http://lookfordiagnosis.com
English
Spanish
Italian
Portuguese
French
Swedish

FAQ - Esclerose Múltipla Crônica Progressiva
(Powered by Yahoo! Answers)

Esclerose múltipla...?


Alguém me sabe informar se está a ser desenvolvido algum novo medicamento para a esclerose múltipla que substitua as injecções de interferon? Estou a dar em doida com as injecções, parece que cada vez doem mais! :(
----------

Tenho 2 amigos com esse problema. Eles tem esperança com a célula tronco. Mas, ontem recebi um dvd sobre auto-hemoterapia, dê uma olhada e procure ver pessoas que já fizeram e estudar mais o caso. quem sabe?  (+ info)

Você tem algum parente portador de Esclerose Múltipla ? Como você e a sua família lidam com isso?


Gostaria de trocar experiências e impressões sobre como as famílias e portadores lidam com esta doença crônica. Um abraço a todos
----------

Felismente na familia não, mas tenho uma amiga de 42 anos que sofre desse mal, e a familia fez até cursos para saber lidar.

Existem muitas comunidades no ORKUT que tratam desse assunto.

Esclerose múltipla





Definição
É uma doença provavelmente autoimune, onde há destruição da mielina (envoltório dos axônios dos neurônios que fazem o impulso nervoso correr em alta velocidade) por autoanticorpos. Com esta destruição, o impulso nervoso corre vagarosamente, alterando a função cerebral e dos nervos. Estudos epidemiológicos mostram que a esclerose múltipla é muito mais comum em pessoas decendendes do oeste europeu, zonas temperadas. Fatores genéticos, dietéticos e ambientais estão relacionados com esta estatistica. Há associação com antígeno HLA-DR2.
Patologicamente há uma desmielienização perivenular focal com gliose reativa disseminada pela substância branca dos cérebro, da medula espinhal e do nervo óptico.


Diagnóstico
Sintomas iniciais costumam ser fraqueza, formigamento e dormência em uma membro ( braço ou perna); paraparesia espástica (lesão dos motoneurônio superior); neurite retrobulbar levando a diminuição da acuidade visual e até ambliopia ( cegueira temporária); diplopia por paresia do m. reto medial unilateral (estrabismo divergente) ;desequilíbrio, distúrbio esfincteriano (incontinência fecal/urinária). Os sintomas tendem a desaparecer em poucos dias ou semanas.

Exame físico:

Mental - Apatia, falta de julgamento, desatenção, euforia, choro súbito

Olhos - Atrofia do nervo óptico, oftalmoplegia com diplopia ( pares III, IV, VI), papila óptica congesta.

Motor - Sinal de Babinski positivo e clono, hiperrreflexia dos reflexos profundos. Reflexos superficiais abdominais estão diminuídos. Ataxia, espasticidade. Tremor de intenção cerebelar, hemiplegia.Tríade de Charcot - Fala escandida, tremor de intenção e nistagmo. É um sinal de doença avançada no cerebelo.

Sensorial - Parestesias de mãos e pés, hemianestesia.

Sinal de Lhérmitte - flete os pescoço do paciente com força e ele sente um choque na medula.

FORMAS CLÍNICAS -

Relapsante-remitente : Os sintomas agudos se repetem com intervalo de meses ou anos e desaparecem sem deixas seqüelas, ou deixam seqüelas pequenas.Esse quadros agudos podem ser precipitados por infecção, trauma, 2-3 meses pos-gravidez...
Forma progressiva secundária : Semelhante ao descrito acima, porém em cada agudização há uma piora da doença, deixando seqüelas importantes como a cegueira, ataxia dos membros, espasticidade, fraqueza, nistagmo, disartria e síndrome piramidal.
Forma progressiva primária : A doença não ocorre em surtos agudos e nem recorre. Há uma progressão contínua que vai se agravando com os anos.
DIAGNÓSTICO POR IMAGEM:

Padrão outro : Ressonância magnética (RNM) do cérebro e medula espinal. Observa-se placas na substância branca mais comumente periventricular, sendo pretas em T1 e brancas em T2 e em múltiplos locais na medula espinal.

