FAQ - Anormalidades Do Sistema Respiratório
(Powered by Yahoo! Answers)

Quais são as vias condutoras e a vias respiratórias que compõem o sistema respiratório?


Sistema respiratórios.
----------

A porção condutora é formada pela nasofaringe, laringe, traquéia, brônquios e bronquíolos. A porção respiratória é formada pelos bronquíolos respiratórios, ductos alveolares e alvéolos.
Vias respiratórias (cavidades nasais, nasofaringe, traquéia, árvore bronquial) que conduzem, aquecem, umedecem e filtram o ar inalado de partículas de pó e gases irritantes, antes de sua chegada à parte pulmonar. Parte respiratória dos pulmões, formada pelos pulmões com os bronquíolos respiratórios, os alvéolos pulmonares e o tecido elástico.
A respiração é uma das funções essenciais do organismo. Consiste em fornecer oxigênio ao sangue, oxigênio esse que será levado a todas as células. Sem oxigênio, os tecidos, e, portanto, o organismo inteiro, não poderiam viver. O oxigênio está contido no ar e o ar entra em contato com o sangue, mediante um aparelho chamado "respiratório". Permite ele as trocas entre o sangue e o ar: o ar cede ao sangue o oxigênio; o sangue, por sua vez, por meio dos pulmões, abandona o anidrido carbônico que é um produto de rejeição da respiração das células. A respiração se exerce por meio de uma série de atos tais que permitem a passagem do ar através das vias respiratórias.


Abraços, espero ter ajudado.
R.  (+ info)

Síndrome do desconforto respiratório do recem nascidos?


Alguém sabe explicar o q seria a síndrome do desconforto respiratório do recem nascido? E qual seria a causa da doença, o sintoma e o tratamento?
Qual a diferença entre Síndrome do recem nascido e da aguda?
----------

Síndrome da Angústia Respiratória


A síndrome da angústia respiratória (denominada antigamente doença da membrana hialina) é um distúrbio respiratório no qual os alvéolos (sacos aéreos) dos pulmões do recém-nascido não permanecem abertos por causa da elevada tensão superficial resultante da produção insuficiente de surfactante.

Para que um recém-nascido seja capaz de respirar independentemente, os alvéolos pulmonares devem ser capazes de permanecerem abertos e cheios de ar após o nascimento. Eles conseguem fazê-lo em grande parte graças a uma substância denominada surfactante. O surfactante é produzido por células dos alvéolos pulmonares e reduz a tensão superficial. Ele é produzido à medida que os pulmões do feto amadurecem, freqüentemente em torno da 34a semana e quase sempre em torno da 37a semana de gestação.

A síndrome da angústia respiratória ocorre quase que exclusivamente em recém-nascidos prematuros. Quanto mais prematuro o recém-nascido, maior a chance dele apresentar a síndrome da angústia respiratória. A probabilidade de ocorrência da síndrome também é maior em filhos de mães diabéticas.

Sintomas e Diagnóstico

Os recém-nascidos muito prematuros podem ser incapazes de começar a respirar, pois, sem o surfactante, os seus pulmões são muito rígidos. Os recém-nascidos um pouco maiores podem começar a respirar, mas, como os pulmões tendem a colapsar, ele apresenta dificuldade respiratória. Nestes casos, a respiração é rápida e trabalhosa, com dilatação das narinas. Eles contraem a parede torácica à inspiração e emitem ruídos que lembram grunhidos durante a expiração. A dificuldade respiratória pode iniciar logo após o parto ou ocorrer em algumas horas. Quando a síndrome da angústia respiratória é grave, os músculos respiratórios acabam apresentando fadiga, a respiração torna-se ainda menos eficaz e a pele torna-se azulada.

Quando não tratado, um recém-nascido com síndrome da angústia respiratória pode morrer. O diagnóstico da síndrome da angústia respiratória é baseado na história clínica da mãe (p.ex., trabalho de parto prematuro ou diabetes), no exame físico do recém-nascido após o nascimento e em uma radiografia torácica do recém-nascido, a qual revela uma expansão pulmonar incompleta.

