FAQ - Ceratite
(Powered by Yahoo! Answers)

ceratite....?


Há 7 meses, submeti-me a uma cirurgia de refração de miopia (método PRK). Algum tempo depois, em várias vezes, tenho ao acordar, exatamente quando abro os olhos, uma espécie de atrito nos olhos (creio que seja entre a córnea e a superfície das pálpebras) o que causa muita dor e uma estranha "sensação de conjutivite" logo após, coisa que continua por algumas horas e até dias depois. Fui à minha médica oftalmologista e ela diagnosticou como ceratite, uma espécie de lesão no epitélio da córnea, certamente ocasionada pelos vários atritos que venho tido nos olhos . O que não sabemos é q tem provocado isso. Parece-nos que seja uma perda de lubrificação no olho que venha provocando isso. Mas por que será que está havendo essa perda? Desconfio que esteja também relacionado ao fato de eu estar dormindo com o olho semi-fechado, pois a ceratite tem se concentrado na parte inferior dos olhos.Gostaria que alguem opinasse a respeito pois estou preocupada com as frequentes ceratites que tenho tido.
----------

porq vc nao procura outro medico so para confirmar de é ceratite mesmo?
se deu alguma coisa eu sempre procuro mais de um medico...
boa sorte em !!  (+ info)

Gostaria de saber mais a respeito da ceratite visual, será que alguém poderia me dizer a este respeito?


"Ceratite visual" é um pleonasmo (desculpe a correção , mas não me contive). Pleonasmo é o mesmo que você dizer estou com cefaléia (dor de cabeça) na cabeça. Obviamente a dor de cabeça só pode ser na cabeça. O mesmo ocorre com a expressão que você usou. Não existe ceratite visual e sim ceratite. Ceratite é uma palavra que se origina de duas palavras: ceratos (córnea) + ite (inflamação). A ceratite é toda a inflamação na córnea. Ela pode ser estéril ou infecciosa (causada por microorganismos). Se ela for infecciosa e estiver localizada na área central , trata-se de um problema gravíssimo pois está atingindo a área central da córnea. Se não for adequadamente tratada pode levar à perfuração e infecção generalizada do olho (endoftalmite). A córnea é uma barreira natural do olho e, quando esta barreira é quebrada , microorgansmos podem entrar (bactérias , fungos, etc) e causar o dano. O uso incorreto de lentes de contato (falta de higiene, falta de conhecimento de limpeza e conservação) pode levar à ceratite.
Vírus também podem causar ceratite (herpes) e é uma doença dolorosa.
Os olhos ficam vermelhos, doloridos , há fotofobia (rejeição à luz) e , dependendo da localização, baixa de visão.
Não se deve brincar com a ceratite, deve-se , com urgência procurar o médico oftalmologista.  (+ info)

olá tenho ceratite gostaria de saber + sobre esse assunto?


olá tenho ceratite no olho direito,gostaria de saber se existe cura,se alguem conhece um tratamento mais eficaz,pois estou usando uma pomada a + de 1 ano e ainda nao estou curado dessa dor, meus olhos ardem muito as vezes parecem q ate vao saltar pr afora de meu corpo
desde ja agradeço ...
um forte abraço a tdos t+
----------

A ceratite consiste na inflamação da córnea, a porção externa dos olhos que refrata e transmite a luz e ainda funciona como barreira protetora da superfície do globo ocular.


Seja qual for sua origem, a doença progride rapidamente e, sem tratamento, provoca graves lesões na córnea, com risco de perfuração dessa porção, além de afetar outras áreas do olho. Com isso, pode levar o indivíduo a sofrer uma importante queda em sua capacidade visual e até mesmo à perda de sua visão.
A principal causa das ceratites é mesmo a infecciosa, proveniente da ação de vírus, bactérias, amebas e fungos. A aquisição desses microrganismos está bastante relacionada com o uso de lentes de contato e de produtos empregados para sua desinfecção, mas ocorre igualmente em estados de imunodeficiência, ou seja, da debilidade do sistema imunológico decorrente de doenças e tratamentos, e em cirurgias oftalmológicas.

A inflamação da córnea também pode ser causada por outros distúrbios que afetam a superfície ocular, como a xeroftalmia, como a que ocorre nas pessoas portadoras da síndrome de Sjögren ou que por algum motivo não conseguem piscar ou fechar os olhos ao dormir.

Há, ainda, a ceratite traumática, provocada por agressões externas, a exemplo do contato acidental com substâncias tóxicas, assim como a medicamentosa, que envolve alergia a medicações. A exposição desprotegida e prolongada à luz ultravioleta também é capaz de agredir e inflamar a córnea.

