Casos registrados "Ooforite"
(Traduzidos do inglês com Altavista Babel Fish)

Filtrar por palavras-chave:



Obtendo documentos. Espere, por favor...

11/44. abcesso Tubo-ovariano que ocorre 16 anos após a histerectomia supracervical.

    FUNDO: A histerectomia de Supracervical é executada raramente e há poucos relatórios do abcesso tubo-ovariano (TOA) após a histerectomia supracervical. CASO: O exemplo de uma mulher dos anos de idade 49 com um TOA direito é relatado. Este paciente tinha recebido uma histerectomia supracervical 16 anos mais adiantado devido à ruptura do útero. Nesta admissão, apresentou com queixas de, abaixa a dor e a febre abdominais. As examinações a duas mãos e transvaginal do ultra-som demonstraram uma massa macia na região adnexal direita. A laparotomia, a examinação patológica e o estudo microbiológico confirmaram o diagnóstico do TOA direito. CONCLUSÃO: Após a histerectomia supracervical, os pacientes podem desenvolver o endocervicitis, o parametritis e/ou o TOA. Esta série pode ser um subtype de infecções de ascensão no intervalo genital fêmea. ( info)

12/44. Um exemplo da actinomicose ovariana.

    FUNDO: A actinomicose pélvica é rara e apresenta frequentemente como uma complicação de um dispositivo intrauterine (IUD). Um diagnóstico da actinomicose pode ser feito de encontrar de grânulo do enxôfre dentro do exsudado inflamatório na examinação histologic após a cirurgia. Entretanto, pode ser possível diagnosticar a actinomicose antes que cirurgia encontrando Actinomiceto-como organismos em manchas de Papanicolaou. CASO: Uma mulher dos anos de idade 41 tinha sido diagnosticada como tendo um abcesso pélvico, e o salpingo-oophorectomy bilateral foi executado. tinha sido um usuário de IUD por 6 anos. Actinomiceto-como organismos foram detectados em suas manchas cervicais precedentes de Papanicolaou. Se o paciente tinha sido tratado quando Actinomiceto-como organismos foram detectados por manchas de Papanicolaou, a actinomicose ovariana séria pôde ter sido evitada. CONCLUSÃO: Nós sugerimos que as examinações cervicais rotineiras sejam importantes para as mulheres que são usuários de IUD. ( info)

13/44. Oophoritis e salpingitis de Xanthogranulomatous: sequelae atrasados do PID staphylococcal inadequada tratado.

    Nós descrevemos o exemplo de uma mulher dos anos de idade 42 que seja um exemplo da continuação da doença inflamatório pélvica incompleta tratada, e apresentado com menorrhagia e massas ovarianas bilaterais. A histerectomia do subtotal com salpingo-oophorectomy bilateral foi executada. O material Purulent foi obtido das massas císticas, que cresceram o staphylococcus - áureo. A examinação histológica da massa cística direito-tomada o partido revelou um quisto simples do ovário. A massa tuboovarian tomada o partido esquerda revelou a presença de macrófagos enchidos lipido com linfócitos, pilhas de plasma e neutrófilo; isto estabeleceu o diagnóstico do salpingitis e do oophoritis xanthogranulomatous. O caso é do interesse em virtude da raridade desta circunstância; cinco casos do salpingitis e do oophoritis xanthogranulomatous foram relatados na literatura do mundo até a data. ( info)

14/44. fibrose retroperitoneal secundária à actinomicose sem o dispositivo intrauterine.

    FUNDO: A infecção pélvica Actinomycotic ocorre geralmente na presença de um dispositivo intrauterine. Pode conduzir à doença inflamatório pélvica, ao abcesso tubo-ovariano, e à fibrose retroperitoneal. CASO: Um multipara dos anos de idade 35 que nunca usasse um dispositivo intrauterine apresentou com uma história de 5 meses da dor, da disúria, da perda de peso, e da constipação abdominais progressivamente agravando-se, colicky, direito-tomadas o partido. Foi encontrada para estar com a fibrose retroperitoneal. O diagnóstico da infecção pélvica actinomycotic foi feito na laparotomia. CONCLUSÃO: A actinomicose pode ser considerada no diagnóstico diferencial das mulheres com fibrose retroperitoneal, mesmo quando não há nenhuma história de um dispositivo intrauterine. ( info)

15/44. A deficiência orgânica seletiva da pilha do theca no oophoritis auto-imune conduz ao desenvolvimento multifollicular, ao estradiol diminuído, e aos níveis elevados do inhibin B.

