http://lookfordiagnosis.com
English
Spanish
Italian
Portuguese
French
Swedish

FAQ - Adenoma De Células Das Ilhotas Pancreáticas
(Powered by Yahoo! Answers)

Adenoma acinar usual gleason nivel 9 e muito grave?


Bom e casual dar em homem, e um nome para melhor compreensão e câncer de próstata, não sei se é o caso mas para ter certeza é necessario que seja feito uma biópsia, se isso já for um diagnostico saiba que a situação é grave, mas que nada é impossível para Deus, existem tratamentos para amenizar o que não se pode é deixar de se tratar por as células cancerigenas se alastram com muita rapidez, isso que te falo não é um diagnostico então não se preocupe, Já vi pascientes em como nível 3, prestes a uma morte celebral que estão perfeitamente saudáveis hoje, para Deus absolutamente nada é impossível.  (+ info)

Pólipo de 0,1 x 0,1 x 0,1 cm A conclusão foi adenoma tubular colônico com displasia de baixo grau. O que é is?


Fiz um exame de colonoscopia e foi encontrado só 1 pólipo de 01,x01,x 01 arredondado, tecido branco e macio. Examinados cortes histológicos de padrão tubular,com displasia de baixo grau. A lesão está restrita ao epitélio.
CONCLUSÃO: ADENOMA TUBULAR CICLÔNICO COM DISPLASIA DE BAIXO GRAU. Podem explicar- me o que é isto?
Obrigada
Maria
----------

Oi, Maria.Estou exatamente com problema idêntico ao seu.Então somos 2 precisando saber o que venha ser o Adenoma tubular .........
Estarei tb aguardando que alguem nos responda satisfatoriamente.Abraços e boa sorte para nós.Não se descuide
Mariza  (+ info)

alguem sabe informar o que são ilhotas de gordura na mama?


O hamartoma mamário é também designado fibroadenolipoma, lipofibroadenoma, adenolipoma, mastoma e tumor da mama pós-lactação. A denominação de hamartoma mamário foi dada por Arrigoni em 1971. Hamartoma da mama é lesão pseudo-tumoral, bem circunscrita, constituída de lóbulos glandulares e canais galactóforos habitualmente normais, separados por ilhotas de importância variável de tecido adiposo ou fibroso (Goussot et al. 1984).

No lugar onde encontrei essa resposta tem muito mais informações sobre o problema. Sugiro leitura completa do material.  (+ info)

O que pode ser quando há um resultado de exame com conclusão " Adenoma supra renal ?"?


Está escrito exatamente assim no referido"laudo".
Grata. :)
----------

O adenoma de supra-renal representa uma etiologia rara de síndrome de Cushing, constituindo um desafio diagnóstico para o clínico. Apesar do diagnóstico ser difícil, o tratamento pode ser facilitado por uma anamnese rigorosa, exame físico minucioso e exames complementares apropriados, favoreðcendo a boa evolução da maioria dos casos existentes relatados

Síndrome de Cushing

Condição causada por exposição prolongada a níveis excessivos de cortisol (HIDROCORTISONA) ou outros GLUCOCORTICÓIDES de fontes endógenas ou exógenas. Caracteriza-se por OBESIDADE na parte superior do corpo, OSTEOPOROSE, HIPERTENSÃO, DIABETES MELLITUS, HIRSUTISMO, AMENORRÉIA e excesso de líquido corporal. A síndrome de Cushing endógena ou hipercotisolismo espontâneo é dividido em dois grupos, aqueles causados por excesso de ADRENOCORTICOTROPINA e os que são independentes do ACTH.
não confunda com DOENÇA DE CUSHING que é UP de HIPERSECREÇÃO HIPOFISÁRIA DE ACTH  (+ info)

Retirei a parte esquerda da tiroide em outrubro, pois foi-me diagnosticado um adenoma folicular com...?


micro-carcinoma papilar! Como tal, estou a tomar euritrox, para compensar! A minha dúvida é a seguinte, embora ja seja mamã de um menino, gostava muito de ter outro filho, até que ponto, estasituação poderá ser prejudicial ao feto, se tentar engravidar? Poderei ser mãe novamente, sem prejudicar o feto de futuro? Obrigada
----------

Certamente que vc poderá, não há problema algum... a única coisa é que vc terá que continuar tomando o eutirox, que não vai influenciar em nada a gestação ou a fertilização. Mas tire a limpo isso com o seu médico: ele é a pessoa mais indicada para responder-te.

Boa sorte, []s  (+ info)

Quero saber sobre macro adenoma hipofisário?