ESTUDOS LABORATORIAIS:

Estudo eletrocerebral da resposta evocada por estimulo monocular visual - mostra diminuição da propagação neuronal ao nível de tronco cerebral, nervo optico e suas vias.
Hemograma : Linfocitose e alta concentração de proteínas do LCR ( líquor), principalmente na fase aguda.
Eletroforese das proteínas do líquor ( LCR) mostra IgG elevada e bandas oligoclonais ( IgGs).



Prognóstico e Tratamento


Não há como impedir a progressão da doença. O que é possível fazer é acelerar a recuperação durante a fase aguda inicial ou relapsante. Usa-se para este fim, corticosteróides (metilprednisolona 1g EV por 3 dias seguidos de prednisona 80 mg V.O diário por 1 semana, mantendo o medicamento por mais 3 semanas diminuindo progressivamente a dose).

Uso de beta interferon reduz a freqüência de exarcebações.

Estudos recentes mostram benefício de ciclofosfamida e azatioprina em retardar as evolução crônica.





@  (+ info)

Qual é a diferença e semelhança entre esclerose múltipla e a adrenoleucodistrofia?


Tanto a Esclerose Múltipla (EM) quando a Adrenoleucodistrofia (ALD) são doenças do sistema nervoso central que caracterizam-se por um processo de DESMIELINIZAÇÃO, ou seja, ambas as doenças progridem com a perda da mielina ("capa de gordura") que envolve os prolongamentos (axônios) dos neurônios. Esta perda da mielina leva a alterações no mecanismo de comunicação dos neurônios e seus órgãos efetores. Ambas as doenças são progressivas, ou seja, pioram com o passar do tempo, aumentando ainda mais as limitações dos pacientes.

A Adrenoleucodistrofia é de causa genética, onde há a produção de uma enzima anormal no organismo que acaba por lesar a mielina no sistema nervoso central. Ela é classificada como uma série de doenças conhecidas como Erro inato do metabolismo.

Já a Esclerose Mútlipla, não tem uma causa bem definida ainda. Sabe-se que é uma doença auto-imune, ou seja, alguns anticorpos da própria pessoa destroem a mielina do sistema nervoso central pelo processo de inflamação que essa resposta provoca. Algumas teorias dão como início da EM um quadro de infecção viral ou bacteriano, que pode levar ao surgimento de anticorpos que acabam também por lesar a mielina. Mas ninguém sabe ao certo qual a sua causa inicial. Também se observou que algumas pessoas possuem mais tendência a ter a EM do que outras (mostrando um componente genético importante) mas que necessita do estímulo ambiental para poder se iniciar.

Uma diferença básica, mas que não deve ser seguida a risca, é que a ALD geralmente é mais comum em crianças e do sexo masculino, enquanto a EM geralmente tem um início mais tardio e geralmente acomete mais mulheres e da raça branca. Mas a apresentação clínica de ambas as doenças são muito variáveis.

Espero ter ajudado um pouco.  (+ info)

A esclerose facetária é progressiva como a múltipla?Tem cura?


A esclerose múltipla (EM) ou esclerose disseminada é uma doença neurológica crônica, de causa ainda desconhecida, com maior incidência em mulheres e indivíduos da raça branca. Este tipo de patologia leva a uma destruição da bainha de mielina que recobre e isola as fibras nervosas do sistema nervoso central (estruturas do cérebro).

Esta doença causa uma piora do estado geral do paciente, levando-o à fraqueza muscular, rigidez articular, dores articulares e descoordenação motora causando dificuldades para realizar vários movimentos com os braços e pernas, perda do equilíbrio em pé, dificuldade para andar, tremores, e formigamento em partes do corpo.