Por fim, existe a possibilidade de o processo inflamatório estar associado a algumas doenças auto-imunes, como a artrite reumatóide, nas quais um descontrole do sistema imunológico leva as células de defesa a se voltar contra os constituintes do próprio corpo.

O diagnóstico da ceratite costuma ser feito no consultório do oftalmologista, com base na avaliação oftalmológica, realizada com uma luz especial – a lâmpada de fenda. Contudo, a determinação da causa da inflamação geralmente demanda exames complementares, como a biomicroscopia, que visualiza a camada externa do olho com lentes especiais, permitindo a análise detalhada do aspecto da lesão, e a microscopia especular da córnea, que quantifica e estuda as células contidas no interior dos vasos sangüíneos.

Algumas vezes, pode ser necessário um exame de cultura de raspado da córnea para o isolamento do agente infeccioso, de modo a permitir a diferenciação de uma ceratite de origem bacteriana de inflamações provocadas por outros patógenos importantes, como o protozoário Acanthamoeba e o vírus Herpes simplex. Os resultados da investigação inicial podem levar o médico a pedir também exames laboratoriais para pesquisar o possível envolvimento do quadro com doenças auto-imunes.

O tratamento varia conforme o fator que originou a ceratite. As inflamações desencadeadas por bactérias, amebas e fungos requerem antimicrobianos adequados para combater o microrganismo responsável pelo quadro. As virais, como a maioria das viroses, só precisam de medidas de suporte até o que o organismo combata naturalmente o vírus. A única exceção é a infecção pelo Herpes simplex, que deve ser tratada com antivirais e com outros medicamentos para auxiliar o controle da doença e evitar sua progressão.

Por sua vez, a abordagem das ceratites traumáticas e medicamentosas, assim como das causadas pela exposição à luz ultravioleta, inclui estratégias como o uso de antiinflamatórios, lavagens e oclusão do olho afetado, as quais podem ser adotadas em conjunto ou isoladamente.

Já o tratamento da ceratite relacionada com doenças auto-imunes requer o envolvimento de um reumatologista, pois implica a administração de medicações imunossupressoras, que reduzem a resposta do sistema imunológico contra as células da córnea.

Nos pacientes com xeroftalmia, o tratamento passa pelo uso regular de colírios lubrificantes, que funcionam como lágrimas artificiais, mantendo a córnea sadia. Nos casos em que a ceratite evolui para infecções profundas com ulcerações e cicatrizes ou até mesmo perfuração da córnea, a única saída para restaurar a acuidade visual é o transplante de córnea.

A principal medida preventiva em matéria de ceratites envolve o cuidado com as lentes de contato. É necessário seguir estritamente as recomendações do oftalmologista e do fabricante em relação a uso, manutenção e prazo de validade das mesmas, além de se certificar da procedência dos produtos empregados para sua limpeza e desinfecção.

Lentes e piscina representam uma combinação péssima, que favorece a infecção por Acanthamoeba, já que essa ameba gosta de água. Da mesma forma, adormecer sem tirar as lentes constitui um costume pouco saudável para a córnea. Os cuidados se completam com uma visita ao oftalmologista a cada seis meses.

Já quem trabalha exposto a substâncias químicas e/ou a chamas e a faíscas precisa resguardar a córnea de agressões com o uso de equipamentos de proteção individual. Por último, uma recomendação universal: nenhum colírio deve ser instilado nos olhos sem prescrição médica ou além do período recomendado.

O diagnóstico da ceratite costuma ser feito no consultório do oftalmologista, com base na avaliação oftalmológica, realizada com uma luz especial – a lâmpada de fenda. Contudo, a determinação da causa da inflamação geralmente demanda exames complementares, como a biomicroscopia, que visualiza a camada externa do olho com lentes especiais, permitindo a análise detalhada do aspecto da lesão, e a microscopia especular da córnea, que quantifica e estuda as células contidas no interior dos vasos sangüíneos.

Algumas vezes, pode ser necessário um exame de cultura de raspado da córnea para o isolamento do agente infeccioso, de modo a permitir a diferenciação de uma ceratite de origem bacteriana de inflamações provocadas por outros patógenos importantes, como o protozoário Acanthamoeba e o vírus Herpes simplex. Os resultados da investigação inicial podem levar o médico a pedir também exames laboratoriais para pesquisar o possível envolvimento do quadro com doenças auto-imunes.

