- Cinesioterapia - Terapia por movimentos. São exercícios que têm como objetivo trabalhar articulações e musculatura, podendo ser passiva ou ativa.
- Eletroterapia - Terapia com aparelhos elétricos, como o ultra-som, ondas curtas, microondas, TENS, Laser, entre outros. São recursos utilizados para facilitar a recuperação dos tecidos lesados.
- Mecanoterapia - Terapia com aparelhos mecânicos para fortalecimento muscular.
- Termoterapia - tratamento com aplicação de calor para relaxamento da musculatura e anti-álgico.
- Crioterapia - emprego de gelo como terapêutica antiinflamatória e analgésica, geralmente em aplicações localizadas para tratamento de contusões, luxações e edema.

LESÕES DA COLUNA VERTEBRAL NOS ESPORTES.

Lesões da coluna vertebral de causas diversas são observadas em indivíduos que praticam esportes de várias modalidades.
A coluna vertebral por meio de suas estruturas está envolvida no mecanismo de transmissão e coordenação dos movimentos entre os membros superiores e inferiores. Essas estruturas incluem ossos, articulações, músculos, ligamentos e os discos intervertebrais que, agem continuamente no sentido de potencializar a força a ser desprendida pelos membros, quando do posicionamento espacial do indivíduo e no suporte de seu corpo sob a ação da força da gravidade. Cada região da coluna vertebral tem características próprias, as quais são responsáveis por funções específicas.
A coluna cervical é responsável pela sustentação da cabeça, permitindo amplo arco de movimento devido a sua estrutura. As lesões nesta região estão relacionadas à sua fragilidade principalmente durante sua exposição aos traumas.

LESÕES DA COLUNA TORÁCICA

A coluna torácica é um segmento do esqueleto axial adaptado para promover a estabilização e sustentação do tronco e sustentação da região cervical. Esta região tem como característica a presença de uma cifose fisiológica, e um grau restrito de movimento, promovido pelas costelas, as quais aumentam a estabilidade torácica. Nessa região os discos intervertebrais são menores e menos flexíveis em relação aos demais segmentos vertebrais.
Lesões da coluna torácica são raras nos atletas. Na maioria das vezes elas ocorrem nos esportes com alta velocidade e impacto. Entre as lesões mais freqüentes temos as dos tecidos moles, hérnia de disco e as fraturas vertebrais.

LESÕES DE TECIDOS MOLES

A principal lesão observada na coluna torácica de atletas está relacionada ao acometimento de tecidos moles, como: distensões, contraturas e contusões de trauma direto.
O diagnóstico destas lesões é realizado por meio de anamnese completa, interrogando a respeito do protocolo de treinamento do atleta, aumento na prática de determinado exercício com sobrecarga da região e possíveis traumatismos. O exame físico é focado na região da dor, procurando com a inspeção e palpação localizar e delimitar a área afetada. Caso a região dolorosa for extensa e mal delimitada, parece indicar distensão ou contratura muscular; no entanto caso haja um ponto doloroso bem delimitado deve-se suspeitar de contusão local ou fratura. Radiografias simples são realizadas para identificação de possíveis fraturas, nas lesões traumáticas. Na ausência de trauma deve ser imediatamente instituído tratamento conservador. O objetivo principal deste é o retorno às atividades o mais breve possível, mantendo condicionamento cardíaco e pulmonar adequado durante o período que permanecer afastado dos esportes, e reabilitação precoce, inicialmente com exercícios isométricos, e alongamentos progressivos.
O uso de órteses (coletes) não tem influência em sua recuperação. Medidas no sentido de atuar sobre o fator desencadeante podem evitar recidivas.



HÉRNIA DISCAL TORÁCICA

Apresenta incidência em torno de 1,6 / 1000 na população em geral, com freqüência maior em homens e na quinta década de vida. Raramente é associada à atividade esportiva. A história relatada pelo atleta varia de acordo com a sua localização, extensão e início dos sintomas. Em geral a história de t  (+ info)

vcs conhecem alguém com mielite?


Eu conheci..
Minha cunhada tinha.....
Infelizmente ela faleceu....
.É uma doença triste, deixa a pessoa muito debilitada....Com certeza a pessoa ira precisar de muita força de vontade e muito amor das outras pessoas....
*******************************************************************************************************************
A causa da mielite transversa aguda é desconhecida, mas cerca de 30 % a 40 % dos casos aparecem depois de doenças virais inespecíficas. Esta síndroma pode manifestar-se em pessoas com esclerose múltipla ou certas infecções bacterianas e em pessoas dependentes de drogas por via endovenosa, como a heroína ou as anfetaminas. As investigações sugerem que a mielite transversa aguda é uma reacção face a estas situações.