Macroadenoma hipofisário é um tumor da hipófise, que é uma glândula localizada no centro do crânio. Por ser macro, está maior de 1 cm. Não sei quais as características clínicas que você tem, pois ele pode estar produzindo diversos hormônios.
De qualquer maneira, até onde eu sei, só há tratamento clínico para os produtores de prolactina e que estejam abaixo de 1 cm, com bromocriptina ou cabergolina. Fora isso, é neurocirurgia.  (+ info)

O que significa Adenoma Tubular de Wilson?


É o menor e o mais comum dos adenomas do intestino grosso. Tipicamente é pedunculado, com superfície lisa, e é formado basicamente por glândulas tubulares que se aprofundam abaixo da superfície do pólipo.

;-)  (+ info)

Diga-me o que sabe sobre adenoma hipofisario, causa, sintomas,tratamento.?


TUMORES DE HIPÓFISE

Sinônimos e Nomes populares:

Adenomas Hipofisários, Hiperpituitarismo; tumor na cabeça, problema na glândula da cabeça.

O que são ?

São tumores benignos da glândula hipófise que provocam sintomas neurológicos e hormonais. Os sintomas neurológicos são decorrentes de compressão ou invasão de estruturas adjacentes, tais como o nervo ótico e nervos localizados ao lado da hipófise (seio cavernoso).

Os sintomas endócrinos são provocados por deficiência ou excesso de produção dos hormônios hipofisários. A deficiência de hormônios hipofisários é conhecida como Hipopituitarismo e está descrita em outro item desse site.

As situações de excesso de produção hormonal hipofisária provocam sintomas clínicos bastante característicos que são os Prolactinomas (secretam prolactina), a Acromegalia (secretam hormônio de crescimento-GH ), e a Doença de Cushing (secretam hormônio adrenocorticotrófico - ACTH), cada uma delas apresentadas em itens específicos desse site.

Um número significativo de adenomas hipofisários não secreta qualquer hormônio hipofisário, provocando somente alterações neurológicas e deficiências hormonais.

Por ordem de freqüência, os adenomas mais comuns são:

os secretores de Prolactina ( prolactinomas )
GH (acromegalia)
os Não-secretores (não-funcionantes)
os de ACTH (Doença de Cushing)

Do ponto de vista de tamanho ou volume, os adenomas são classificados em:

micro (menores do que 10 mm)
macroadenomas (maiores do que 10 mm).

Os microadenomas podem ser classificados ainda em:

grau 0 (não detectados nos exames de imagem)
grau I (até 10 mm)

Já os macroadenomas podem ser classificados em:

grau II (aumento de volume com expansão da sela túrcica e sem erosão óssea)
grau II (aumento de volume com erosão óssea localizada)
grau III (aumento de volume com erosões ósseas múltiplas)
grau IV (aumento importante da sela túrcica com perda dos seus limites
chamada de "sela túrcica fantasma").

Essa classificação é importante para se definir o melhor tratamento e seus resultados em cada um dos pacientes. Além dos adenomas, a região hipofisária pode ser afetada por doenças não-hipofisárias (cuja origem não é a glândula hipófise). Essas doenças podem se apresentar como tumores não-secretantes, provocando sintomas neurológicos e hormonais.

Entre esses "tumores" não funcionantes da região hipofisária estão:

doenças vasculares, infiltrativas, de origem embrionária
tumores de outras origens como os craniofaringeomas, os meningeomas, os gliomas e, muito raramente, tumores metastáticos.

Mais recentemente, com os avanços de técnicas de imagem para avaliação de doenças do sistema nervoso central e do crânio, que popularizaram os exames de tomografia computadorizada e ressonância magnética do crânio, tem sido freqüente a descoberta ocasional de "tumores da hipófise". Esses tumores, descobertos ocasionalmente, são denominados "Incidentalomas Hipofisários", cuja abordagem está descrita em item específico desse site.

Como se desenvolve?

Os adenomas hipofisários não possuem causa bem definida, sendo provavelmente provocados por mutações isoladas de células hipofisárias normais. Uma parcela de 3 a 5 % dos casos apresenta distribuição familiar, estando associada a mutações transmitidas hereditariamente.

Esses casos podem envolver a ocorrência do mesmo adenoma na mesma família (adenomas familiares) ou estarem associados às adenomatoses endócrinas múltiplas. Nessa situação, os pacientes podem exibir tumores funcionantes de paratireóide, pâncreas e supra-renais.

O que se sente ?

Os sintomas associados aos adenomas hipofisários são neurológicos e hormonais.

Os sintomas neurológicos mais comuns são a dor de cabeça e a diminuição da acuidade visual. A dor de cabeça costuma ser na região frontal e lateral, do tipo constante, sem fatores determinantes e usualmente alivia com analgésicos comuns. A perda visual ocorre na acuidade visual e principalmente na visão para as laterais (perda de campo visual lateral). Mais raramente, em adenomas hipofisários volumosos com crescimento para os lados da hipófise, podem surgir outros sintomas visuais que são a visão dupla, o desvio de posição dos olhos (estrabismo), a queda da pálpebra (paciente não consegue levantar a pálpebra superior) e o desvio de um dos olhos para baixo e para o nariz. Este quadro caracteriza relativa gravidade e, freqüentemente, se associa com dor ao redor do olho envolvido e perda visual severa, chegando até a cegueira.