O tratamento varia conforme o fator que originou a ceratite. As inflamações desencadeadas por bactérias, amebas e fungos requerem antimicrobianos adequados para combater o microrganismo responsável pelo quadro. As virais, como a maioria das viroses, só precisam de medidas de suporte até o que o organismo combata naturalmente o vírus. A única exceção é a infecção pelo Herpes simplex, que deve ser tratada com antivirais e com outros medicamentos para auxiliar o controle da doença e evitar sua progressão.

Por sua vez, a abordagem das ceratites traumáticas e medicamentosas, assim como das causadas pela exposição à luz ultravioleta, inclui estratégias como o uso de antiinflamatórios, lavagens e oclusão do olho afetado, as quais podem ser adotadas em conjunto ou isoladamente.

Já o tratamento da ceratite relacionada com doenças auto-imunes requer o envolvimento de um reumatologista, pois implica a administração de medicações imunossupressoras, que reduzem a resposta do sistema imunológico contra as células da córnea.

Nos pacientes com xeroftalmia, o tratamento passa pelo uso regular de colírios lubrificantes, que funcionam como lágrimas artificiais, mantendo a córnea sadia. Nos casos em que a ceratite evolui para infecções profundas com ulcerações e cicatrizes ou até mesmo perfuração da córnea, a única saída para restaurar a acuidade visual é o transplante de córnea.

A principal medida preventiva em matéria de ceratites envolve o cuidado com as lentes de contato. É necessário seguir estritamente as recomendações do oftalmologista e do fabricante em relação a uso, manutenção e prazo de validade das mesmas, além de se certificar da procedência dos produtos empregados para sua limpeza e desinfecção.

Lentes e piscina representam uma combinação péssima, que favorece a infecção por Acanthamoeba, já que essa ameba gosta de água. Da mesma forma, adormecer sem tirar as lentes constitui um costume pouco saudável para a córnea. Os cuidados se completam com uma visita ao oftalmologista a cada seis meses.

Já quem trabalha exposto a substâncias químicas e/ou a chamas e a faíscas precisa resguardar a córnea de agressões com o uso de equipamentos de proteção individual. Por último, uma recomendação universal: nenhum colírio deve ser instilado nos olhos sem prescrição médica ou além do período recomendado.

.O tratamento varia conforme o fator que originou a ceratite. As inflamações desencadeadas por bactérias, amebas e fungos requerem antimicrobianos adequados para combater o microrganismo responsável pelo quadro. As virais, como a maioria das viroses, só precisam de medidas de suporte até o que o organismo combata naturalmente o vírus. A única exceção é a infecção pelo Herpes simplex, que deve ser tratada com antivirais e com outros medicamentos para auxiliar o controle da doença e evitar sua progressão.

Por sua vez, a abordagem das ceratites traumáticas e medicamentosas, assim como das causadas pela exposição à luz ultravioleta, inclui estratégias como o uso de antiinflamatórios, lavagens e oclusão do olho afetado, as quais podem ser adotadas em conjunto ou isoladamente.

Já o tratamento da ceratite relacionada com doenças auto-imunes requer o envolvimento de um reumatologista, pois implica a administração de medicações imunossupressoras, que reduzem a resposta do sistema imunológico contra as células da córnea.

Nos pacientes com xeroftalmia, o tratamento passa pelo uso regular de colírios lubrificantes, que funcionam como lágrimas artificiais, mantendo a córnea sadia. Nos casos em que a ceratite evolui para infecções profundas com ulcerações   (+ info)

Estou com ceratite, esta infecção pode passar pras minhas lentes?


Estou com esta infecção e já estou tratando, pingando colírios e estou sem usar minhas lentes de contato gelatinosas. O tratamento acaba em 20 dias, mas não sei se poderei voltar a usar minhas lentes ou se elas estão infectadas. Esxiste algum modo de esterelizá-las?
----------

Porque não fez essa pergunta ao seu oftalmologista? Aki, por mais lógica q tenha as respostas, não terá valor científico.  (+ info)

mano intão essa doença Ceratite bacteriana tem cura?


mano eu percebi que essas bolinhas pretas tem multiplicado =( e minha visão de longe ta piorando me explica mas sobre essa doença
----------

Tem cura através de antibiótico, dependendo da gravidade do quadro, colírios de farmácia neste caso podem não resolver, aí o médico oftalmologista acabará prescrevendo um colírio fortificado. De qualquer forma, vc deve procurar um oftalmologista e acompanhar com o mesmo o quadro, pois é um pouco grave.
boa sorte  (+ info)

Alguem sabe se ceratite tem cura?


Depende se ela é viral ou bacteriana, eu tive a viral ficou com lesão na cornea, a oftalmo está aguardando a cicratização para fazer uma cirurgia, o remdio que usei é o predfot, mas tem que usar com cuidado, ele aumenta a pesão do olho e pode provocar glaucoma.  (+ info)

Gostaria de saber sobre ceratite. O que é? É grave? Pode desenvolver cegueira?


