FAQ - Hemangioma
(Powered by Yahoo! Answers)

hemangioma?


queria saber se alguem sabe alguma coisa sobre hemangioma ?
----------

Um hemangioma é um crescimento, generalmente benigno, dos tecidos dos vasos sanguíneos.  (+ info)

Um hemangioma no figado pode estar relacionado a infertilidade?


Pode existir alguma relação entre um hemangioma no figado e infertilidade causada por falta de mobilidade nas trompas?
----------

Converse com um bom médico especializado em fertilidade. vc pode fazer uma gravidez assistida. bjs Boa sorte!  (+ info)

Verrugas que surgem no hemangioma podem ser retiradas?


Tenho um hemangioma no pescoço desde que nasci, e agora começaram a surgir pequenas "verrugas" podem ser retiradas, como?
----------

Olá.Se o seu hemangioma de nascença for do tipo HEMANGIOMA PLANO ele pode ser minimizado ou até erradicado completamente com LIP(Luz Intensa Pulsada).Em nossa clínica de medicina estética em Belo Horizonte temos alguns casos que estão indo muito bem.As verrugas a que voce se refere,pelo que eu entendí,nasceram sobre o hemangioma.Se isso for verdade,pode ser que não se tratem de verrugas e sim de nova forma de crescimento do próprio hemangioma.Aconselho a procurar sem demora um bom dermatologista.Hemangioma é um tumor vascular benigno e tranquilo.No entanto,se ele começa a se multiplicar e a crescer,sem um motivo aparente,e na fase adulta,o melhor é dar uma boa espiada,e ninguém é melhor do que o dermatologista,pra isso.Depois me passe mais detalhes.Um abraço.  (+ info)

Qual é o tratamento para hemangioma tuberoso avançado em paciente de 52 anos?


Paciente apresenta hemorragias nasal, auricular e na urina. e apresentou uma lesão no fígado à alguns meses.
----------

Geralmente nos casos de hemangioma tuberoso é feito o tratamento com corticoterapia e interferon. No entanto, pelo que está sendo apresentado - hemorragias e lesões internas, é muito prudente que o paciente seja acompanhado por uma equipe multidisciplinar. Procure a equipe de cirurgia reparadora do Hospital AC Camargo (Hospital do Câncer em São Paulo) ou o departamento de oncologia do Hospital das Clínicas de SP. Se tiver mais dúvidas, entre em contato com a Abraphel (Associação Brasileira de Pessoas com Hemangiomas e Linfangiomas) no site www.abraphel.org.br.  (+ info)

no tratamento hemangioma vertebrais que e como é a cirurgia ?


A radioterapia no tratamento hemangioma vertebrais ,ou associada à cirurgia. que cirurgia ?
----------

INTRODUÇÃO

O hemangioma é uma proliferação vascular benigna que pode ser capilar ou cavernosa. O hemangioma vertebral geralmente é assintomático e descoberto incidentalmente, sendo relatada incidência de 11% em uma série de necropsias(1). Quando sintomático, a apresentação mais freqüente ocorre sob a forma de dorsalgia e, em alguns casos, pode estar associada a compressão radicular ou medular, causando déficits sensitivo e motor(2).

Na radiografia simples os hemangiomas caracterizam-se por apresentar trabeculados verticais paralelos nos corpos vertebrais. A tomografia computadorizada (TC) revela a presença de trabéculas espessas e áreas radiotransparentes, e a ressonância magnética (RM) apresenta sinais hiperintensos em T1 e T2(3).

A radioterapia pode ser utilizada no tratamento dos hemangiomas vertebrais de forma exclusiva ou associada à cirurgia. Há poucos relatos na literatura sobre a utilização de radioterapia exclusiva em hemangiomas vertebrais, e a revisão dessas publicações prévias demonstra a variabilidade de esquemas propostos em casos isolados ou pequenas séries(4-8).

Neste relato descrevemos a apresentação clínica e dos exames de imagem, e a utilização da radioterapia exclusiva em um caso de hemangioma vertebral, e complementamos com revisão da literatura.



RELATO DO CASO

Paciente do sexo feminino, 31 anos de idade, com história de dorsalgia de caráter progressivo e sem irradiação há cerca de um ano. Fez uso de antiinflamatório não-hormonal e colete ortopédico para correção postural, porém não houve melhora do quadro, sendo então encaminhada para avaliação de radioterapia. Apresentava exame físico normal à admissão.

A radiografia da coluna vertebral (Figura 1) mostrava estrias verticais formadas por traves ósseas dissociadas nos corpos vertebrais de T12 e L2.








A TC da coluna (Figura 2) evidenciava áreas na medula do corpo vertebral de T12 e L2 com trabeculações esparsas e faixas hipoatenuantes alternadas sem sinais de lesão cortical ou lesão infiltrativa. Mostrava características compatíveis com hemangioma vertebral de T12 e L2.