Os sintomas hormonais são decorrentes da diminuição ou do excesso de produção dos hormônios hipofisários. A diminuição da produção provoca um conjunto de sintomas conhecidos como Hipopituitarismo, descrito em item específico desse site.

Os sintomas de excesso hormonal são decorrentes do excesso de produção de prolactina, GH e ACTH, constituindo doenças específicas apresentadas em outros itens desse site.

Como o médico faz o diagnóstico ?

O diagnóstico pode ser estabelecido a partir dos sintomas neurológicos (dor de cabeça, alterações visuais) e hormonais, seja de deficiência ou excesso.

Pode ser necessária a investigação também a partir de um achado incidental como o aumento de volume da hipófise (incidentaloma) em exame de imagem do crânio (tomografia ou ressonância magnética).

Todo o paciente que apresenta suspeita de ser portador de adenoma hipofisário deve ser avaliado através de tomografia computadorizada da região da sela túrcica (região na qual se localiza a hipófise) ou idealmente através de ressonância magnética dessa região.

Detectado o adenoma ou na presença de sinais e sintomas de deficiência ou excesso hormonal, devem ser realizadas também dosagens de todos os hormônios hipofisários. Em algumas situações são necessários testes funcionais para análise do perfil de secreção de alguns hormônios hipofisários.

Essa investigação apresenta resultados cujo padrão é compatível com cada uma das doenças características, discutidas em itens específicos desse site.

Como se trata?

Nos pacientes com adenomas secretores de prolactina (prolactinomas), o tratamento é inicialmente clínico, com boa resposta em mais de 80% dos casos. Os medicamentos utilizados são a bromocriptina, o lisuride e a cabergolina, em doses progressivas até a obtenção da normalização da prolactina e redução do volume do adenoma hipofisário.

Em situações nas quais não se alcançam esses objetivos, pode ser indicada a cirurgia transesfenoidal para ressecção do adenoma. Essa cirurgia é uma microcirurgia realizada através da região nasal, utilizando microscópio e abordando a região do hipófise por sua parte inferior.

Em pacientes portadores de adenomas secretores de GH (acromegalia) e ACTH (doença de Cushing) deve-se estabelecer um diagnóstico hormonal específico e, se comprovada cada uma das doenças, o paciente deve ser inicialmente submetido a cirurgia transesfenoidal para ressecção do adenoma.

Em pacientes com tumores não-secretores, deve ser avaliado detalhadamente o hipopituitarismo associado, e uma vez corrigidas as alterações hormonais de maior risco (deficiência de cortisol e de hormônios da tireóide), o paciente deve ser submetido a cirurgia transesfenoidal para ressecção do adenoma.

Mais raramente, em tumores muito volumosos, pode estar indicada a cirurgia por via transcraniana, ou seja, realizando uma abordagem da hipófise por sua porção lateral ou superior, o que envolve cortes cirúrgicos na calota craniana.

Como se previne ?

Não se conhecem métodos de prevenção. O diagnóstico precoce e um adequado manejo endocrinológico e, quando necessário, neurocirúrgico, são fundamentais para a adequada resolução das diversas situações clínicas associadas aos adenomas hipofisários.  (+ info)

adenoma tubulo-viloso com focos de displasia de alto grau?


diagnostico de biopsia de colonoscopia
----------

Médico responderá com segurança.  (+ info)

O que seria ADENOMA TUBULAR INCIPIENTE DA MUCOSA COLÔNICA (ÂNGULO HEPÁTICO)?


Fiz uma colono há 1 ano e deu isso e mais: Processo inflamatorio crônico inespecifico leve com leve fibrose intersticial em mucosa colorretal (sigmóide). Ausencia de alterações displásicas (material examinado em vários níveis)
----------

Adenoma Tubular é uma pólipo da mucosa colônica, e sempre que ele é visualizado na colonoscopia é realizado a polipectomia (retirada). Tem uma chance pequena de evoluir para câncer, em torno de 1% ao ano.
Já o processo inflamatório tem que ser investigado clinicamente com uma boa história e exame físico, pois pode corresponder a uma Doença Inflamatória Intestinal - a Retocolite Ulcerativa ou a Doença de Chron.

Ok?

Um abraço  (+ info)

1  2  3  4  5  

Deixa uma mensagem ou imagem sobre "Adenoma De Células Das Ilhotas Pancreáticas" (ou acessa o fórum):