Sintomas

A mielite transversa aguda inicia-se, habitualmente, com dor súbita localizada nas costas, seguida de adormecimento e debilidade motora que sobem desde os pés. Estas perturbações podem avançar ao longo de vários dias e, se forem graves, podem acabar numa paralisia sensitivo-motora e na perda do controlo intestinal e da bexiga urinária.

Dependendo da localização da obstrução, na parte alta ou na parte baixa da medula espinhal, assim os efeitos serão mais ou menos graves.

Diagnóstico e tratamento

Estes sintomas neurológicos tão graves sugerem ao médico um amplo leque de doenças possíveis. Para ir afastando as possibilidades, o médico pode fazer vários exames, como uma punção lombar (extracção de líquido cefalorraquidiano para o seu exame), uma tomografia axial computadorizada (TAC), uma ressonância magnética (RM) ou então uma mielografia (Ver secção 6, capítulo 60), tal como determinadas análises ao sangue.

Nenhum tratamento foi eficaz, mas os corticosteróides em doses altas (como a prednisona) podem controlar o que se pressupõe tratar-se de uma reacção alérgica. Geralmente, as pessoas com mielite transversa aguda recuperam, pelo menos, parcialmente, embora em muitas persista a debilidade motora e o entorpecimento.  (+ info)

o que é fratura transversa? ?r=1237168118?


É uma fratura que é transversal ao osso. Não tem muito mais a explicar não.  (+ info)

Fiz um exame à coluna e gostaria de saber se irei precisar de fazer fisioterapia ?


o relatório diz : anomalia transacional lombo-sagrada por sacralização de L5 de que resulta estreitamento global do espaço articular inter-somático L5-S1 e contacto sagrado da mega-apófise transversa direita de L5. Gostaria mesmo muito de saber de irei precisar de fazer fisioterapia.
Muito Obrigado FM
----------

Olá FM, é bem provável que precise sim. Mas antes, deve procurar por um ortopedista, para avaliar necessidade de cirurgia ou não.
O seu caso é pouco comum. Se quiser um resumo, é como se você tivesse uma vértebra lombar a mais. De modo geral, as pessoas possuem 7 vértebras na cervical, 12 na torácica e 5 na lombar. No seu caso, existem 6 na lombar. Isso ocorreu por uma alteração no osso que fica abaixo da última vértebra lombar: o sacro. Uma parte do sacro se desprendeu e se transformou em uma vértebra lombar, diminuindo o espaço entre as demais vértebras, deixando esta região um pouco mais sensível e mais instável. Isto geralmente causa dores e muitos desconfortos para pessoa, mas existe tratamento.
Geralmente o tratamento é sem cirurgia, com muita fisioterapia.
Porém, é necessário que procure por um bom profissional, que entenda do assunto e que saiba utilizar as técnicas adequadas.
Se quiser uma base: Imagine que você tem um osso. De repente a parte de cima dele se desprende da parte de baixo, resultando em dois ossos. Vai existir um espaço entre eles e consequentemente um movimento entre eles (que antes não existia). Com este acréscimo da mobilidade, serão necessários músculos específicos para estabilizar estes dois novos ossos, para evitar que eles se mexam demais e causem dor. Ou seja, a fisioterapia terá que trabalhar para estabilizar esta região mais sensível e mais móvel. Por isso, fazer somente calor ou gelo e choquinhos não vai adiantar em nada. Só vai diminuir a dor temporariamente, mas no final do dia vai sentir de novo.
Se quiser tratar a causa, procure por profissionais mais especializados, de preferência que já tenham visto casos como o seu.
Agora, o meu conselho, é que antes de tudo, leve os exames para serem avaliados pelo seu ortopedista. Se for preciso, é ele quem vai te encaminhar para a fisioterapia, ok?
Procure sempre por profissionais de sua confiança ou com boas referências!
Bom tratamento!  (+ info)

Qual a diferença e em que parte do intestino humano se encontram o colon sigmoide e o colon proximal?


Alguém saberia me informar qual a diferença e em que parte do intestino humano se encontram o colon sigmoide e o colon proximal? Eu sei que fica no intestino grosso, eu só queria saber se ficam na parte ascendente, transversa ou descendente
Alguém poderia me ajudar com esta informação, fico muito grato pela ajuda...
----------

O Tubo Digestivo


O sistema digestivo é formado pelo tubo digestivo e suas glândulas anexas, e tem como função retirar dos alimentos ingeridos os metabolismos necessários para o desenvolvimento e a manutenção do organismo. Para que isto aconteça, o alimento deve ser digerido e transformado em moléculas de fácil absorção através do epitélio do intestino delgado. Em outras palavras, o tubo digestivo tem a função de transformar alimentos em metabólito e absorve-lo, mantendo ao mesmo tempo uma barreira entre o meio externo e o meio interno.
O primeiro passo deste complexo processo de transformação ocorre na cavidade oral, onde o alimento é triturado pelos dentes na mastigação e umedecido pela saliva. Nesta região se inicia a digestão do alimento, processo que continua no estomago e termina no intestino delgado. No intestino delgado, o alimento é transformado em seus componentes básicos que são absorvidos juntamente com água, vitaminas e minerais. No intestino grosso há absorção de água, e consequentemente as fezes tornam-se semi-sólidas.