A RM da coluna (Figura 3) mostrava extensa alteração do trabeculado ósseo medular dos corpos vertebrais de T12 e L2, comprometendo inclusive o pedículo esquerdo de T12, caracterizada por alto sinal em T1 e T2, entremeado por focos de ausência de sinal em todas as seqüências. Esses focos eram sugestivos de padrão vascular e apresentaram certo grau de realce após o uso de contraste paramagnético. As alterações eram sugestivas de hemangioma ósseo de T12 e L2.








A paciente foi submetida a radioterapia exclusiva com fótons de 4 MV em três campos posteriores de T11 a L3 (Figura 4). Utilizou-se técnica isocêntrica com um campo posterior direto (peso 1) e dois campos oblíquos de 60º (peso 0,6) com filtro em cunha de 60º. A dose total proposta foi de 40 Gy em 20 frações de 2 Gy e normalizada no isocentro, ou seja, a 7 cm de profundidade em relação ao dorso. Optou-se pela curva de isodose de 98% (Figura 5).

















DISCUSSÃO

Dentre os hemangiomas ósseos, a coluna vertebral é o sítio mais freqüentemente acometido, correspondendo a 20% dos casos(8). A coluna torácica e a lombar são os locais mais acometidos pelos hemangiomas vertebrais(9). O envolvimento multifocal da coluna vertebral é observado em cerca de 30% dos casos descritos na literatura e, geralmente, há o envolvimento de dois a cinco níveis não-contíguos(10). No caso ora relatado observamos o envolvimento de T12 e L2.

O diagnóstico geralmente é realizado por meio da detecção de alterações típicas dos exames de imagem. Na radiografia simples a lesão na coluna pode apresentar-se como estrias verticais paralelas formadas pela dissociação das trabéculas ósseas sem alargamento do corpo vertebral, o que é considerado patognomônico. Pela TC é possível observar as traves ósseas esparsas alternadas com áreas hipertransparentes em cortes axiais. A RM demonstra sinais hiperintensos nos corpos vertebrais lesados, devido à substituição gordurosa(3). Padrões radiológicos semelhantes são encontrados na osteoporose, doença de Paget e osteodistrofia renal.

Os hemangiomas, como todos os pequenos vasos e capilares, possuem moderada radiossensibilidade. Quando submetido à radiação, o endotélio dos pequenos vasos apresenta alterações precoces como degeneração, edema e necrose. As alterações radioinduzidas tardias dos pequenos vasos estão relacionadas à resposta do tecido conectivo intersticial, levando a fibrose e conseqüente estenose desses vasos(11). Sabe-se que as alterações tardias, as quais são mais permanentes e efetivas, estão diretamente relacionadas com o aumento da dose por fração(12).

Vários métodos são descritos no tratamento do hemangioma vertebral. Nos casos de compressão medular, cirurgia descompressiva seguida ou não de radioterapia tem sido o tratamento de escolha(13-15), a despeito de alguns autores preconizarem radioterapia exclusiva por causa dos riscos de sangramento intra-operatório(1,16). Yang et al.(17) relataram que cinco de sete pacientes paraplégicos obtiveram remissão completa do quadro com radioterapia exclusiva na dose de 30 a 40 Gy durante quatro a seis semanas. Quadros associados a dorsalgia e sem déficits neurológicos podem ser conduzidos mediante observação periódica e tratamento clínico, sendo os casos refratários encaminhados à radioterapia exclusiva. Neste caso descrito, a paciente apresentava queixa de dorsalgia há um ano, a qual fora refratária ao tratamento com correção postural através do uso de colete ortopédico e antiinflamatório não-hormonal.

Em virtude do pequeno número de pacientes e séries publicados, não há discussão detalhada com relação à dose e regimes propostos. Manning(16) preconizava que cursos repetidos de irradiação seriam necessários a fim de se obter um efeito adequado. Entretanto, Yang et al.(17) notaram que somente um em seis pacientes obteve remissão completa da dor com múltiplos cursos de irradiação, com 10 a 20 Gy por curso. O efeito de cursos múltiplos com doses mais baixas não foi melhor do que o efeito de um único curso com dose mais alta, com cerca de 30 a 40 Gy.

Os esquemas mais utilizados na radioterapia do hemangioma são baseados em doses de 30 Gy em dez frações ou 40 Gy em 20 frações, sendo que 60% a 80% dos pacientes obtêm permanente e significante melhora dos sintomas como dor, paresia e paralisia(5,7,17). Heyd et al.(18), em revisão da literatura, encontraram 59 relatos no período compreendido entre 1929 e 2000, totalizando 327 casos. A análise de 55 trabalhos que relataram um total de 210 casos, nos quais se utilizou radioterapia exclusiva ou associada a outros métodos de tratamento, demonstrou que em 54% dos casos houve remissão completa dos sintomas, em 32% obteve-se remissão parcial e em 11% não houve resposta.