    Nós descrevemos o curso clínico de três mulheres com o oophoritis auto-imune presuntivo que desenvolveu os folículo múltiplos mas muito baixo aos níveis undetectable do estradiol. Os folículo múltiplos tornaram-se espontâneamente em todos os assuntos e durante o tratamento pulsatile de GnRH para a indução da ovulação no assunto 1. O desenvolvimento dos folículo dominantes múltiplos foi acompanhado dos níveis do LH na escala postmenopausal e em níveis de FSH no limite superior para mulheres premenopausal. Os níveis do inhibin B do soro eram elevados apropriadamente no ajuste do desenvolvimento multifollicular, mas os níveis do estradiol permaneceram baixos. A medida de precursores do estradiol demonstrou níveis do androstenedione e do estrone abaixo do 95th percentil em mulheres normais. Os anticorpos corticais ad-renais, e os anticorpos às enzimas da segmentação do hydroxylase 21 e da corrente P450 lateral foram identificados em todos os assuntos. Todos os assuntos encontraram os critérios para a falha ovariana prematura durante a continuação. Falha ad-renal mais tarde desenvolvida do assunto 1, visto que o assunto 3 teve a falha ad-renal na altura do estudo. Estes assuntos explicam o teste padrão hormonal no oophoritis auto-imune, antes que os critérios cheios para a falha ovariana prematura estejam encontrados. O inhibin elevado A e os níveis de B, que acompanham o desenvolvimento dos folículo pequenos e dominantes múltiplos nestas mulheres, suprimem níveis relativos a do LH de FSH, virtualmente independente de estradiol. Estes dados fornecem uma evidência mais adicional para um papel importante do inhibin B e do inhibin A no controle de gabarito negativo de FSH. Além, a produção normal do inhibin A e do inhibin B na ausência de precursores do estradiol e de estradiol fornece a introspecção na deficiência orgânica seletiva das pilhas do theca no oophoritis auto-imune. ( info)

16/44. Perifolliculitis Eosinophilic que apresenta como uma massa ovariana cística dolorosa em uma mulher com fibromyalgia: um relatório do caso.

    FUNDO: O oophoritis auto-imune é caracterizado por um lymphocytic ovariano infiltra e é encontrar raro nas mulheres com falha ovariana prematura. O perifolliculitis Eosinophilic é uma variação possível do oophoritis auto-imune, de que a patogénese e a história natural são pela maior parte desconhecidas. CASO: Uma mulher dos anos de idade 45, grávida 2, para 2, histerectomia abdominal do total do borne do status, apresentou à sua queixa do internist de cíclico, throbbing, mais baixa dor direita do quadrante. Sua história médica passada era forfibromyalgia significativo. O ultra-som pélvico demonstrou uns 2.3 cm, quisto ovariano direito deaparecimento. O ultra-som da continuação mostrou a uns 2.2 cm, quisto complexo no ovário direito que aumentou no tamanho a 4.2 x a 3.2 x a 3.5 cm no ultra-som da repetição 12 semanas mais tarde. A laparotomia exploratória e o salpingo-oophorectomy bilateral foram executados. A avaliação patológica dos ovário revelou um quisto luteal do corpus regressing de 3 x de 2 cm com eosinophils numerosos, linfócitos, macrófagos e pilhas de plasma, infiltrando o zoall do quisto. Os anticorpos antiovarian do soro eram positivos. CONCLUSÃO: O patient' os resultados patológicos de s são consistentes com a entidade rara do perifolliculitis eosinophilic. O patient' o offibromyalgia da história de s é do interesse particular dado que ambos doenças podem ter uma etiologia auto-imune. O perifolliculitis Eosinophilic deve ser considerado no diagnóstico diferencial de mulheres premenopausal e perimenopausal com dor pélvica e ampliação ovariana cística persistente. ( info)

17/44. Oophoritis Eosinophilic: associação com serology positivo dos stercoralis de strongyloides e resposta clínica ao ivermectin.