Complicações

Quando os pulmões são rígidos, é necessária uma maior pressão para expandi-los, seja ela produzida pelo recém-nascido ou por um ventilador mecânico. Conseqüentemente, pode ocorrer uma ruptura pulmonar, com extravasamento de ar para o interior da cavidade torácica. Este ar faz com que o pulmão colapse ainda mais, comprometendo a ventilação e a circulação. O colapso pulmonar (uma complicação denominada pneumotórax) geralmente exige um tratamento imediato.

O tratamento consiste na remoção do ar livre presente no interior da cavidade torácica com o auxílio de uma seringa e uma agulha e a instalação de um tubo, no tórax do recém-nascido, acoplado a um selo de água para que não ocorra novamente um acúmulo de ar livre. Além disso, os recém-nascidos com síndrome da angústia respiratória apresentam um maior risco de hemorragia cerebral. O risco de sangramento é muito menor quando a mãe é tratada com corticosteróides antes do parto.

Prevenção e Tratamento

O risco de síndrome da angústia respiratória diminui bastante quando o parto pode ser postergado até os pulmões do feto terem produzido uma quantidade suficiente de surfactante. Quando existe a iminência de um parto prematuro, pode ser realizada uma amniocentese para se coletar uma amostra de líquido amniótico e se estimar a concentração do surfactante. Quando o médico estima que os pulmões do feto são imaturos e que o parto não pode ser adiado, ele pode administrar um corticosteróide à mãe pelo menos 24 horas antes do momento estimado do parto. O corticosteróide atravessa a placenta e chega ao feto, estimulando os seus pulmões a produzir surfactante.

Após o parto, um recém-nascido com síndrome da angústia respiratória leve pode necessitar apenas de ser colocado em uma tenda de oxigênio. Os recém-nascidos com um quadro mais grave podem necessitar de suporte ventilatório e tratamento com uma droga surfactante. Uma droga surfactante, a qual é muito semelhante ao surfactante natural, pode ser gotejada diretamente, através de um tubo, no interior da traquéia do recém-nascido. Ela aumenta a chance de sobrevida ao reduzir a gravidade da síndrome da angústia respiratória e o risco de complicações (p.ex., ruptura pulmonar). A droga surfactante pode ser administrada imediatamente após o parto para evitar a síndrome da angústia respiratória em um recém-nascido muito prematuro que pode desenvolvê-la ou pode ser administrado assim que os sinais da síndrome se manifestarem.

O recém-nascido é controlado rigorosamente, para se assegurar que a administração da droga surfactante está sendo tolerada e que a respiração está melhorando. Os tratamentos podem ser mantidos por vários dias, até que o recém-nascido comece a produzir o seu próprio surfactante.

Síndrome Respiratória Aguda Grave
Até o momento não há resultados conclusivos sobre o agente etiológico da SRAG. No Canadá, China e Estados Unidos, exames laboratoriais indentificaram a presença de vírus das famílias Paramyxoviridae e Coranaviridae, além de M. pneumoniae e metapneumovírus, em pacientes com SRAG. Em 24 de março, o CDC informou que seus laboratórios isolaram um novo coronavírus em células Vero E6 de amostras clínicas de dois pacientes suspeitos de SRAG, da Tailândia e Hong Kong.

Como se transmite a SRAG?

É difícil estabelecer exatamente como se transmite a SRAG, pois os resultados das investigações ainda são preliminares. Sabe-se que há transmissão pessoa a pessoa, sendo necessário um contato próximo com pessoas infectadas. O contato com aerossóis, secreções respiratórias e fluidos corporais de uma pessoa infectada parecem ser importantes. A maioria dos casos tem acontecido em trabalhadores de hospitais que atenderam pacientes com SRAG e familiares próximos dos pacientes. Desconhece-se a quantidade do agente infeccioso necessário para causar infecção. A SRAG parece ser menos infecciosa que a influenza.

A SRAG pode ser transmitida por fômites (objetos contaminados)?

Atualmente, as informações disponíveis indicam que a transmissão do agente requer contato próximo e direto (pessoa a pessoa). Porém, não se descarta a transmissão por objetos contaminados, devendo-se tomar cuidados de desinfecção com objetos utilizados pelos casos suspeitos.

Se eu tivesse sido exposto à SRAG, quanto tempo demoraria para adoecer?