O período de seguimento deste caso descrito foi de três meses, ao final do qual a paciente referia remissão parcial da dor. Não esperamos alteração do padrão radiológico após o tratamento. Apesar de serem indispensáveis para o diagnóstico do hemangioma vertebral, os exames de imagem não são úteis na avaliação dos efeitos da radioterapia. Sakata et al.(9) relataram que nenhum dos pacientes submetidos à radioterapia demonstrou qualquer alteração da vértebra acometida através da radiografia simples, TC ou RM, mesmo após cinco anos de tratamento.

Faria et al.(5) trataram nove pacientes ao longo de cinco anos, com dose de 30 a 40 Gy em frações diárias de 2 Gy, cinco dias por semana, e 77% dos pacientes obtiveram melhora permanente ou remissão dos sintomas relacionados ao hemangioma vertebral num período de seguimento compreendido entre seis e 62 meses. Sugeriram ser a dose total de 40 Gy a mais adequada, pois, além de ser a dose máxima permitida, em virtude da dose de tolerância da medula espinhal, quanto maior a dose, maior o dano vascular.

No presente caso utilizamos três campos posteriores, com a finalidade de diminuirmos a dose total na medula através do campo posterior direto. Os dois campos oblíquos foram angulados em 60º, com o propósito de evitarmos a irradiação dos rins, haja vista que a dose de tolerância para um risco de 50% de complicações em cinco anos, quando dois terços do órgão são irradiados, é de 40 Gy.

Concordamos que a dose total de 40 Gy em frações diárias de 2 Gy seja a mais adequada na radioterapia exclusiva do hemangioma vertebral, sendo que o quadro clínico é o único parâmetro disponível para a avaliação da resposta à radioterapia.



@  (+ info)

Mulheres que possue hemangioma pode utilizar anticoncepcional?


Ouvi dizer que pela dosagem de hormonio não é recomendado. isto é verdade?
----------

Ouvi dizer o mesmo que ouviu  (+ info)

Tenho um hemangioma tumoral no lábio. Qual especialista devo consultar para tratar e remover o hemangioma?


Para diagnosticar = Dermatologista.
Para remover = Cirurgião Plástico.  (+ info)

Quais os riscos de não tratar um hemangioma hepatico?


Lilica,
O hemangioma hepático não requer tratamento na maioria dos casos, pois corre-se mais risco para tratá-lo do que para deixá-lo em paz.
Há risco maior de ruptura por traumas abdominais no caso dos grandes hemangiomas. No site http://www.medicinenet.com um artigo recomenda a remoção cirúrgica só para os de grande volume como se vê no texto abaixo.

http://www.medicinenet.com/hepatic_hemangioma/article.htm#4whatis
The vast majority of hepatic hemangiomas require no treatment. If a hepatic hemangioma is large, especially if it is causing symptoms, surgical removal is an option.

Mesmo para hemangiomas com mais de 10cm alguns autores (ver o link mais abaixo) discordam que se deva realizar a sua remoção cirúrgica.
http://emedicine.medscape.com/article/177106-treatment

É um tumor benigno e não há risco de transformação maligna.
Espero ter ajudado.  (+ info)

hemangioma na coluna cervical que já tem hérnia de disco?


na minha ultima ressonância deu hérnias discais da c3 ac7 e hemangioma, meu neuro falou que ñ é coisa pra me preocupar, mas isso é impossível alguém poderia me dar + informações a respeito as dores continuam as mesmas o qu causa o hemangioma e oq fazer. será q estou c/ cancer.
----------

Não tema: Jesus Cristo, o Médico dos Médicos, pode curar você. Para Jesus poder agir na sua vida, curando-a, você precisa aceitá-Lo em seu coração como Único e Suficiente Salvador da sua vida, arrependendo-se dos seus pecados (leia Mateus 3: 2, 6 e 4: 17), crer que Ele já levou todas as nossas enfermidades, dores, pecados e tudo que nos oprimia sobre Si (leia Isaías 53), e então fazer a Oração da Fé, repreendendo as enfermidades para fora do seu corpo em Nome de Jesus (leia Marcos 16: 17-18), e assim determinar a cura definitiva para você. Leia também Atos 9: 32-34 e 16: 31.
Para provar que a cura divina é real: recebi várias curas através da Fé em Jesus (caroços, desgaste dos joelhos, úlcera, anemia, etc.).
Recomendo que procure uma igreja evangélica para ouvir as pregações da Palavra de Deus, escrita na Bíblia, para crescer na Fé e assim alcançar muitas bênçãos.

Receba a cura em Nome de Jesus!  (+ info)

fiz uma ressonância i deu um pequeno hemangioma vertebral alguem sabe se o único tratamento e a radioterapia?


éo crescimento benígno dos vasos sanguineos.Não entendi o porque
da radioterapia, foi feita a biópsia?

bjs, Luz!!!  (+ info)

1  2  3  4  5  

Deixa uma mensagem ou imagem sobre "Hemangioma" (ou acessa o fórum):