Cavidade da Boca

Apresenta-se revestida por um epitélio estratificado pavimentoso, cujas células superficiais achatadas são nucleadas e apresentam pequena quantidade de queratinha no citoplasma. Nos lábios pode ser observada a transição para epitélio queratinizado da pele. A lâmina própria apresenta papilas conjuntivas similares às da pele, que se continuam com a submucosa, onde são encontradas pequenas e difusas glândulas salivares. O teto da boca é formado pelos palatos duro e mole, ambos revestidos pelo mesmo tipo de epitélio estratificado pavimentoso. No palato duro, a membrana mucosa repousa diretamente sobre o tecido ósseo. O palato mole tem a parte central formada por músculo estriado esquelético e apresenta muitas glândulas salivares mucosas em sua submucosa.

Língua

Este órgão é formado por uma massa de tecido muscular estriado, recoberto por uma mucosa cuja estrutura varia conforme a região estudada. As fibras musculares estriadas se entrecruzam nos três planos do espaço, observando=se os vários feixes separados por grande quantidade de tecido conjuntivo. A mucosa apresenta-se fortemente aderida à massa muscular, devido à penetração do tecido conjuntivo da lâmina própria entre as fibras musculares.
Na superfície inferior da língua a mucosa apresenta-se lisa. Na face superior, porem, seu aspecto é extremamente irregular, devido à presença de um grande número de pequenas saliências, que são as papilas. A região posterior da face superior da língua é separada da anterior por uma linha em forma de V. atrás dessa linha, a superfície da língua apresenta um número discreto de saliências, formadas principalmente por nódulos linfáticos que aparecem: a) como acúmulo de pequeno número de nódulos linfáticos e b) nas tinsilas linguais, que se apresentam como saliências da mucosa. Cada tonsila lingual possui uma cripta, em torno da qual se dispõe grande número de nódulos linfáticos.

PAPILAS LINGUAIS
São elevações do epitélio oral e da lamina própria, que assumem formas e funções diferentes. São a saber:
a)As papilas filiformes, que se apresentam cônicas e alongadas. São as mais freqüentes, cobrem toda a superfície superior da língua e não contem corpúsculos gustativos;
b)As papilas circunvaladas, que tem uma base estreita e uma parte apical mais dilatada, assumindo a forma de um cogumelo. São pouco freqüentes e estão entremeadas com as papilas filiformes. Frequentemente apresentam corpúsculos gustativos.
c)As papilas cirucnvaladas, que tem uma forma achatada e são circundadas por um profundo sulco. Dispõe-se em V, formando o V lingual. São em numero de 7 a 12 e apresentam na sua parede lateral grande número de corpúsculos gustativos. No sulco destas papilas desembocam glândulas salivares linguais serosas. Esta secreção contem uma lípase que provavelmente impede a formação de uma película hidrofólica sobre os botões gustativos, o que dificultaria a função destes receptores sensoriais. O fluxo de secreção salivar em torno das papilas circunvaladas é importante para remover partículas alimentares da superfície dos botões gustativos, mantendo-os aptos a receber e processar novos estímulos gustativos. Alem de seu papel local, a lípase lingual é ativa no pH do estomago e pode digerir até 30% dos triglicerídeos ingeridos.
Ao lado dessas glândulas serosas, relacionadas com este tipo de papila, existem pequenas glândulas mucosas e serosas, distribuídas por toda a mucosa lingual. Também existem outras glândulas salivares relacionadas a corpúsculos gustativos encontrados em outras regiões da cavidade oral, como na epiglote, faringe e palato.

Faringe

É uma dependência da cavidade bucal comum aos aparelhos digestivo e respiratório. Comunica-se com a cavidade nasal e com a laringe. O revestimento epitelial da faringe é estratificado pavimentoso na região que continua com o esôfago, sendo peseudo-estratificado prismático ciliado na região que se comunica com a cavidade nasal.
Faz parte da faringe a tonsila faringiana, estrutura que, por ser essencialmente linfóide, foi estudada. Na lâmina própria da faringe encontra-se pequenos grupos de glândulas salivares mucosas imersas no tecido conjuntivo.