Informações preliminares das investigações realizadas em Hong Kong e Hanói indicam que o período de incubação (período entre a infecção inicial e o desenvolvimento da doença) médio da SRAG corresponde de dois a sete dias, podendo se estender por 10 dias. Apesar do curto período de incubação, a rapidez das viagens internacionais aumenta o risco de disseminação dos casos.

Quem está sob risco de contrair a SRAG?

Até o momento, os casos têm ocorrido, principalmente, entre profissionais de saúde envolvidos com o cuidado dos pacientes com SRAG e contatos familiares próximos. Pessoas com antecedentes de viagens recentes a cidades com casos notificados estão sob maior risco.

Qual é o tratamento da SRAG?

Vários medicamentos têm sido utilizados para o tratamento da SRAG, no entanto nenhum tem sido recomendado para a profilaxia ou tratamento. Os antibióticos não têm mostrado eficácia. Um adequado tratamento de apoio em UTI é o indicado, quando pertinente. Como resultado de um bom tratamento de suporte, alguns pacientes em Hanói têm passado do estado crítico para o regular.

O que tem sido recomendado para prevenir a transmissão de SRAG em hospitais e no domicílio? Os pacientes suspeitos de ter a SRAG devem ser isolados? Como devem ser manejados os pacientes com SRAG?

Os casos suspeitos devem ser internados em unidades isoladas, com banheiro privativo. Recomenda-se que profissionais de saúde e visitantes usem máscaras com filtros eficientes, óculos, aventais, gorro e luvas (barreiras respiratórias e de mucosas) quando em contato próximo com o paciente.

Para minimizar a transmissão potencial fora do ambiente hospitalar, os pacientes com SRAG devem limitar as interações fora do domicilio até que se conheça melhor o mecanismo de transmissão da doença. Recomenda-se colocar máscaras cirúrgicas nos pacientes durante o transporte e no domicílio.  (+ info)

Natação é bom pro sistema respiratório?


Sofro de bronquite crônica e qdo ataca é um caos, penso que vou morrer a cada crise, ouvi falar que natação é bom pro sistema respiratório, isso é verdadeiro?
----------

Muito bom mesmo, e também fisioterapia respiratória, pois ajuda a fortalecer os músculos da respiração (diafragma).Sugiro que tome chá de guaco e chá de raiz de lótus ,(todos dois são expectorantes) sempre complementando seu tratamento médico.

desejo saúde  (+ info)

Qual o mal que o cigarro causa para o sistema respiratório e para o nosso corpo ?


Fumar causa
envelhecimento precoce ,

Câncer de Pulmão:
87% das mortes por câncer de pulmão ocorrem entre os fumantes.

Doenças Cardíacas:
os fumantes correm um risco de 70% maior de apresentar doenças cardíacas

Câncer de Mama:
as mulheres que fumam 40 ou mais cigarros por dia têm uma probabilidade 74% maior de morrer de câncer de mama.

Deficiências Auditivas:
os bebês de mulheres fumantes têm maiores dificuldades em processar sons.

Complicações da Diabetes:
os diabéticos que fumam ou que mascam tabaco correm maior risco de ter graves complicações renais e apresentam retinopatia (distúrbios da retina) de evoluções mais rápidas.

Câncer de Cólon:
dois estudos com mais de 150.000 pessoas mostram uma relação clara entre o fumo e o câncer de cólon.

Asma:
a fumaça pode piorar a asma em crianças

Predisposição ao Fumo:
as filhas de mulheres que fumavam durante a gravidez têm quatro vezes mais probabilidade de fumar também.

Leucemia:
suspeita-se que o fumo cause leucemia mielóide.

Contusões em Atividades Físicas:
segundo um estudo do Exército dos Estados Unidos, os fumantes têm mais probabilidades de sofrer contusões em atividades físicas.

Memória:
doses altas de nicotina podem reduzir a destreza mental em tarefas complexas.