Em alguns casos pode causar insuficiência respiratória, incontinência ou retenção urinária, alterações visuais graves, perda de audição, depressão e impotência sexual.

Em estágios mais graves da doença, podemos observar um comprometimento respiratório, levando inclusive a episódios de infecção ou insuficiência respiratória, que devem ser tratados com atenção e rapidez, minimizando o desconforto do paciente e uma provável piora do seu estado geral.

Exercícios para desobstruir os brônquios, exercícios para reexpansão pulmonar, reeducação diafragmática e da musculatura acessória, com uso de incentivadores respiratórios, são métodos utilizados para minimizar os desconfortos causados por esta patologia.  (+ info)

Alguém sabe de algum medicamento para rigidez muscular na Esclerose Múltipla?


Esclerose Multipla
----------

Existe sim.

Mas eu não arriscaria citar pois depende do paciente e do medico que acompanha.

@  (+ info)

Que resultados já houve de melhora ou cura da esclerose múltipla atraves do reiki?


to por fora  (+ info)

Tenho Esclerose Múltipla gostaria de saber se alguém tem e se já iniciou o tratamento com Beta Interferon 1A?


30mcg? Teve alguma reação? Se este medicamento for muito evasivo existe tratamentos alternativos? Descobri esta doença faz 01 mês estou muito apavorada e com muitas dúvidas, gostaria de conversar com mais pessoas que tem esclerose e se tratam!

Obrigada
----------

No link abaixo pode conseguir informações

http://br.answers.yahoo.com/search/search_result;_ylt=AuuOaV0jNV6YT031NtjnrbH07At.;_ylv=3?p=Esclerose+M%C3%BAltipla+Interferon+1A

bjão baby  (+ info)

Qual a diferença entre esquizofrenia e esclerose múltipla?Existe tratamento para a cura?


ESQUIZOFRENIA (do grego σχιζοφρενία; σχίζειν, "dividir"; e φρήν, "phren", "phrenés", no antigo grego, parte do corpo identificada por fazer a ligação entre o corpo e a alma) é um transtorno psíquico severo que se caracteriza classicamente por uma coleção de sintomas que podem ocorrer, como: alterações do pensamento, alucinações (sobretudo auditivas), delírios e perda de contato com a realidade. Junto da paranoia (transtorno delirante persistente, na CID-10) e dos transtornos graves do humor (a antiga psicose maníaco-depressiva, hoje fragmentada na CID-10 em episódio maníaco, episódio depressivo grave e transtorno bipolar), as esquizofrenias compõem o grupo das psicoses
É hoje encarada não como doença, no sentido clássico do termo, mas sim como um grupo de sintomas, atingindo todas as classes sociais e grupos humanos.
De acordo com algumas estatísticas, a esquizofrenia atinge 1% da população mundial,[2] manifestando-se habitualmente entre os 15 e os 25 anos, nos homens e nas mulheres, podendo igualmente ocorrer na infância ou na meia-idade.

ESCLEROSE MÚLTIPLA (EM) é uma doença inflamatória que não tem cura e extremamente invasiva. Atinge as fibras nervosas responsáveis pela transmissão de comandos do cérebro a várias partes do corpo, provocando um descontrole interno generalizado. Muitas vezes o termo esclerosado é usado para as pessoas que perdem a memória ou apresentam outras confusões mentais quando vão envelhecendo. Não tem nada a ver! A esclerose múltipla não tem nenhuma relação com as limitações que surgem com o envelhecimento. Trata-se de um problema comum em adultos jovens, na faixa de 20 a 40 anos. O maior pico é por volta dos 30 anos. Raramente pessoas na terceira idade desenvolvem a doença.
A esclerose múltipla não é um processo degenerativo contagioso e, na maioria dos casos, não é fatal. Apesar de não ser herdada, atinge pessoas geneticamente predispostas a doença e se manifesta de diferentes modos. Atualmente, há cerca de 35 mil brasileiros que sofrem deste mal. E, em geral, as mulheres são as mais atingidas (na proporção de duas mulheres para um homem).  (+ info)

Exercícios como ficar falando ou aquecimento vocal ajudam a adiar a perca de voz na esclerose múltipla?