Tive ceratite em apenas um olho, e minha oftamologista acredita ter sido pela má higienização de lentes de contato.
Do dia pra noite parece que a visão deste olho diminuiu. Fiquei muito assustada...
Expliquei pra minha médica que eu costumava ficar muito tempo sem usar a lente de contato...mais de um mês (a minha tem validade de um ano). E quando usava irritava um pouco os olhos, e ela ficava na solução com opti free e eu não costumava trocar frequentemente. Só trocava qndo usava as lentes. Mas depois eu vi na embalagem do opti free que eu posso deixar as lentes na solução por cerca de um mês.
Me curei totalmente da ceratite em 5 dias - ou até menos. Mas fiquei querendo saber mais sobre ela.
Alguém pode me ajudar???
----------

A ceratite, ceratomalacia ou ainda queratite é uma inflamação na córnea, prefigurada pelo surgimento de pontos ressecados e esclerosados, chamados de pontos xeróticos, localizados na conjuntiva. Tal lesão acaba tornando a córnea esclerosada e insensível.

espero poder ter ajudado  (+ info)

que é ceratite?


Inflamações nas Córnes ( Aparelho visual)

@  (+ info)

ceratite.como tratar?existe cura?


quero ajudar uma amiga que sofre com isso e não achei nada satisfatório na net. o médico disse para ela que é incuravel .
----------

Ceratite
Forma de inflamação profunda da córnea (a parte frontal do globo ocular). A ceratite está associada a uma degeneração visual, dor no olho, lacrimejamento excessivo e fotofobia. A sífilis é a causa mais comum, mas outras causas mais raras, inclusive a lepra e a tuberculose, podem também provocá-la.

Ceratite por acantameba; ceratite bacteriana; ceratite fúngica; ceratite por herpes simples; herpes Zoster oftálmico.

Erosão não-penetrante ou úlcera aberta na camada externa da córnea, a área transparente que fica na frente do globo ocular. Veja também lesão corneana.

Causas, incidência e fatores de risco:
As úlceras corneais são causadas, freqüentemente, por infecção por bactérias, vírus, fungos ou amebas. Outras causas são abrasões ou corpos estranhos, fechamento inadequado da pálpebra, olhos muito secos, doença alérgica ocular grave e outros distúrbios inflamatórios.

A ceratite bacteriana pode ser causada por inúmeros organismos. O uso de lentes de contato, especialmente lentes gelatinosas que são usadas durante a noite, podem ser um fator precipitante. A ceratite por herpes simples é uma infecção viral séria. Pode ter recorrências provocadas por estresse, exposição à luz solar ou qualquer outra condição, doença ou tratamento que debilite o sistema imunológico. A terapia com corticosteróides, administrada na presença de ceratite herpética, foi associada às úlceras mais extensas.

A ceratite fúngica pode aparecer após uma lesão corneana envolvendo material vegetal, no meio agrícola ou em uma pessoa imunocomprometida (imunodeprimida). A ceratite por acantameba ataca os usuários de lentes de contato, em especial aqueles que utilizam soluções de limpeza caseiras.

Os fatores de risco são olhos secos, alergias graves, antecedentes de distúrbios inflamatórios, uso de lentes de contato, imunossupressão, exposição prolongada à luz solar e infecções.

Tratamento:
O tratamento para as úlceras e infecções corneanas depende da causa, devendo ser realizado o quanto antes para prevenir maiores lesões à córnea. Gotas oculares antibióticas, antivirais ou antifúngicas são prescritas assim que o tipo de úlcera é identificado. As gotas oculares de corticosteróides podem ser utilizadas para reduzir a inflamação em certas condições, mas devem ser evitadas em infecções por herpes.

Expectativas (prognóstico):
Se não for tratada, uma úlcera ou infecção corneana pode danificar permanentemente a córnea. As úlceras corneanas não tratadas também podem perfurar o interior do olho, expandindo a infecção e aumentando o risco de deficiência visual irreversível.

Complicações:

turvação corneana
cicatrização corneana
cicatrização grave


ok  (+ info)

Tive ceratite causada pela lente,há um mês atrás, vou operar a miopia daqui a 1 semana, corro algum risco?


  (+ info)

1  2  

Deixa uma mensagem sobre 'Ceratite'



Não avalia ou garante a precisão de qualquer conteúdo deste site. Clique aqui para ler o termo de responsabilidade.

Última atualização: Setembro 2014