Depressão:
psiquiatras estão investigando evidências de que há uma relação entre o fumo e a depressão profunda, além da esquizofrenia.  (+ info)

Alguém sabe de algum tratamento para quem tem bloqueio respiratório?


tratamento nao sei... tente se informa com medicos
mas sei algo q pode ajudar enquanto vc nao faz o tratamento,,, eu ja tive bronquite... fizz tratamento e agora posso fica mais de 2min sem respira fora ou dentro da agua ^^ e ainda concigo correr 20km!!
compre balhao... e faça exercicios respiratorios.... enxe uns baloes 3x ao dia... c puder ir pra piscina faz respiração dentro... igual epineia ( epineia é ficar debaixo da agua por muito tempo ) mas nao e pra vc fazer epneia e sim a respiração da epineia... q e fica na borda na piscina, segure-se na borda e mergulhe solte todo o ar pelo nariz suba e puxe o ar pela boca.. e repita varias vezes... ^^  (+ info)

De que Maneira a Vascularização colabora na defesa do sistema respiratório?


aparelho respiratório e sistema geniturinário.
www.biologianarede.blogger.com.br/index.html  (+ info)

Vc Connhece alguem que poderia doar um aparelho respiratório movel?


Tenho uma tia que tem DPOC (disturbio pulmonar obstrutivo cronico) e se encotra restrita a um quarto de 3 metros quadrados sem poder sair por não ter condições de comprar esse aparelho.
----------

Meu anjo sei bem o que é ter esse disturbio,pois também tenho DPOC, só Deus sabe o que passo quando tenho as crises, estou quase sem o pulmão esquerdo, estou com pneumonia neste momento e mês que vem farei biópsia, faço uso constante das bombinhas, mas graças a Deus ainda posso ter um vida quase normal, sugiro que vá a um posto de saúde e fale com a assistente social talvez ela poderá ti ajudar ou ti orientar onde poderas conseguir este aparelho, espero que Deus ás ajude e não me desampare se no futuro eu precisar fazer uso deste aparelho também!!
Abraços e boa sorte!!  (+ info)

Regimes hiperprotéicos podem fazer mal ao aparelho respiratório?


Estava lendo um artigo sobre os benefícios do limão (http://biosofia.net/1999/09/30/limao-mais-amigo-do-que-amargo) e quando falou-se de asma/enfisema estava escrito que, "paralelamente com a terapia do limão deve erradicar-se os regimes hiperproteicos". Qual seria o motivo disso?
----------

Amigo, regimes hiperproteicos não causam nenhum prejuizo ao aparelho respiratório. Os grandes prejuízos causados pelas dietas hiperproteicas fica para o aparelho urinário. Cuidado com o que lê na internet e principalmente com o que acredita. Há fontes confiáveis e fontes não confiáveis, como essa que você postou que ninguém conhece o autor e não apresenta uma bibliografia. O segredo da vida é o equilíbrio. É claro que o limão tem seus benefícios, mas ninguém me convence que consumir 25 ou 30 limões diários possa fazer bem à saúde de ninguém. Boa sorte.  (+ info)

O exame de Ressonância magnética pode ser realizado em pacientes com secreção no trato respiratório?


  (+ info)

Quais cuidados com a higiene devo tomar no sentido de prevenir todas as doenças no sistema respiratório?


Há cuidados para de ter quando o assunto é inflamação das vias respiratórias, mas não há como se prevenir de TODAS as doenças respiratórias.

São vários os motivos:

Vírus que numa pessoa causa gripe, em um asmático, por exemplo, pode desencadear em seguida, uma crise.

Situação estressante, também.

Os fatores que disparam a alergia (fatores irritantes) podem mudar ao longo da vida. Há pessoas que são alérgicas a alguns odores; Outras a alguns alimentos, etc.

Alguns medicamentos (para emagrecer, por exemplo) têm na composição, fatores irritantes;

Há particularidades nas pessoas que não permitem esse alcance "total".

Porém evitar ao máximo os fatores irritantes (há exames que os detectam quais são), ajuda.

Estar com a imunidade em dia; Ter hábito de alguma atividade aeróbica (amplia a capacidade pulmonar); Não fumar; Evitar transitar de um ambiente para outro com diferenças de temperaturas consideráveis; Evitar inspirar pela boca; não comer muito numa única refeição (diminui a capacidade respiratória pelo movimento diafragmático), etc.

DICA: Há tratamentos que diminuem a reposta do organismo a constrições exageradas das vias. Procure um alergologista. Um tratamento a longo prazo com homeopatia é outra indicação.  (+ info)

1  2  3  4  5  

Deixa uma mensagem sobre 'Anormalidades Do Sistema Respiratório'



Não avalia ou garante a precisão de qualquer conteúdo deste site. Clique aqui para ler o termo de responsabilidade.

Última atualização: Setembro 2014