Estrutura Geral do Tubo Digestivo

O tubo digestivo apresenta características estruturais comuns, que serão analisadas agora, ao passo que as particularidades de cada porção serão consideradas oportunamente.
O tubo digestivo é formado por quatro principais camadas ou túnicas, que são: a mucosa, a submucosa, a camada muscular e a camada serosa. A estrutura de cada uma dessas camadas, vindo da luz do órgão para a periferia, é explicada a seguir.

CAMADA MUCOSA
Constituída por:
a)Camada epitelial de revestimento.
b)Lâmina própria de tecido conjuntivo frouxo, rica em vasos sanguíneos e linfáticos e fibras musculares lisas, podendo conter glândulas e tecido linfóide.
c)Muscular da mucosa, que é uma camada delgada de tecido muscular liso.

SUBMUCOSA
Constituída por tecido conjuntivo moderadamente denso rico em vasos sanguíneos e linfáticos, contendo o plexo nervoso submucoso ou de Meissner e podendo apresentar glândulas e tecido linfóide.

CAMADA MUSCULAR
Constituída por:
a)Fibras musculares lisas, orientadas em hélice. Dispõem-se em duas subcamadas, de acordo com a orientação destas fibras. Na camada interna, próxima à luz, as fibras estão dispostas mais circularmente e, na externa, mais longitudinalmente.
b)Plexo nervoso miontérico ou de Auerbach, localizado entre as duas subcamadas musculares.

CAMADA SEROSA
Constituída por:
a)Tecido conjuntivo frouxo, com grande quantidade de células adiposas e vasos sanguíneos e linfáticos.
b)Mesotélio, sob a forma de um epitélio simples pavimentoso.

Histofisiologia

As principais funções do revestimento epitelial da mucosa são: 1) prover uma barreira semipermeável entre o conteúdo do tubo digestivo e o meio interno; 2) facilitar o transporte e a digestão dos alimentos; 3) promover a absorção dos produtos desta digestão. As células desta camada estão envolvidas na produção de muco, na produção de enzimas digestivas e na absorção dos alimentos.
Nódulos linfóides são frequentemente encontrados na lâmina própria e na camada submucosa, protegendo o organismo contra a invasão bacteriana. É fácil compreender a importância desta função, pois quase todo o tubo digestivo é revestido internamente por epitélio simples e, por isso, fino e vulnerável.
Na lâmina própria, logo abaixo do epitélio, existem muitos macrófagos, linfócitos e plasmócitos, havendo ativa produção de imunoglobulinas. Estes anticorpos são principalmente imunoglobulinas A (IgA) e estão ligados a uma proteína produzida pelas células epiteliais, formando a IgA secretora ou SIgA. A SIgA é resistente à digestão e tem atividade protetora contra a invasão de bactérias e vírus. Nesta região a produção de IgA é muito maior do que a produção de IgG ou IgM.
A muscular da mucosa promove a movimentação da mucosa aumentando o contato das células absortivas com o bolo alimentar. A camada muscular promove a mistura e progressão do alimento no tubo digestivo. Sua função contrátil é dependente da coordenação pelos plexos nervosos aí existentes. Estes são constituídos por agrupamentos celulares (neurônios multipolares viscerais) que formam pequenos gânglios e por fibras nervosas aferentes e eferentes. São as fibras pré e pós- ganglionares do sistema nervoso autônomo parassimpático. Uma rica rede de fibras nervosas liga e comunica esses gânglios entre si. A densidade desses gânglios varia ao longo do tubo digestivo, sendo porém, mais freqüente nas porções de maior motilidade.
Em certas doenças, ente as quais a doença congênita de Hirschsprung, ou infeccao pelo Trypanosoma crizi (mal de Chagas), esses plexos são profundamente lesado e a maioria dos seus neurônios pode desaparecer. Isto resulta em distúrbios da motilidade do tubo digestivo, com freqüentes dilatações de certas regiões do mesmo. O fato de o tubo digestivo receber abundante inervação do sistema nervoso autônomo fornece as bases anatômicas para o correlação da ação acentuada do estado emocional sobre o tubo digestivo.

Esôfago

Apresenta-se como um tubo muscular cuja função é transportar rapidamente o alimento da boca para o estomago. É revestido por um epitélio estratificado pavimentoso não-queratinizado. Tem as mesmas camadas descritas para o tubo digestivo em geral. Na submucosa encontra-se grupos de pequenas glândulas mucosas, as glândulas esofágicas. A lâmina própria da região próxima ao estômago apresenta as glândulas cárdicas esofágicas, que também secretam mu  (+ info)

1  2  3  4  

Deixa uma mensagem sobre 'Mielite Transversa'



Não avalia ou garante a precisão de qualquer conteúdo deste site. Clique aqui para ler o termo de responsabilidade.

Última atualização: Setembro 2014