    FUNDO: A infiltração eosinophilic localizada que causa a deficiência orgânica ovariana é um problema clínico incomun. CASO: Nós relatamos uma menina dos anos de idade 16 com dor abdominal, os quistos ovarianos, e o oophoritis eosinophilic biópsia-provado, que conduziu ao oophorectomy direito. Subseqüentemente, um grande quisto tornou-se no ovário esquerdo, causando a dor abdominal que era mais má na altura de seus menses, e a biópsia mostrou outra vez microabscesses eosinophilic numerosos. Inesperada, um teste do serology do parasita aos stercoralis de strongyloides era positivo, embora os testes do tamborete para óvulos e parasita fossem negativos e o IgE total e a contagem total do eosinophil fossem normais. Após o tratamento com ivermectin, o patient' a dor abdominal de s resolvida, os titers serologic do anticorpo aos stercoralis de S retornados ao normal, e as avaliações ultrasonographic subseqüentes mostraram a degenerescência do grande quisto no ovário restante. CONCLUSÃO: O oophoritis Eosinophilic é uma desordem nova do eosinophilia localizado do tecido. ( info)

18/44. Oophoritis auto-imune associado com os ovário polycystic.

    O oophoritis auto-imune é uma causa rara da falha ovariana prematura. As descrições histológicas precedentes são escassas, com mesmo poucos relatórios dos ovário císticos associados com esta circunstância. Dois casos do oophoritis auto-imune que apresentam como os ovário císticos com anomalias menstrual são descritos, com análise immunocytochemical da pilha inflamatório infiltram. Os autoantibodies do soro ao ovário e ad-renais estavam atuais em ambos os casos. Embora raro, o reconhecimento da circunstância por histopathologists é importante por causa da associação forte com o outro ' organ-specific' doenças auto-imunes, especial Addison' idiopático; doença de s. Uma revisão dos 17 casos relatados indica cinco onde as mudanças císticas estavam atuais no ovário. ( info)

19/44. Ampliação ovariana cística resultando do oophoritis auto-imune.

    O oophoritis auto-imune é uma causa rara da falha ovariana prematura. Os estudos precedentes do oophoritis auto-imune detalharam os resultados clínicos, imunológicos, e histologic. As características patológicas brutas dos ovário involvidos detalharam os resultados clínicos, imunológicos, e histologic. As características patológicas brutas dos ovário involvidos não foram emfatizadas. Nisto, nós descrevemos uma mulher dos anos de idade 35 com oophoritis auto-imune que apresentou com os sintomas referable a uma massa adnexal cística direita. Submeteu-se a uma laparotomia diagnóstica e a um salpingo-oophorectomy direito para a remoção de um cm-diâmetro 8.0, ovário multicystic torcido. Microscopically, as pilhas inflamatórios mononuclear infiltraram quistos foliculares e luteais múltiplos. Nós vimos dois pacientes adicionais com o oophoritis auto-imune histològica verific que se submeteu à laparotomia e ao oophorectomy diagnósticos por causa da ampliação cística dos ovário. A estimulação dos folículo ovarianos por níveis elevados de gonadotropinas pituitárias causa provavelmente as mudanças císticas. O reconhecimento deste aspecto do oophoritis auto-imune pode ajudar a impedir o oophorectomy nos pacientes cujo o tecido ovariano de funcionamento é comprometido já pela destruição auto-imune. ( info)

20/44. Oophoritis do Cytomegalovirus com necrose cortical durante a remissão da leucemia lymphocytic aguda.

    A participação ovariana do cytomegalovirus (CMV) é observada raramente em materiais da autópsia e da biópsia. A necrose cortical dos ovário foi encontrada em um exemplo da autópsia com infecção CMV generalizada. O paciente era uma menina dos anos de idade 11 em um estado da remissão de leucemia lymphocytic aguda. A autópsia revelou diversas áreas que mostram a mudança necrotic até 2 milímetros no tamanho no córtice de ambos os ovário. Muitas pilhas cytomegalic foram encontradas nas áreas necrotic e intatas do córtice. CMV tinham contaminado as pilhas do granulosa, as thecal e as stromal assim como pilhas endothelial vasculares. Os Oocytes nem dos folículo preliminares nem graafian mostraram mudanças cytomegalic, embora fossem destruído devido à necrose. O antígeno CMV foi detectado immunohistologically nestas pilhas cytomegalic. Ultrastructurally, o herpesvirus-tipo partículas foi revelado nos núcleos e no citoplasma das pilhas cytomegalic. Este caso demonstrou que a infecção ovariana com CMV pode potencial induzir a necrose cortical e diminuir o número de oocytes. ( info)
(Traduzidos do inglês com Altavista Babel Fish)<- Anterior || Próximo ->


Deixa uma mensagem sobre 'Ooforite'



Não avalia ou garante a precisão de qualquer conteúdo deste site. Clique aqui para ler o termo de responsabilidade.

Última atualização: Setembro 2014