Se ajudar, por favor me expliquem como. Se não, também expliquem por favor. Agradeço a atenção.
----------

O aquecimento vocal é uma prática saudável e recomendada por fonoaudiólogos para profissionais da voz, pessoas que utilizam a voz como ferramenta para o trabalho — atores, professores, cantores, locutores, advogados, oradores, apresentadores, dubladores, operadores de telemarketing, ambulantes, políticos, fonoaudiólogos e muitas outras categorias que se enquandram neste perfil de profissional.
O aquecimento vocal promove a saúde vocal e a potencialização das características da voz, atendendo a uma demanda vocal que pode provocar sintomas desagradáveis como rouquidão, cansaço e fadiga (vocal e, com as recidivas, corporal). O profissional da voz que está sempre rouco, fica cansado fisicamente durante o trabalho com uso da voz. Ele necessita de conhecimento e treinamento sobre o uso mais adequado da sua voz como medida profiláxica.
A voz é produzida na laringe, nas pregas vocais (que correspondem a dois pares de músculos, o tíreo-aritenóideo, de cada lado). Quando inspiramos, armazemos uma quantidade de ar nos pulmões. Durante a fala, esse ar é expirado, passando pelas pregas vocais e, devido a mudanças de padrões da musculatura, gerados pelo cérebro, provoca mudanças de pressão abaixo das pregas vocais. Essa pressão faz com que as pregas vocais vibrem durante a passagem do ar. Esse mecanismo se assemelha a um balão (bexiga) quando abrimos sua boca para a passagem do ar com um ruído intenso. O mesmo acontece com a voz. A vibração das pregas vocais quando da passagem do ar expiratório gera um som conhecido por nós como voz.
Todo este aparato pode, muito freqüentemente, provocar tensões e maus padrões na musculatura e demais estruturas envolvidas na produção da voz (fonação). Alguns destes padrões nocivos podem levar a patologias vocais funcionais ou orgânicas.
O aquecimento vocal é um meio para nos prevenirmos desses males, pois, além de potencializar nossa capacidade de projetar a voz, equilibrando a emissão e dando resistência vocal a pessoas que falam por um longo período de tempo, ainda nos despertam para o auto-cuidado com a voz e a propriocepção, que o sentido de percebermos nosso corpo (no caso, o que está envolvido na fonação).
A fisiologia do aquecimento vocal segue a mesma lógica de qualquer outro aquecimento muscular.  (+ info)

Existem doenças com sintomas semelhantes aos da esclerose múltipla?


É que eu li alguns artigos sobre essa doença e fiquei um pouco assutada, pois tenho alguns dos sintomas...tontura, zumbido, formigamento (nunca num membro inteiro, é em pequenas áreas das pernas, barriga ou couro cabeludo...). Ultimamente tbm tenho andado muito fatigada.
----------

Querida,
Tá na moda a fibromialgina. Uma síndrome terrível que não pode ser diagnosticada por exames. Alguns sites têm até um mapa do corpo onde as dores são mais frequentes. Uma dica é que a fibro é espelhada. Por exemplo, se dói o joelho esquerdo, dói o direito também. Se dói uma omoplata, a outra também. Nunca é um lado do corpo que dói. A dor pode ser controlada mas o cansaço não e é ele o maior vilão.
Pesquise. Procure um médico para fazer exames básicos. Não se preocupe muito. Tudo tem jeito.  (+ info)

1  2  3  4  5  

Deixa uma mensagem ou imagem sobre "Esclerose Múltipla Crônica Progressiva" (ou acessa o fórum):